Q

Previsão do tempo

8° C
  • Friday 13° C
  • Saturday 12° C
  • Sunday 12° C
8° C
  • Friday 13° C
  • Saturday 12° C
  • Sunday 13° C
7° C
  • Friday 13° C
  • Saturday 11° C
  • Sunday 13° C
Escaparate

Huambo

Rui Calisto

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
No Planalto Central de Angola encontramos um município muito cosmopolita, refiro-me à formosa Huambo, que, entre os anos de 1928 e 1975, era conhecida por Nova Lisboa. Em todo o seu território apresentam-se-nos pessoas das mais diversas origens, porém, o português mantêm-se como a língua dominante.

A história legou a Huambo o epíteto de “Capital de um dos grandes reinos pré-coloniais” de todo o centro do país, os Ovimbundos, de etnia bantu, representados pelos Wambo, e que ocupam uma imensa área no âmago ocidental de Angola, chegando a estender-se desde o litoral até às regiões montanhosas de Benguela.

A província do Huambo, onde está situada a cidade com o mesmo nome, possui a sua riqueza ancorada em duas atividades: A extração mineral (manganês, diamantes, volfrâmio, ferro, ouro, prata, cobre, urânio, etc.) e a agropecuária, que, juntas, representam quase 80% da economia de toda a região. Além disso, é, também, um núcleo de excelência no âmbito académico, designadamente nas áreas de veterinária e investigação agrária, graças às duas instituições públicas de ensino, o Instituto Superior de Ciências da Educação do Huambo e a Universidade José Eduardo dos Santos.

Essa terra, abundante em recursos naturais e minerais, possui, também, uma extensa rede hidrográfica, e uma rede ferroviária cuja amplidão serve, na perfeição, para o desenvolvimento económico nacional, devido aos seus percursos interno e fronteiriço.

O Forte da Embala da Quissala (ou Forte de Huambo ou ainda Forte Cabral Moncada), a oito quilómetros de distância da cidade do Huambo, é atualmente um dos baluartes culturais de toda a província, recebendo anualmente um fluxo turístico relevante. Esse antigo emblema arquitetónico do poder local, testemunha da luta de resistência dos povos nativos contra os colonizadores, é classificado como Monumento e Sítio, estando integrado no património histórico-cultural de Angola. Graças a essa fortificação, apesar da distância, a cidade do Huambo é, nos dias atuais, também muito beneficiada do ponto de vista do turismo.

Após o ano de 2002 a localidade desenvolveu-se de modo mais intenso, graças ao surgimento de inúmeras infraestruturas sociais e económicas, o que permitiu a captação de mais investimento. É, igualmente, de registar positivamente o fortalecimento das facetas desportivas e culturais, cujas investidas nesses setores vêm dando excelentes frutos.

A urbe possui inúmeros jardins municipais e gigantescos campos floridos, tudo muito bem tratado, permitindo que toda a região trescale a frescor primaveril. Sobressaem, nestes recantos, diversas espécies de plantas, das quais se destacam as graciosas dálias (dizem que a província possui mais de quinhentas variedades).

Evidenciam-se ainda as calçadas, ruas, praças e avenidas cuidadas com esmero.

A cidade do Huambo vem, de modo organizado, recuperando o seu património histórico, cultural e ecológico. Uma urbe geminada com Caldas da Rainha, mas que, por tudo o que disse até aqui e à semelhança do que já referi relativamente a outros burgos irmãos deste concelho, nada existe de comum entre ambas.

Huambo, como dizem os historiadores locais, possui nome de Rei e rosto de Princesa. É uma cidade fresca, retemperadora, tendo as suas antigas cicatrizes transformadas num paraíso verde, onde sobressai a vida, a alegria e o progresso.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Mural homenageia a mulher da Nazaré

Está a nascer um novo mural dedicado à mulher nazarena e ao seu papel em diferentes áreas na sociedade local ao longo de décadas.

mural

Candidato do CDS em jornada agrícola

Na passada quarta-feira o candidato do CDS pelo distrito de Leiria, António Galvão Lucas, esteve no Bombarral, onde visitou a povoação de Pó para se inteirar das dificuldades dos produtores de bacelos, com quem conversou, seguindo-se uma visita a fruteiras da região também para saber da situação atual de produção e exportação da pérola do Bombarral, a pera rocha.

galvao

As mudanças na noite em 2022

De dia para dia, caminhamos para uma “morte lenta“ no setor da diversão noturna. A “abertura” que disponibilizaram a este setor não está a ser suficiente para capitalizar, salvar empregos, espaços, gestões e estruturas. É preciso apoio total do governo nacional,...