Q

Previsão do tempo

23° C
  • Monday 22° C
  • Tuesday 20° C
  • Wednesday 20° C
23° C
  • Monday 23° C
  • Tuesday 20° C
  • Wednesday 21° C
24° C
  • Monday 25° C
  • Tuesday 22° C
  • Wednesday 22° C

Autarquias lançam foguetes pela aprovação das dragagens na Lagoa de Óbidos

Marlene Sousa / Francisco Gomes

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
“O Tribunal de Contas já concedeu o visto que permite iniciar a segunda fase das dragagens da Lagoa de Óbidos”, disse o presidente da Câmara Municipal das Caldas da Rainha ao JORNAL DAS CALDAS.
Espera-se que as dragagens se iniciem ainda durante este mês

Tinta Ferreira obteve a informação da parte da direção da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) ao final da tarde da passada quarta-feira e regozija-se com o que considera serem “excelentes notícias para salvar a Lagoa”.

Segundo o autarca, o governo “irá agora marcar a consignação da obra, que deverá ser durante este mês e espera-se que a obra inicie até ao final de abril, princípio de maio”.

A segunda fase das dragagens da Lagoa de Óbidos, um investimento de 14,6 milhões de euros que deveria ter iniciado em 2019, foi adiada várias vezes.

Em causa está a empreitada de dragagens da zona superior da Lagoa, visando a retirada de 875 mil metros cúbicos de areia, ao longo de 4 mil metros de canais e 27 hectares de bacias daquele ecossistema, e a sua deposição no mar, para sul, a partir da arriba do Gronho.

O presidente da Câmara revelou que já alertou a APA da necessidade de fazer novamente o desassoreamento dos canais

dentro da Lagoa de Óbidos.

Na primeira fase das dragagens foram retirados 716 mil metros cúbicos de areia da lagoa, tendo a segunda fase dos trabalhos sido aprovada, em Conselho de Ministros, em 14 de dezembro de 2017.

As dragagens visam combater o assoreamento que periodicamente fecha o canal de ligação ao mar, a denominada “aberta”, pondo em causa a subsistência dos bivalves e a atividade económica de cerca de uma centena de pescadores e mariscadores.

A intervenção irá contemplar também a valorização ambiental de 78 hectares a montante da foz do rio Real, com a erradicação de vegetação infestante e plantação de espécies vegetais autóctones.

O prazo de execução dos trabalhos é de 18 meses, sendo que as dragagens devem ficar concluídas dentro de um ano, a

contar da data de consignação da empreitada.

A obra é financiada em 85% pelo POSEUR (Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos) e em

15% e pelo Fundo Ambiental.

Foz e Nadadouro festejam

O anúncio da aprovação do visto do Tribunal de Contas que dá “luz verde” às dragagens na Lagoa de Óbidos teve direito ao lançamento de foguetes na Foz do Arelho e no Nadadouro na noite da passada quarta-feira.

A população foi surpreendida com os foguetes, tendo o executivo da junta de freguesia da Foz do Arelho explicado que numa das intervenções na Assembleia Municipal das Caldas da Rainha o presidente da autarquia fozense, Fernando Sousa, aquando da apresentação de uma moção a exigir as dragagens, tinha dito, em tom de brincadeira, que “todos os dias me sento na praia do mar a ver se a draga aparece no horizonte e no dia em que houver o visto do Tribunal de Contas iremos fazer uma alvorada de foguetes”.

Logo após saber que as dragagens irão avançar ainda este mês, a junta de freguesia da Foz do Arelho resolveu cumprir as promessas, realizando o lançamento dos foguetes, iniciativa à qual se juntou o Nadadouro, freguesia vizinha.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Apartamento assaltado

Um apartamento foi assaltado na manhã do passado dia 18 na Travessa do Sol Nascente (junto ao Campo da Feira), nas Caldas da Rainha.

FootMania concentra dezenas de equipas de futebol juvenil

Entre 26 de junho e 7 de julho, Caldas da Rainha volta a acolher o FootMania, torneio internacional de futebol juvenil, que envolve a participação de jovens nacionais e estrangeiros, seus treinadores, dirigentes e familiares.