Q

Previsão do tempo

14° C
  • Thursday 26° C
  • Friday 28° C
  • Saturday 27° C
15° C
  • Thursday 26° C
  • Friday 29° C
  • Saturday 28° C
15° C
  • Thursday 28° C
  • Friday 32° C
  • Saturday 30° C

“Golpe das Caldas” assinalado junto ao monumento evocativo

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
A Câmara Municipal das Caldas da Rainha assinalou no dia 16 de março os 48 anos do “Golpe das Caldas”, que falhou, mas que acabou por ser o arranque para a revolta de 25 de abril de 1974. A data histórica foi comemorada com uma sessão evocativa, que se realizou junto ao “Monumento do 16 de Março”, instalado em frente ao quartel da Escola de Sargentos do Exército (ESE).
Entidades presentes na cerimónia evocativa

A Câmara Municipal das Caldas da Rainha assinalou no dia 16 de março os 48 anos do “Golpe das Caldas”, que falhou, mas que acabou por ser o arranque para a revolta de 25 de abril de 1974. A data histórica foi comemorada com uma sessão evocativa, que se realizou junto ao “Monumento do 16 de Março”, instalado em frente ao quartel da Escola de Sargentos do Exército (ESE).

Foi há 48 anos, na madrugada de 16 de março de 1974, que uma coluna de cerca de 200 militares do Regimento de Infantaria 5, atualmente Escola de Sargentes do Exército, saiu das Caldas da Rainha rumo a Lisboa para derrubar o governo. Mas o “Golpe das Caldas” falhou, acabando por ser “um acontecimento decisivo no caminho que, 40 dias depois, levou ao 25 de Abril e a um novo estado democrático”, afirmou o presidente da Câmara Municipal, Vitor Marques, junto ao “Monumento do 16 de Março”, do escultor José Santa Bárbara, que representa os muros da repressão que existia antes do 25 de Abril, a partir do qual é elevado um “canhão” que liberta uma espécie de fogo-de-artifício simbolizando a criação de uma nova democracia.
O autarca também lembrou que “o Golpe das Caldas foi um ato revolucionário, feito com muita fraternidade e sem grandes problemas, como, infelizmente, aqueles a que estamos a assistir atualmente, nomeadamente com a Ucrânia”.
Na iniciativa estiveram presentes vários autarcas e o 2º comandante da ESE, tenente-coronel Helder Coelho, que sublinhou que “o 16 de Março foi uma data importante para o país, pois foi um elemento percussor para a revolta de 25 de Abril e para o sistema político que temos hoje”.
Além desta ação, a autarquia entregou um exemplar da banda desenhada que conta a história do “Golpe das Caldas”, da autoria do mestre José Ruy, a todas as bibliotecas escolares do concelho.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Aluna caldense “Embaixadora UC à Frente” 

A caldense Beatriz Lopes, estudante do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas na Universidade de Coimbra, recebeu o prémio “UC à Frente”, atribuído pela Reitoria da Universidade de Coimbra (UC).

premio 1

Vigília com “abraço” ao hospital das Caldas da Rainha

Uma vigília que terminou com um cordão humano em frente à urgência do hospital das Caldas da Rainha foi a forma encontrada pela população para exigir medidas do Governo para melhorar as condições em que trabalham os profissionais de saúde. O alerta foi feito na noite da passada sexta-feira.

vigilia2

VMER volta a ter mais saídas para situações de trauma

A Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) das Caldas da Rainha no serviço de urgência do Centro Hospitalar do Oeste (CHO) voltou à situação “normal” de seis a sete saídas por turno de oito horas, número que havia reduzido nos dois últimos anos de pandemia. No dia 15 de maio foi celebrado o 20º aniversário da VMER.

vmer 1