Q

Previsão do tempo

12° C
  • Thursday 18° C
  • Friday 19° C
  • Saturday 18° C
12° C
  • Thursday 18° C
  • Friday 19° C
  • Saturday 18° C
13° C
  • Thursday 19° C
  • Friday 20° C
  • Saturday 18° C

Depois da fase mais crítica de pandemia, Centro de Portugal volta a crescer

Marlene Sousa
5 de Julho, 2020
O Turismo do Centro está confiante que o turismo vai voltar a crescer. Em entrevista ao JORNAL DAS CALDAS, o presidente da entidade regional, Pedro Machado, disse que os “últimos dados que nos têm chegado são promissores”. “Junho foi já um mês de retoma, com as reservas a surpreenderem pela positiva, pelo que tudo nos leva a crer que o verão não vai ser tão negativo como chegou a parecer ser inevitável”, revelou.
O presidente do Turismo do Centro acha que o verão não vai ser tão negativo como chegou a parecer ser inevitável

“A retoma das reservas está em curso e os visitantes estão de novo a procurar o Centro de Portugal, depois do confinamento a que todos estiveram sujeitos. Acreditamos que os visitantes nacionais sejam responsáveis por um assinalável retomar da atividade em julho e que em agosto e setembro já se verifique um notório regresso dos visitantes estrangeiros”, apontou.

O presidente do Turismo do Centro sustentou que “é fundamental nós todos, profissionais do setor do turismo, transmitirmos a sensação de segurança, para que os turistas se sintam confortáveis em visitar a região”.

“Os empresários da atividade turística da região perceberam-no, desde a primeira hora, e a prova dessa preocupação é o facto de já terem sido atribuídos mais de 2.000 selos “Clean & Safe” a estabelecimentos e a atividades turísticas no Centro de Portugal”, indicou. Para o presidente do Turismo do Centro, este selo “é a melhor garantia que se pode dar aos visitantes de que os estabelecimentos cumprem com todas as regras e procedimentos exigidos e que aqui estão em segurança”.

Segundo Pedro Machado, ainda não é possível quantificar, de forma absoluta, o impacto que a pandemia está a provocar na atividade turística no Centro de Portugal, mas “será forçosamente elevado”. “Na fase aguda da pandemia, de março a maio, a atividade turística parou, com quebras totais na grande maioria dos alojamentos e quebras muito significativas na restauração”, manifestou, acrescentando que “nesta altura, ainda nem todos os hotéis reabriram, mas a maioria já está em atividade”.

A nível do turismo internacional, a quebra aproxima-se dos 100 por cento. “Com o fecho das fronteiras, não há forma dos visitantes chegarem ao nosso território. Acresce que o principal mercado emissor de turistas para a região Centro de Portugal é o espanhol e a fronteira com o país vizinho só reabriu para turistas a 1 de julho”. Nós já estamos a olhar para a nossa vizinha Espanha. Queremos atrair os nossos concidadãos espanhóis, que estão aptos a viajar e que não o vão fazer de avião, mas de automóvel, em pequenos grupos ou com as famílias. O Centro tem capacidade para os poder receber”, referiu o responsável.

Apesar de se mostrar otimista, o dirigente não escondeu a preocupação. “Quando olhamos para um restaurante, uma pequena unidade de alojamento ou uma empresa de animação turística, se não conseguirmos criar uma almofada até outubro, muitas delas não vão sobreviver”, adiantou.

Pedro Machado assegurou que “ao contrário de outras regiões, o turismo que se pratica aqui não é massificado. No Centro de Portugal, a região mais vasta do país, há espaço para todos e tempo para tudo. Quem procura praia, tem ao dispor areais de grandes dimensões na costa e zonas balneares fluviais tranquilas no interior. Para quem prefere o campo e a montanha, há um sem número de possibilidades de férias paradisíacas, em paz e sem ninguém à volta. É essa a mensagem que o Turismo Centro de Portugal tem feito passar nas campanhas promocionais que tem em curso”, salientou.

O Turismo do Centro tem em curso, desde maio, a campanha “Chegou o Tempo”. É, segundo Pedro Machado, uma campanha que surgiu no seguimento da anterior, lançada quando começou a fase aguda da pandemia de Covid-19. “Na altura, pedimos aos portugueses para ficarem em casa, dizendo que “haveria tempo” de visitar o Centro de Portugal”. Com o “Chegou o Tempo”, que é direcionada para o mercado nacional, convidamos os portugueses a recuperarem o tempo perdido, mantendo o rigor”, explicou.

A campanha apresenta a região Centro de Portugal como destino ideal para as próximas férias ou a próxima viagem, “uma vez que é um território mais seguro, onde, ao contrário de outras regiões, não se coloca o problema da aglomeração em demasia dos visitantes”. “Queremos que os portugueses redescubram uma região que surpreende todos os dias pela positiva”, sublinhou o presidente do Turismo do Centro.

Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Vinhos da região no livro “A Alma dos Vinhos de Lisboa”

Foi lançado no passado dia o livro “A Alma dos vinhos de Lisboa”, que aborda a história da Região Demarcada de Lisboa, bem como o seu território, as suas quintas e os seus vinhos. Nesta obra, que foi promovida pela Comissão Vitivinícola da Região de Lisboa constam a Adega Cooperativa da Vermelha, no Cadaval, a Companhia Agrícola do Sanguinhal, no Bombarral, e a Adega Cooperativa da Lourinhã.

livro 1

FOLIO recebeu 20 mil visitantes ávidos de conhecer novos autores

Após um ano de interrupção, devido à pandemia, o FOLIO – Festival Literário Internacional de Óbidos voltou a ter casa cheia, para assistir a tertúlias, apresentações de livros, workshops, concertos e outras iniciativas, que atraíram cerca de 20 mil visitantes, ávidos de conhecer novos autores e assistir a espetáculos. O evento literário, que envolveu 469 oradores e dinamizadores de atividades, regressa no próximo ano, entre 6 e 16 de outubro, sob o tema “O Poder”.

balanco folio