Q

Previsão do tempo

15° C
  • Monday 16° C
  • Tuesday 14° C
  • Wednesday 17° C
15° C
  • Monday 16° C
  • Tuesday 14° C
  • Wednesday 17° C
15° C
  • Monday 16° C
  • Tuesday 15° C
  • Wednesday 17° C

Comentadores de “Pontos de Vista” anteciparam cenários governativos

Francisco Gomes

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Antes das eleições do passado domingo, os comentadores de “Pontos de Vista” (parceria Mais Oeste Rádio/Jornal das Caldas) antecipavam alguns cenários, sem saber os resultados. Rui Gonçalves, do CDS, defendeu que “a solução para o país era a coligação [Portugal à Frente – PSD e CDS) ter a maioria absoluta”, considerando ser a forma para se governar sem obstáculos. Apontou também que Paulo Portas e Passos Coelho fizeram “discursos moderados” durante a campanha, ao contrário de António Costa que “fez uma campanha agressiva e trauliteira, onde tudo valeu”. No seu entender, os indecisos “não eram da CDU ou do Bloco de Esquerda, mas sim fundamentalmente os zangados com o Governo, que teve de tomar medidas impopulares”.
José Carlos Faria, António Cipriano, Alexandre Cunha, Edgar Ximenes, Manuel Nunes e Rui Gonçalves

Manuel Nunes, do PS, também defendeu que devia haver uma maioria absoluta, independentemente do partido vencedor, para que “a orientação governativa não esteja dependente de coligações”. Sobre a campanha, manifestou que “não se discutiram os problemas do país, apenas bocas. Não se falou em como reduzir a dívida pública que aumentou nos últimos quatro anos. Estou convencido de que vamos ter de chamar a Troika para impedir que se tomem as medidas que estão previstas pela coligação”.

Para António Cipriano, do PSD, “metade dos indecisos não se revia nas propostas, por um lado estando magoada com o PSD e CDS que tiveram de tomar medidas difíceis mas que fizeram o país crescer, e olhando para o PS com desconfiança e para as propostas de António Costa com estranheza”.

“Se não existir maioria absoluta, a situação de limbo é muito complicada, levando o PSD a tentar alguns acordos, mas não queremos de novo eleições dentro de um ano. É importante ter um Governo para quatro anos”, declarou.

Edgar Ximenes, do MVC, disse serem “as eleições mais importantes da nossa democracia e foi das campanhas mais desinteressantes de que me lembro, levando a uma grande indiferença, o que é preocupante”.

“Sou um defensor de lugares vazios no parlamento. No universo de votos expressos, o voto em branco devia traduzir-se em lugares vazios”, sustentou.

Sobre as maiorias absolutas, referiu que “é bom em termos de governabilidade, mas a minha experiência diz-me que fazem muito mal”.

José Carlos Faria, da CDU, sublinhou que “com a maioria absoluta o que tem acontecido em Portugal tem sido uma espécie de mãos livres em que se pode fazer o que se quer, até violar a constituição”.

Sobre o “voto útil” ser interpretado como “mal menor”, alertou que “pode é significar um mal maior”.

Alexandre Cunha, do Bloco de Esquerda, disse que “nós também não queremos uma “Grécia” em Portugal e não vamos viabilizar nenhum governo que tenha a ver com a austeridade”. “Um entendimento é algo possível, mas não coligações”, defendeu. Aproveitou para criticar a campanha do PS. “António Costa apareceu como um milagre para o país, mas na campanha parecia que estava a fazer de propósito para não ser eleito”, comentou.

Francisco Gomes

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Concurso de gastronomia coreana ganho por alunos da EHTO

Os alunos da Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste, do curso de Gestão e Produção de Cozinha (3.º semestre), Inês Silva e Rodrigo Fé, formaram a equipa vencedora do Concurso de Gastronomia Coreana Hansik Contest 2022, que decorreu no passado dia 25 na Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve.

coreana

Aluno da EHTO no MasterChef

Guilherme Romão, aluno da Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste, das Caldas da Rainha, no Curso de Padaria Avançada 2021 (sexta edição), está a participar na nova temporada do Programa "MasterChef Portugal".

guilherme

Peniche com campeão de muay thai

O Município de Peniche soma mais um campeão nacional, desta feita, o atleta Cláudio Figueiras, da classe de cadete do MSA-Sitnarong Muay Thai Camp Peniche/Portugal.

claudio