Q

Previsão do tempo

24° C
  • Tuesday 24° C
  • Wednesday 23° C
  • Thursday 24° C
24° C
  • Tuesday 25° C
  • Wednesday 24° C
  • Thursday 25° C
24° C
  • Tuesday 27° C
  • Wednesday 25° C
  • Thursday 27° C

Vitória frente ao RV Moita mantém o Caldas RC só com vitórias

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Uma tarde que se apresentou com temperatura muito agradável, inicialmente com vento moderado, mas que rapidamente amainou.

7ª Jornada CN1 – Fase Apuramento Zona Sul – Caldas RC vs RV Moita

Uma tarde que se apresentou com temperatura muito agradável, inicialmente com vento moderado, mas que rapidamente amainou.

Bastante público nas bancadas, a prestação da equipa caldense a entusiasmar os adeptos.

Aguardava-se um jogo bem disputado, o RV Moita vindo de uma vitória, em casa, frente ao segundo classificado na tabela, o Caldas RC vindo de uma vitória sofrida na deslocação ao último classificado.

Já com alguns regressos no XV inicial o Caldas entrou muito forte. Conquista nos primeiros alinhamentos, fases de avançados e a impor as primeiras penalidades aos Moitenses.

Aos 4 minutos, o primeiro ensaio pelo, hoje, 2ª linha Gonçalo Sampaio, a concluir à ponta uma boa fase dos avançados Caldenses após boa recuperação no ruck. Carlos Prieto, com pontapé difícil, transformou com êxito, marcador em 7-0.

Muito fortes na formação ordenada e nos alinhamentos, várias conquistas na introdução adversária, os Pelicanos imprimiram forte ritmo à partida. Várias iniciativas a colocarem forte pressão na extrema defesa Moitense que defendia com tudo, obrigando a algumas perdas no último passe, mas com a oval rapidamente recuperada.

Aos 16 minutos, finalmente, uma quebra de linha pelo “arrier” Carlos Prieto, a evitar várias placagens e a chegar ao ensaio. Pontapé de transformação fácil para o mesmo Carlos Prieto que, infeliz, acertou no poste. Placard em 12-0.

A pressão Pelicana acentuou-se, varias jogadas a não resultarem na decisão final, mas aos 22 minutos uma penalidade conquistada já nos 10 metros do Moita, o Caldas escolheu formação ordenada, bem conquistada e o 2ª linha Ricardo Marques a concretizar o toque de meta. Carlos Prieto não falhou a transformação e resultado em 19-0.

Não tirou o pé do acelerador o Caldas e o jogo a ser disputado nos últimos 22 metros dos visitantes.

Aos 30 minutos, mais uma mellée conquistada e a oval jogada rápida, o médio de abertura Jonathan Nolan a descobrir uma nesga na defesa e, com uma bem executada finta de passe penetrou e marcou entre os postes. Carlos Prieto não falhou para mais dois pontos e o 26-0 no marcador.

Até final dos primeiros 40 minutos a mesma toada ainda que ligeira reação do Moita, que aos 34 minutos teve um primeiro ensejo de pontuar, uma penalidade tentada aos postes mas o nº 10 Mauro Coelho a não ser feliz.

1ª Parte: Caldas RC – 26 (4E, 3T) RV Moita – 0

Total domínio dos Caldenses, desde o apito inicial, imprimindo grande velocidade ao jogo e colocando a oval constantemente no meio terreno adversário.

O RV Moita defendeu abnegadamente, mas foi incapaz de parar as muitas iniciativas Pelicanas, sempre a partir de boas plataformas de fases estáticas e muito dinâmicas no jogo à mão das suas linhas atrasadas.

Esperava-se uma segunda metade de mesmo cariz, mas no logo no início não foi o que aconteceu.

Logo aos 42 minutos o Caldas viu-se obrigado a substituir o muito influente pilar Gio Turabelidze, a ressentir-se de um problema muscular.

Pouco a pouco, ainda que com o Caldas instalado nos últimos 22 metros adversários, o Moita foi tomando algumas iniciativas, sempre a partir do poderoso flanqueador Wanderlei Mata. Muito difícil de travar.

Numa destas arrancadas, aos 46 minutos o Moita concretizou entre os postes pelo centro Simão Oliveira. Transformação exemplar por Mauro Coelho, e 26-7.

