Q

Previsão do tempo

21° C
  • Friday 26° C
  • Saturday 26° C
  • Sunday 23° C
21° C
  • Friday 27° C
  • Saturday 26° C
  • Sunday 23° C
21° C
  • Friday 28° C
  • Saturday 29° C
  • Sunday 25° C
Revela coordenador do Centro de Saúde

Constrangimentos impedem vacinação mais rápida no Cadaval

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
A vacinação contra a Covid-19 começou no Cadaval a 12 de janeiro, tendo sido administradas no concelho, até 5 de março, um total de 2311 inoculações de vacinas a 1389 pessoas, sendo que 922 utentes receberam a vacinação completa (duas inoculações) e 467 utentes conta ainda somente com a primeira inoculação da vacina, perante um universo concelhio a rondar os 14 mil utentes.
Gilberto Guimarães, coordenador do centro de saúde

Segundo Gilberto Guimarães, coordenador do centro de saúde, o avanço do processo está muito dependente do ritmo do fornecimento de doses à unidade de saúde.

Os critérios adotados para a convocação de utentes para a primeira fase de vacinação foram os descritos na Norma de Orientação Clínica emitida pela Direção-Geral da Saúde, contemplando profissionais de saúde envolvidos na prestação de cuidados a doentes, profissionais das forças armadas, forças de segurança e serviços essenciais, profissionais e residentes em Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas (ERPI) e instituições similares, e profissionais e utentes da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI).

Já receberam a vacinação completa 35 profissionais de saúde do Serviço Nacional de Saúde, 653 pessoas das ERPI’s e RNCCI (268 profissionais e 385 utentes) e 234 utentes com mais de 80 anos ou com comorbilidades (outras patalogias).

Apenas com a primeira dose administrada existe um profissional de saúde, duas pessoas de ERPI’s, 23 bombeiros, três colaboradores da Delegação do Cadaval da Cruz Vermelha Portuguesa e 440 utentes com mais de 80 anos ou comorbilidades.

Desde fevereiro o processo de vacinação passou a abranger pessoas de idade maior ou igual a 50 anos, com pelo menos uma das seguintes patologias: insuficiência cardíaca, doença coronária, insuficiência renal, doença pulmonar obstrutiva crónica ou doença respiratória crónica sob suporte ventilatório e/ou oxigenoterapia de longa duração.

Gilberto Guimarães aponta diversos constrangimentos sentidos pela equipa de saúde do Cadaval, nomeadamente o facto de o fornecimento da vacina acontecer apenas na semana de vacinação, entre segunda e terça-feira.

De acordo com o coordenador, a incerteza no número de frascos que irão ser fornecidos dificulta a programação das atividades, fazendo com que a gestão possa somente fazer-se diariamente e não com maior antecedência.

Por outro lado, o número de frascos de vacinas fornecidos semanalmente, até ao momento, é considerado diminuto, facto que impede o avanço mais rápido do processo vacinal.

Outro problema prende-se com a falta de espaço físico no centro de saúde do Cadaval para o tempo de espera dos utentes, essencialmente os 30 minutos convencionados para o pós-vacinação.

“Contamos ver este problema ultrapassado rapidamente, com a abertura de um CVC – Centro de Vacinação Covid-19 no Cadaval, o qual já foi solicitado”, declarou.

Também a falta de recursos humanos na equipa médica, devido à situação particular que se vive com a pandemia, é referida pelo profissional da saúde.

Gilberto Guimarães aponta, como causas, a alocação de médicos para as escalas de Atendimento Complementar (a realizar aos sábados na Unidade de Cuidados Saúde Personalizados – UCSP do Cadaval), a escala de admissão de doentes com queixas respiratórias na Área Dedicada para Doentes Respiratórios – C da Lourinhã, o seguimento diário em “Trace” Covid de todos os utentes diagnosticados com a doença ou que apresentam sintomas e estão suspeitos a serem infetados, e a escala de vacinação a ERPI’s, onde a equipa de vacinação é constituída por vários enfermeiros e um médico.

“Não existindo médicos externos para cobrir estas escalas, o que acontece é que a utilização dos médicos da UCSP Cadaval leva a desmarcações e atrasos nas consultas, com implicações imediatas e futuras na assistência médica à população do Cadaval”, explica o coordenador.

Identificada pelo clínico cadavalense foi também a falta de recursos humanos de enfermagem, o que conduz a “um défice importante” das horas afetas à garantia de continuidade de outros cuidados de saúde, como resposta no âmbito da consulta de saúde materna, planeamento familiar, diabetes, hipertensão, saúde infantil, rastreios, entre outros.

Também a Unidade de Cuidados na Comunidade, que está a desenvolver atividades no combate à pandemia, fica, por esse motivo, com carência de horas ao nível de várias outras valências e intervenções de relevância.

A falta de recursos humanos ao nível das assistentes técnicas é igualmente apontada.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

João Almeida com Covid-19 desiste do Giro d’Italia

A 18ª etapa do Giro d’Italia, nesta quinta-feira, fica marcada pela ausência do ciclista caldense João Almeida, que acusou positivo à Covid-19, sendo assim forçado a abandonar a prova, quando ocupava o quarto lugar, a 1 minuto e 54 segundos do líder e a 49 segundos do pódio.

almeida 3

Vigília com “abraço” ao hospital das Caldas da Rainha

Uma vigília que terminou com um cordão humano em frente à urgência do hospital das Caldas da Rainha foi a forma encontrada pela população para exigir medidas do Governo para melhorar as condições em que trabalham os profissionais de saúde. O alerta foi feito na noite da passada sexta-feira.

vigilia2