Q

Previsão do tempo

14° C
  • Thursday 26° C
  • Friday 28° C
  • Saturday 27° C
14° C
  • Thursday 26° C
  • Friday 29° C
  • Saturday 28° C
15° C
  • Thursday 28° C
  • Friday 32° C
  • Saturday 30° C

Empresa de materiais de construção civil celebra 53 anos

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
A empresa Vepelibérica-Indústria e Comércio de Materiais de Construção Civil, Lda, com sede no Bombarral, vai comemorar o seu 53º aniversário no dia 29 de junho, sendo “hoje em dia, um nome de referência no setor de materiais de construção civil”. Com a atividade ligada à produção de estruturas em alumínio, ferro e inox e à comercialização e distribuição de materiais de construção civil, a empresa tem vindo apostar em novas áreas, como a venda de móveis de cozinha da marca MOB.
Os dois sócios gerentes da Vepelibérica

A empresa Vepelibérica-Indústria e Comércio de Materiais de Construção Civil, Lda, com sede no Bombarral, vai comemorar o seu 53º aniversário no dia 29 de junho, sendo “hoje em dia, um nome de referência no setor de materiais de construção civil”. Com a atividade ligada à produção de estruturas em alumínio, ferro e inox e à comercialização e distribuição de materiais de construção civil, a empresa tem vindo apostar em novas áreas, como a venda de móveis de cozinha da marca MOB.

Esta empresa familiar surgiu pelas mãos do bombarralense Aníbal Graciano Pedro, que como era costume no seio das famílias mais humildes, apenas lhe foi permitido concluir a quarta classe, pois havia que começar a trabalhar para sustento da família e foi isso que aconteceu com pouco mais de dez anos. Iniciou a sua vida profissional como aprendiz de serralheiro na empresa Maximino de Carvalho, Lda, onde auferiu como primeiro salário um escudo por dia.

Já casado, e com família para sustentar, decidiu trabalhar por conta própria e constituiu em 1969, com o colega Fernando Carvalho Venâncio, a Venâncio & Pedro, Lda, uma empresa de serralharia civil. Trabalhadores e com vontade de vencer, os dois sócios decidiram alargar a atividade à venda de eletrodomésticos e também na oficina enveredaram pelos trabalhos de caixilharia de alumínio, portas, portões, gradeamentos e outras estruturas metálicas.

Em 1988 a sociedade tem a grande alteração. Aníbal Pedro adquire a quota do seu sócio e reparte-a pelos filhos. O pai mantém a quota de 50% do capital e os filhos 25% cada um, quotização que ainda se mantém hoje. Cada um ficou com uma área, Aníbal Pedro com a parte de produção (serralharia), Paulo Pedro com as áreas administrativa e financeira, e Pedro Pedro com a área comercial. A fórmula resultou e então a empresa estendeu as suas atividades. Além da área industrial, onde realiza trabalhos em alumínio, ferro e inox, expande a componente comercial nos materiais de construção civil, passando a ser empresa distribuidora de sanitários, cerâmica, equipamentos de aquecimento central, ar condicionado, sistemas solares, acessórios de casa de banho e materiais de canalização.

Em 2003, a empresa passou a chamar-se Vepelibérica – Indústria e Comércio de Materiais de Construção Civil, Lda, e também mudou de instalações, ampliando consideravelmente o número de funcionários. Conta hoje com 45 colaboradores, mas na sua essência mantém-se “uma empresa estritamente familiar”.

Atualmente, a sócia maioritária é Glória Pedro, viúva de Aníbal Pedro, sendo a Vepelibérica gerida pelos dois filhos, que têm contribuído efetivamente para que “hoje em dia sejamos um nome de referência no setor de materiais de construção civil, mesmo com a pandemia de Covid-19”.

De acordo com Paulo Pedro, “a pandemia não chegou afetar o nosso setor de atividade, pois nunca parámos, mantivemos o mesmo ritmo de trabalho que tínhamos antes da Covid-19”. “A única diferença que notámos foi o aumento do custo de materiais, que num ano subiram mais de 65%”, explicou o sócio gerente, adiantando que “neste momento temos muita dificuldade em adquirir os materiais”.

Face a essa situação, a Vepelibérica teve que “se adaptar e antecipar as encomendas para conseguir dar resposta ao número de encomendas, que nunca pararam”. Além de mudar o método de trabalho, a empresa decidiu apostar durante a pandemia na produção e venda de mobiliário de cozinha, e ainda “melhorar o que atualmente existe”.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Oeste Lusitano regressa com maior presença de criadores de cavalos

O Festival Oeste Lusitano está de regresso ao Parque D. Carlos I, com um programa de 27 a 29 de maio recheado de atividades, entre as quais as tradicionais provas de obstáculos, os batismos de cela, assim como o desfile equestre, largadas de touros e ainda vai contar “a maior presença de criadores de cavalo lusitano desde o início da feira”. Esta nona edição também vai apostar na sustentabilidade, disponibilizando um QR Code que remete para o programa, evitando, assim, o gasto de papel.

oeste lusitano

“Caça à Beata” recolheu pontas de cigarro pela cidade

Quinze voluntários participaram na manhã do passado sábado na ação cívica “Caça à Beata”, que decorreu pelas ruas da cidade. Esta iniciativa cívica, que juntou o movimento cívico #CALDASSempreLimpa e a União de Freguesias das Caldas da Rainha, Nossa Senhora do Pópulo, Coto e São Gregório, recolheu em duas horas, pontas de cigarro colocadas em sete garrafões no total de 20 litros.

caca a beata

Música e gastronomia em quintas

O chef Chakall e a cantora Rita Guerra estiveram no passado sábado no Bombarral para uma tarde que juntou música e gastronomia, com a realização do evento "Cantar à Mesa dos Chefs", dinamizado pelo Município do Bombarral, no âmbito do projeto “À Mesa Também Se Canta”.

rita