Q

Previsão do tempo

7° C
  • Saturday 12° C
  • Sunday 13° C
  • Monday 13° C
7° C
  • Saturday 12° C
  • Sunday 13° C
  • Monday 13° C
7° C
  • Saturday 12° C
  • Sunday 13° C
  • Monday 13° C

Maior afluência às urgências mas menos internamentos nos hospitais do Oeste

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
O Centro Hospitalar do Oeste (CHO) duplicou em dezembro o número de atendimentos na urgência Covid-19 por comparação a igual período do ano passado, mas registou um menor número de internamentos, revelou a administração à agência Lusa. Na Área Dedicada a Doentes Respiratórios (ADR), a chamada urgência Covid, da unidade de Caldas da Rainha foram […]
O CHO prepara-se para reforçar os serviços, seguindo o plano de contingência

O Centro Hospitalar do Oeste (CHO) duplicou em dezembro o número de atendimentos na urgência Covid-19 por comparação a igual período do ano passado, mas registou um menor número de internamentos, revelou a administração à agência Lusa.

Na Área Dedicada a Doentes Respiratórios (ADR), a chamada urgência Covid, da unidade de Caldas da Rainha foram atendidos 713 doentes, muito acima dos 283 atendimentos verificados em dezembro do ano anterior.

Já o ADR da unidade de Torres Vedras do CHO atendeu 937 doentes, quando um ano antes eram 562, disse a presidente do conselho de administração do CHO, Elsa Baião.

Nas duas unidades, metade dos doentes que recorreu às urgências Covid recebeu a pulseira verde, correspondente aos casos menos urgentes.

“Os centros de saúde desativaram os ADR que tinham a funcionar em estruturas autónomas, apesar de manterem o atendimento a doentes Covid. Os cidadãos já têm menos receio de ir às urgências, com a evolução da pandemia, e temos alguns casos reencaminhados pela Linha Saúde 24 que não se justificavam, porque as pessoas ou não têm sintomas ou têm patologia ligeira”, indicou a administradora.

A afluência aos ADR do CHO disparou em dezembro, já que em setembro foi de 400 e 329 em Torres Vedras e nas Caldas da Rainha, respetivamente, em outubro de 487 e 398 e em novembro de 703 e 481.

Quanto aos internamentos, o CHO tem vindo a ter ocupadas 15 das 21 camas afetas a doentes infetados pela Covid-19, registando-se por isso menos internamentos do que há um ano, ao atingir em janeiro de 2020 um máximo de 144 camas e precisar de transferir doentes para outros hospitais por falta de capacidade.

“Os casos são menos graves” nesta altura em que a população se encontra vacinada contra a Covid-19, esclareceu a administradora hospitalar.

Tendo em conta as estimativas de aumento dos contágios a nível nacional, provocado pela variante Ómicron, o CHO prepara-se para reforçar os serviços, seguindo o plano de contingência delineado para a pandemia de Covid-19. Contudo, depara-se com a falta de profissionais de saúde.

“Os nossos profissionais, à semelhança da restante população, também se encontram infetados ou a estão em isolamento por terem tido contactos de risco, assistindo-se a um número significativo de baixas”, explicou Elsa Baião.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Morreu na cama

Os bombeiros das Caldas da Rainha tiveram na manhã da passada sexta-feira de forçar a entrada numa habitação na aldeia do Chão da Parada para tentar socorrer uma mulher de 55 anos que vieram a encontrar deitada na cama em paragem cardiorrespiratória, na sequência de doença súbita.

The Wellness Clinic propõe tratamentos para quem quer perder peso

Ano novo, novas preocupações. Ao iniciar um novo ano, e com o aproximar do verão as pessoas começam a ter uma preocupação acrescida com a imagem, e nesse sentido a clínica The Wellness Clinic, na rua Emídio de Jesus Coelho nº10, em Caldas da Rainha, propõe “uma série de tratamentos e cuidados indicados para quem pretende perder peso, gordura localizada ou mesmo celulite”.

Mural homenageia a mulher da Nazaré

Está a nascer um novo mural dedicado à mulher nazarena e ao seu papel em diferentes áreas na sociedade local ao longo de décadas.

mural