Q

Previsão do tempo

14° C
  • Sunday 22° C
  • Monday 22° C
  • Tuesday 20° C
15° C
  • Sunday 23° C
  • Monday 23° C
  • Tuesday 22° C
15° C
  • Sunday 25° C
  • Monday 25° C
  • Tuesday 23° C

Criar o “bairro dos empreendedores”

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
A prática do poder político não pode ser apenas o exercício da gestão do quotidiano. Esta é fácil, basta, apenas ir seguindo os ventos da opinião pública, navegando em regime de cabotagem, sempre à beira da margem, sem perder terra de vista. Mas esta gestão, muitas vezes com frutos no curto prazo, não permite a mudança ou o avançar para novos patamares de desenvolvimento.

A prática do poder político não pode ser apenas o exercício da gestão do quotidiano. Esta é fácil, basta, apenas ir seguindo os ventos da opinião pública, navegando em regime de cabotagem, sempre à beira da margem, sem perder terra de vista. Mas esta gestão, muitas vezes com frutos no curto prazo, não permite a mudança ou o avançar para novos patamares de desenvolvimento.

No longo prazo, a mera gestão do quotidiano determina a estagnação, a paralisia da sociedade e da comunidade. Ao político, que pretende vestir/sentir a pele de verdadeiro político, deve procurar ir mais além, influenciar, modificar, abrir novos horizontes, navegando para o distante, ainda que sob perigos, riscos, aceitando muitas vezes o fogo cerrado da artilharia de comentadores e oposição.

O novo executivo camarário de Caldas da Rainha assume a pele de tripulação de navegadores de costa à vista ou de navegadores intrépidos de mares abertos? Ainda é cedo para uma resposta. Mas cá estaremos para percecionar a qualidade dos marinheiros que temos ao leme dos nossos destinos.

A área económica é um exemplo de temática importante para esta qualificação. Parece-me óbvio que, não obstante a importância do turismo e do setor dos serviços, em especial o comércio, Caldas da Rainha, necessita de alguma diversificação do seu tecido económico/empresarial. Não compete à Câmara Municipal criar empresas. Mas compete-lhe criar, fomentar as condições para o desenvolvimento das mesmas.

O primeiro passo deve passar por uma diplomacia económica assertiva no esforço de captação de novas empresas para o concelho. Mas também pela melhoria das infraestruturas existentes. Entendo que já não faz sentido continuarmos a ter uma “zona industrial” (conceito dos anos 80), mas sim um parque empresarial. É claro que não basta mudar o nome. Precisamos de mais espaços para empresas, eventualmente um regime género condomínio, para novas empresas, melhor sinalética, melhor imagem, entre outros elementos. E políticas ativas para o empreendedorismo.

Temos jovens criadores na ESAD.CR, somos uma zona com uma localização excelente para start-ups. Porque não fazer de Caldas em parceria com o Politécnico de Leiria – o polo do empreendedorismo do IPL? Porque não o município criar o “bairro dos empreendedores”, disponibilizando em regime de incubação espaços para start-ups?

O Bairro azul é hoje uma zona como muitos espaços encerrados. Torres Vedras, com o Lab Center, transformou um centro comercial abandonado em zona central num espaço de formação e empreendedorismo. Porque não fazer do Bairro Azul ou outra zona da cidade, o nosso centro de empreendedorismo? É claro que é mais fácil projetar rotundas, fazer festas ou festarolas, que no curto prazo dão maiores benefícios eleitorais. Mas queremos ser políticos à seria ou políticos de passagem?

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Diversão noturna e viagens de finalistas

Com a Páscoa, mais uma data festiva se passou, uma data muito celebrada ao longo dos anos no que toca a diversão noturna. De norte a sul foram muitos os eventos de celebração da mesma, contudo, já não é como outrora, em que se faziam romarias com família e amigos para diversos espaços noturnos espalhados pelo país fora.

ruben alves2

A UE não deve ceder nos Direitos Humanos por causa da ameaça nuclear

Em 25 de março, Hossein Amir-Abdollahian, o Ministro das Relações Exteriores do Irão e Josep Borrell, o líder da política externa da União Europeia (UE) discutiram a importância de continuar as negociações e visitas para remover as sanções nucleares sobre o Irã. Borrell reiterou que finalizar as negociações nucleares é prioritário para a UE e destacou a necessidade de suspender tais sanções.

ia