Q

Previsão do tempo

18° C
  • Tuesday 21° C
  • Wednesday 22° C
  • Thursday 25° C
18° C
  • Tuesday 21° C
  • Wednesday 22° C
  • Thursday 25° C
19° C
  • Tuesday 22° C
  • Wednesday 23° C
  • Thursday 27° C

Turismo: será 2022 o ano da consumação da recuperação?

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
A pandemia afetou drasticamente a indústria do turismo em todo o mundo. Portugal não foi exceção – em 2020, o país assistiu a um declínio acentuado do número de turistas. O turismo teve um efeito de arrastamento sobre a economia, com muitas empresas a lutar pela sobrevivência.

A pandemia afetou drasticamente a indústria do turismo em todo o mundo. Portugal não foi exceção – em 2020, o país assistiu a um declínio acentuado do número de turistas. O turismo teve um efeito de arrastamento sobre a economia, com muitas empresas a lutar pela sobrevivência.

Durante a pandemia, a migração dos serviços para os meios digitais assumiu proporções nunca antes vistas, levando a que as receitas de setores como vendas online, serviços de streaming ou até mesmo casinos online tenham crescido exponencialmente. Felizmente, no caso do turismo, não é possível fazê-lo de forma virtual – ou pelo menos, nos mesmos moldes que o turismo tradicional.

No entanto, 2022 parece ser um ano muito melhor para o turismo em Portugal. As restrições às viagens estão a diminuir, o que significa que mais pessoas estão em condições de visitar o nosso país.

O levantamento de todas as restrições é um enorme passo em frente no processo de recuperação dos níveis de turismo para valores anteriores à pandemia. No entanto, é importante lembrar que o vírus ainda é uma ameaça, e que todos nós devemos continuar a tomar pequenas precauções, como por exemplo, preferir os pagamentos eletrónicos, como por exemplo através do uso de cartão de crédito ou débito para efetuar pagamentos.

A impacto de turismo na economia portuguesa

O impacto de turismo no PIB português é significativo. Em 2019, as receitas do turismo representaram 15,3% do PIB de Portugal. Em 2020, o ano onde se verificou o maior impacto da pandemia, o peso turismo caiu para 8% do PIB. No ano seguinte (2021), o setor apresentou alguns sinais de recuperação, representando 12,5% do PIB, mas ainda abaixo do patamar de 2019. Espera-se que a recuperação ganhe ainda mais forma em 2022 e possa voltar, ou superar, os níveis de 2019. Estes números mostram que o turismo é, inquestionavelmente, um dos setores basilares da economia portuguesa.

O turismo é responsável por um grande número de postos de trabalho em Portugal, com mais de 700.000 pessoas empregadas no sector.

A importância do turismo na economia nacional não é recente. Muito pelo contrário, o setor tem sido um dos principais motores do crescimento económico em Portugal nas últimas décadas. Entre 2010 e 2016, as receitas do turismo cresceram em média 5,4% por ano. Este crescimento ajudou a compensar alguns dos efeitos económicos negativos da crise financeira e contribuiu para a recuperação económica de Portugal.

O governo português colocou uma forte ênfase na promoção do turismo como um motor fundamental do crescimento económico. Foram implementadas várias medidas de apoio à indústria do turismo, incluindo investimentos em infraestruturas e campanhas de marketing para promover Portugal como destino turístico.

O crescimento contínuo do turismo em Portugal é essencial para a prosperidade económica do país. O turismo gera receitas importantes e cria empregos para o povo de Portugal. O governo deve continuar a investir na indústria do turismo e promover Portugal como um destino atrativo para os visitantes de todo o mundo.

O impacto do aeroporto no turismo da zona centro

O impasse sobre o novo aeroporto de Lisboa já se arrasta há anos e continua sem desfecho à vista. A região centro é particularmente afetada, uma vez que o aeroporto da capital é o mais bem posicionado para servir distritos com Santarém e Leiria.

A ausência de uma solução tem um grande impacto na economia portuguesa, pois o país precisa desesperadamente de um novo aeroporto para impulsionar o turismo e o comércio. O atual aeroporto está no limite da sua capacidade e não consegue lidar com o número crescente de passageiros e movimentos de aeronaves. Todas estas limitações contribuem para os atrasos e cancelamentos que se verificam todos os verões, que custaram a Portugal milhões de euros em receitas perdidas – além de outros tantos milhões em indemnizações pagos pelas companhias aéreas.

O impasse sobre o novo aeroporto de lisboa é um grande problema para a economia portuguesa e precisa de ser resolvido o mais rapidamente possível. Caso contrário, o país continuará a perder em receitas vitais do turismo e do comércio.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Empresários desesperam com falta de trabalhadores

Empresários das Caldas e da região das áreas da restauração, indústria, agricultura e construção civil não conseguem encontrar trabalhadores para os seus negócios. A opinião junto de responsáveis da ACCCRO e AIRO e empresários de vários setores ouvidos pelo JORNAL...

trabalhadores 1

Chegou um novo restaurante de Sabores do Oriente a Caldas da Rainha

Foi inaugurado no domingo, no dia 24 de julho, o restaurante Sabores do Oriente (buffet livre) nas antigas instalações do restaurante “Os Queridos” na estrada de Tornada nas Caldas da Rainha. O espaço que foi todo renovado, apresenta um novo conceito gastronómico, com um completo serviço de buffet livre, de comida chinesa, japonesa e portuguesa.

oriente 1