Q

Previsão do tempo

16° C
  • Sunday 26° C
  • Monday 19° C
  • Tuesday 19° C
16° C
  • Sunday 27° C
  • Monday 20° C
  • Tuesday 19° C
16° C
  • Sunday 30° C
  • Monday 22° C
  • Tuesday 21° C

“O bom resultado tem a ver com um país falhado”, diz o Chega

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
O Chega no distrito de Leiria foi o terceiro mais votado com 19,7% (quase triplicou a votação), conseguindo eleger dois deputados, mais um do que em 2022. Mithá Ribeiro foi reeleito e Luís Paulo Fernandes garante lugar na próxima legislatura. No distrito, o Chega foi a segunda força política mais votada em Alvaiázere, Batalha, Marinha Grande, Pombal e Porto de Mós.
Mithá Ribeiro, foi reeleito

Para Mithá Ribeiro, cabeça-de-lista do Chega por Leiria, que volta a ter lugar marcado na próxima legislatura, os “resultados no distrito são bons, uma vez que refletem o que aconteceu no país”. “Ao longo de dois anos temos feito um trabalho sustentável em Leiria para afirmar socialmente, portanto, o resultado não surpreende e é claro que nós queríamos eleger o terceiro deputado”, contou.

Quanto às afirmações na noite de eleições de Pedro Nuno Santos que atribuiu os resultados do Chega a “portugueses zangados”, o candidato do distrito de Leiria reeleito não considera que os bons resultados do partido foram um protesto da população, mas sim têm a ver com “governantes falhados”. “Tem a ver com um país económica e socialmente falhado. Nós vivemos um período histórico sem precedentes de falência das instituições, na saúde, no ensino e na segurança”, apontou.

“Há uma ignorância imensa em perceber as transformações sociológicas do mundo”, salientou, acrescentando que “as pessoas insistem em não perceber que o Chega é mais do que um partido político, é também um movimento social e cívico”. “O Chega está a crescer de forma sustentável desde 2019. A cada eleição afirma-se com mais força. Esta eleição foi mais um caso que rebentou muitas das análises que havia contra o Chega, com acusações absurdas”, manifestou.

Mithá Ribeiro afirmou ainda que um “milhão e cem mil votos quer dizer que há um fenómeno social e as pessoas vão falar umas com as outras sobre aquilo que está a acontecer, o que quer dizer que nas próximas eleições nós vamos continuar a crescer”.

Para o deputado “o Chega concretizou uma transformação social profunda. Aquela maioria sociológica direita que se falava já está aí e vem para ficar. Portanto, dizer que isto é dos portugueses zangados não é verdade”.

Para que haja estabilidade no país Mithá Ribeiro defende que “a direita seja adulta e não falo do Chega, mas da AD e da Iniciativa Liberal”.

“É preciso um consenso a partir de uma orientação moral e cívica e em fevereiro publiquei um livro chamado “12 regras para um Portugal mais justo” e o livro prova que “o Chega tem ideias muito além do nosso campo partidário”. “Ninguém pode dizer que o Chega não tem ideias”, declarou, considerando que há uma mentira “instalada no espaço público de que todas as ideias que não estão de acordo com o padrão esquerda não são faladas”. “O livro mostra o trabalho que o Chega fez no Parlamento e não foi aquilo que chegou à opinião pública”, sustentou. 

Considera que Portugal “vive numa ditadura mental de esquerda porque há um controlo político das escolas, instituições, universidades, comunicação social, meios intelectuais e artísticos”.  

O candidato reeleito referiu ainda que o país “está a adaptar-se às tendências da Europa, que é o fim dos sistemas partidários”. “Estas eleições vieram provar que o monopólio apenas por um partido político, seja da esquerda ou direita, está a passar à história”, revelou. 

Quanto ao novo Hospital do Oeste, Mithá Ribeiro disse que há “um problema sério de falta de coesão do território nacional e a localização entre Caldas da Rainha e Óbidos dava-nos melhores garantias e é a mais equilibrada na defesa da coesão territorial e também por haver aí menor acesso à capacidade instalada de serviços de saúde privados comparativamente ao sul do distrito”. No entanto, “Bombarral é uma zona mais central e justa para as populações”, adiantou. 

“Se for o entendimento da AD é importante voltar a discutir a questão da localização, mas também não queremos que a reabertura da discussão sirva para adiar a construção do equipamento”, declarou.

Segundo Mithá Ribeiro, a sua primeira prioridade relativamente ao distrito de Leiria como deputado reeleito vai ser a “construção do novo Hospital do Oeste, que é estratégica”. “Outra prioridade é tentar resolver o problema sério do distrito, onde o litoral que tem algum dinamismo e a zona do interior está muito abandonada e despovoada”. “As vias de comunicação e a ferrovia são fundamentais”, apontou. Defende ainda para o distrito formação profissional no ensino secundário mais próximo das empresas.

Garante que apesar de terem “perfis deferentes”, vai tentar articular o trabalho com o segundo eleito do Chega por Leiria, Luís Paulo Fernandes.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

EB de St.º Onofre convida população a participar numa Flash Mob

No âmbito das comemorações dos 30 anos da EB de St.º Onofre do Agrupamento de Escolas Raul Proença, vai ser realizada uma iniciativa de mobilização pela turma H do 5.º ano, no âmbito de um projeto interdisciplinar envolvendo as disciplinas de Cidadania e Desenvolvimento, Inglês, Educação Musical e Educação Física.

santo onofre