Alertado, o treinador Patricio Lamboglia refrescou a 2ª linha Pelicana, mas o Moita, galvanizado, continuou a desenvolver poderosos contra-ataques, aproveitando a dificuldade do Caldas em travar os seus avançados.

Aos 51 minutos, em jogada muito semelhante, os Moitenses chegaram ao segundo toque de meta, desta feita pelo centro Flavio Gonçalves, a concluir uma excelente jogada à mão. Mauro Coelho não teve dificuldade em transformar e 26-14.

Marcador relançado, mas o Caldas reagiu quase de imediato, e voltou a refrescar a equipa, na primeira linha e no primeiro centro.

Aos 55 minutos, e após uma sucessão de faltas nos últimos 5 metros Moitense, com os Pelicanos a escolherem formação-ordenada, finalmente o pilar Luis Gaspar a chegar ao toque de meta. Carlos Prieto não acertou o pontapé e marcador em 31-14.

Patricio Lamboglia refrescou ainda mais a equipa com a entrada do regressado scrum-half Salvador Cambournac e ainda com novas substituições na 1ª linha.

E foi precisamente Salvador Cambournac que aos 69 minutos protagonizou uma jogada de magia, que acabou por ser concluída pelo pilar Luis Gaspar, entre postes. Fácil a transformação para Carlos Prieto que não falhou e 38-14.

O Moita não baixou os braços e voltou a lutar por mais um ensaio. Foi uma fase muita luta, com o Caldas a defender a sua linha de vantagem, gorando as iniciativas do seu adversário.

E na bola de jogo, aos 80 minutos, mais um alinhamento nos últimos 5 metros Moitenses, conquista limpa e a oval a ser transmitida para o asa Agustin Capoccetti que, pelo lado fechado, facilmente fez o toque de meta. Carlos Prieto falhou o pontapé, algo fácil.

Resultado Final: Caldas RC – 43 (7E, 4T) RV Moita – 14 (2E, 2T)

Vitória indiscutível do Caldas RC, que dominou em todas as vertentes do jogo, sobretudo na primeira parte.

Boa resposta do RV Moita, na segunda metade, nunca deixando de lutar por um melhor resultado até final.

Com este resultado, e o ponto bónus ofensivo conquistado, os Pelicanos seguem invictos no comando e garantem, a três jornadas do fim desta fase regular o apuramento para a fase final, o Top 4.

Arbitragem serena de Marco Silva, que controlou sempre o jogo, atuando com clareza junto dos jogadores de ambas as equipas, que foram disciplinados, não deixando de colocar em campo toda a energia que as disputas que uma partida de Rugby necessita.

No final o MVP da partida Agustin Capoccetti recebeu o “Pelicano” das mãos de João Jorge, em representação de Marco Clemente do nosso patrocinador Physioclem.

As competições sofrem agora o interregno das festas de Natal e Ano Novo. O Caldas RC volta a jogar, em casa, no Sábado 15 de Janeiro para a receção
a ER Galiza, 8ª jornada do CN1.

O Caldas RC alinhou com:

Agustin Capoccetti (1E), Alexandre Vieira, André Filipe, Bruno Martins, Carlos Prieto (1E, 4T), Cristiano Manuel, Cristóvão Monteiro, David Esteves, Diogo Vasconcelos, Dorin Plameadala, Filipe Nobre, Francisco Loza, Giorgi Turabelidze, Gonçalo Sampaio (1E), Gonçalo Silva, Jonathan Nolan (1E), José Contreras, Lasha Bzhalava, Luis Gaspar (2E), Ricardo Correia, Ricardo Marques (Cap.) (1E), Rui Santos, Salvador Cambournac.

Treinador: Patrício Lamboglia

Diretor de Equipa: António Ferreira Marques

Fisioterapeuta: João Jorge (Physioclem)

Comissario de Jogo: António Ferreira Marques

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Contratação de pessoas com deficiência e incapacidade

Apoios à Contratação de Pessoas com Deficiência e Incapacidade” foi o tema da sessão de Informação promovida pela Cercipeniche, no passado dia 28, no âmbito da aprovação de um projeto candidatado ao Instituto Nacional para a Reabilitação.

sessao