Q

Previsão do tempo

14° C
  • Friday 18° C
  • Saturday 23° C
  • Sunday 27° C
15° C
  • Friday 18° C
  • Saturday 24° C
  • Sunday 27° C
14° C
  • Friday 18° C
  • Saturday 26° C
  • Sunday 29° C

Alguma sátira política e bastante folia no corso carnavalesco das Caldas

Mariana Martinho (texto) Eduardo Vitorino (fotos)

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Durante três dias, a Avenida 1º de Maio e a Praça 25 de Abril voltaram a encher-se de cor e muita animação, proporcionada pelos mais de 1200 foliões e pela irreverência dos 20 carros alegóricos, quatro grupos musicais e um grupo de dança. Como já é habitual, o trapalhão e satírico carnaval das Caldas, inspirado na temática de Bordalo Pinheiro, não poupou mordacidade à política nacional e local, apesar deste ano o principal alvo de crítica terem sido “os buracos muito maus na terra dos pirilaus”, passando ainda pela “esquecida lagoa” e a “espera da Linha do Oeste”.

Durante os três dias, sábado à noite, domingo e terça-feira à tarde, milhares de figurantes desfilaram, distribuindo folia misturada com os ritmos brasileiros pela avenida, num espetáculo colorido. Como é habitual, o corso carnavalesco iniciou-se junto à estação e percorreu três vezes a Avenida 1º de Maio e Praça 25 de abril, animando os presentes. No carro alegórico da ACDR Arneirense podia ler-se “Amor vamos passear? Nesta cidade esburacada nem pensar”. Nele vinham a Maria Paciência e o Zé Povinho, que este ano foram encarnados por mãe e filho, Céu Ribeiro e Cláudio Silva. Atrás seguiam os restantes carros alegóricos. Uns satirizando os políticos e o governo português, com frases como ”Com a ministra temida a saúde está desprotegida”, ou então, “Zé Povinho tá doente, precisa ser tratado nos hospitais, não atendem mandem-no ao privado”, e outros com temas mais locais como “nas próximas eleições quando fores votar tens de pensar em alguém que os buracos mande tapar”, ou então, “Haja paciência, o povo paga, paga, paga mas às Caldas não chega nada”. Outra das figuras bem conhecidas num dos carros alegóricos foi o cabeçudo que parecia mesmo o antigo treinador do Sporting Clube de Portugal, Jorge Jesus, acompanhado de alguns recados como “Aladino e a sua lamparina fizeram uma história mágica. Ó génio Jorge Jesus vê se nos ajuda nesta comédia trágica”. Também não faltaram temas relacionados com os famosos super heróis, a vespa asiática, o caso de Tancos e ainda com a reciclagem “por um mundo mais verde”. Presente no desfile esteve o presidente da Câmara Municipal, Tinta Ferreira, que mostrou-se “muito satisfeito com o trabalho apresentado pelas coletividades”, apesar de que no próximo ano “vamos tentar valorizar um pouco mais os carros alegóricos”. “Acho que podemos melhorar dando mais assistência técnica e materiais às coletividades”, explicou o autarca. Relativamente às temáticas, nomeadamente locais, como a Lagoa de Óbidos e a Linha do Oeste, Tinta Ferreira sublinhou que é “algo que subscrevo inteiramente”. No que diz respeito às dragagens da lagoa, o edil disse que “é prometido há vários anos, mas que nada acontece”. Já sobre a Linha do Oeste, Tinta Ferreira frisou em tom de brincadeira que “não só é a mais lenta do país como o comboio que temos é ligeiramente mais rápido do que no tempo do rei D.Carlos. Portanto não é aceitável essa realidade na ligação das Caldas à capital”. Também houve “algumas brincadeiras a propósito do estado das obras, que estamos a fazer ao nível da reabilitação urbana”, aceitou o autarca. Este ano e à semelhança do ano passado, o valor monetário atribuído ao Carnaval das Caldas rondou um “pouco mais de 90 mil euros”, mas no próximo ano “podemos aumentar com o objetivo de melhorar um pouco mais a qualidade”.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

127 anos dos bombeiros festejados em cerimónia emotiva

A cerimónia do 127º aniversário da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários das Caldas da Rainha, realizada no passado domingo, foi bastante emotiva, pela passagem ao quadro de honra de dois bombeiros, pelas promoções, condecorações e louvores, pela transferência de testemunho do porta-estandarte, pela atribuição de patrono a duas viaturas, pelo elogio ao comandante de Pedrógão Grande, mas sobretudo por ter sido lembrada a morte de um bombeiro da corporação vizinha de Óbidos no maior incêndio ocorrido este ano nas Caldas da Rainha.

bombeiros1

Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste – Fábio Romano – 18 valores

Fábio Romano, de 33 anos, aluno da Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste, do curso de Gestão e Produção de Cozinha, foi o melhor aluno com uma classificação de 18 valores (correspondendo aos dois primeiros semestres. Encontra-se a aguardar a nota de estágio curricular, que irá ainda integrar esta média).

img 6552 2 fabio romano