Q

Previsão do tempo

23° C
  • Thursday 23° C
  • Friday 25° C
  • Saturday 24° C
23° C
  • Thursday 23° C
  • Friday 26° C
  • Saturday 25° C
26° C
  • Thursday 26° C
  • Friday 28° C
  • Saturday 27° C

Paulo Morais apresentou “O pequeno livro negro da corrupção” na Rádio Mais Oeste

Mariana Martinho

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
“O pequeno livro negro da corrupção" é o mais recente trabalho do antigo candidato presidencial, Paulo Morais, que esteve na passada quarta-feira nos estúdios da Rádio Mais Oeste, em Caldas da Rainha. Além da obra, o professor universitário, que se considera como “um matemático na política”, também falou sobre as “fatias enormes tiradas pela corrupção, quer nos serviços sociais, quer no Orçamento de Estado”.
Paulo Morais nos estúdios da Rádio Mais Oeste (foto Filipe Marques)

Lançado em setembro do ano passado, em Lisboa, “O pequeno livro negro da corrupção” pretende ser “uma pequena amostra do que é a corrupção em Portugal, onde estão registados, para conhecimento presente e memória futura dos maiores casos de corrupção no país, os mecanismos segundo os quais ela se desenvolve, quem são os responsáveis, quais são todos aqueles que fazem com que Portugal, podendo ser país rico, tenha neste momento mais dois milhões de pobres, e ainda quem são os combatentes deste cenário”.

Organizado como um dicionário, apresentando de A a Z casos e protagonistas, o livro junta os casos que tiveram “mais relevância económica para a vida dos cidadãos, aqueles de mais fácil explicação e aqueles que achei de interesse para os leitores”. Nesse sentido, Paulo Morais espera que este livro tenha “um papel de informar as pessoas a saberem como se destrói a possibilidade de um país ter futuro, e que ainda que elas tomem consciência de todos estes casos, de modo a que tenham um sentimento de revolta para que isto mude”.

Na entrevista a Francisco Aleixo disse igualmente esperar que as pessoas “se apercebam de quem nos trouxe até aqui e para que no futuro não se atribuam nomes de alamedas, avenidas e rotundas a muitos destes vigaristas que aqui estão presentes no livro”, embora o autor reconheça que “se quiséssemos falar da corrupção em Portugal nos últimos 30 anos, não podia ser um pequeno livro negro, teria que ser uma grande enciclopédia com 40 e tal volumes”.

Para o autor, “a corrupção é um problema gravíssimo que começou na ditadura, havendo na história diversos casos como a Ponte Vasco da Gama, o BPN, o BES, o Banif, a compra dos submarinos, as Parcerias Pública Privadas (PPP), entre outros, que só por um milagre é que a sociedade absorvia isto sem qualquer drama”. Disse ainda que “se continuarmos com estes indicadores de corrupção, inevitavelmente jamais teremos desenvolvimento no nosso país”.

Igualmente considerou que a corrupção em Portugal é sistémica, deixando algumas críticas a todos os setores que têm contribuído para o seu enraizamento, desde a supervisão bancária, à investigação criminal, passando pelas classes política e empresarial. “Este não é um problema insolúvel, bastava haver uma estratégia de combate nacional à corrupção, que todos dizem que fazem, mas ninguém faz”, frisou Paulo Morais, elogiando a ex-procuradora Joana Marques Vidal como sendo a única líder do Ministério Público que teve coragem para atacar o problema.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Escultura de homenagem à PSP deixa polícias emocionados pela ligação à comunidade

Foi inaugurada na passada sexta-feira uma escultura de homenagem à PSP na sede da Divisão Policial das Caldas da Rainha, a propósito dos 150 anos do Comando Distrital. Peça da autoria de Carlos Oliveira em parceria com a empresa MVC Portuguese Limestones, representa “um gesto de apreço pela entrega abnegada dos nossos polícias no que fazem na defesa dos que mais precisam”, considerou o superintendente, Luís Carrilho, diretor nacional da PSP, presente na cerimónia.

escultura1 1

Caldense no pódio de Miss Inteligência Artificial

Olivia C. é uma influencer portuguesa, gerada por IA (Inteligência Artificial), que ficou no pódio do primeiro concurso de beleza de IA do mundo. Natural das Caldas da Rainha, Olivia ficou em terceiro lugar. Lalina, da França, ficou em segundo e a grande vencedora foi Kenza Layli, de Marrocos. 

olivia

Menor internado em centro educativo por atear seis fogos florestais

O Tribunal da Relação de Coimbra confirmou a pena de medida tutelar educativa de internamento em centro educativo, em regime fechado, pelo período de três anos, aplicada a um menor de quinze anos pelo Juízo de Família e Menores das Caldas da Rainha, pela prática de cinco crimes de incêndio florestal e outro qualificado como incêndio florestal agravado.

menor