Q

Previsão do tempo

19° C
  • Tuesday 21° C
  • Wednesday 20° C
  • Thursday 20° C
19° C
  • Tuesday 21° C
  • Wednesday 21° C
  • Thursday 20° C
20° C
  • Tuesday 22° C
  • Wednesday 22° C
  • Thursday 21° C

PS ultrapassa PSD em deputados pelo distrito de Leiria

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
No círculo eleitoral de Leiria, o PS conseguiu cinco deputados (35,73% dos votos), enquanto que o PSD ficou com quatro (34,68%) e o Chega elegeu um deputado (8,02%).
Votação no distrito de Leiria

No círculo eleitoral de Leiria, o PS conseguiu cinco deputados (35,73% dos votos), enquanto que o PSD ficou com quatro (34,68%) e o Chega elegeu um deputado (8,02%).

A quarta força partidária é agora a Iniciativa Liberal (5,26%), mas não alcançou nenhum deputado. Segue-se o Bloco de Esquerda (4,54%), CDU (3,11%), CDS (2,05%), PAN (1,31%), Livre (1,05%), R.I.R. (0,51%), ADN (0,33%), Nós, Cidadãos (0,16%), Movimento Partido da Terra (0,15%), Movimento Alternativa Socialista (0,11%), Volt Portugal (0,09%, Ergue-te (0,07%) e Partido Trabalhista Português (0,06%).

Vão representar o PS o bombarralense (apesar de ter nascido no hospital das Caldas) Lacerda Sales, atual secretário de estado adjunto e da saúde, Eurico Dias, secretário de estado da internacionalização, Catarina Sarmento Castro, secretária de estado dos recursos humanos e antigos combatentes, a deputada caldense Sara Velez e o nazareno e chefe de gabinete do presidente da Câmara da Nazaré, Salvador Formiga.

O PSD terá na Assembleia da República Paulo Mota Pinto, presidente da Assembleia Municipal de Pombal, docente universitário e jurista, Hugo Oliveira, vereador na Câmara das Caldas da Rainha e deputado, a deputada e advogada Olga Silvestre, de Porto de Mós, e o deputado João Marques. O bombarralense João Carlos Duarte já não conseguiu entrada.

O cabeça de lista do Chega no distrito e vice-presidente nacional, Mithá Ribeiro, é o deputado do partido.

Em comparação com as eleições de 2019, o PSD perdeu um deputado, o PS ganhou um e o Bloco de Esquerda ficou sem deputado, ao contrário do Chega, que se tornou a terceira força partidária e elegeu um deputado.

Socialistas com mais votos nas Caldas

Nas Caldas da Rainha, o PS foi o partido que mais votos recolheu nestas Legislativas, com 36,56% (9068), à frente do PSD, que obteve 32,25% (7999). O Chega foi o terceiro partido, com 8,06% (2000).

Os restantes votos ficaram assim distribuídos: Bloco de Esquerda 5,54% (1373), Iniciativa Liberal 5,50% (1365), CDU 3,04% (754), CDS 2,10% (521), PAN 1,53% (379), Livre 1,42% (353), R.I.R. 0,54% (134), ADN 0,35% (86), Nós, Cidadãos 0,15% (38), Movimento Alternativa Socialista 0,13% (33), Movimento Partido da Terra 0,10% (25), Volt 0,10% (25), Ergue-te 0,10% (24) e Partido Trabalhista Português 0,05% (13).

A abstenção nas Caldas da Rainha atingiu 45,14% (20409). Dos 45213 inscritos, 24804 votaram. Houve 252 votos nulos (1,02%) e 362 em branco (1,46%).

Nas freguesias da cidade (Nossa Senhora do Pópulo, Coto e São Gregório, e Santo Onofre e Serra do Bouro), em Tornada e Salir do Porto, na Foz do Arelho, em Salir de Matos e em A-dos-Francos, o PS dominou, perdendo para o PSD nas restantes (Nadadouro, Landal, Carvalhal Benfeito, Santa Catarina, Alvorninha e Vidais). Ou seja, em doze freguesias, seis foram vencidas pelo PS e outras seis pelo PSD.  Equilíbrio apenas no número de freguesias, sendo a diferença feita pelo número de eleitores.

Nos outros quinze concelhos do distrito de Leiria, o domínio foi repartido. O PS ganhou em Peniche, Bombarral, Óbidos, Nazaré, Marinha Grande, Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pêra, e o PSD em Alcobaça, Porto de Mós, Batalha, Leiria, Pombal, Ansião, Pedrógão Grande e Alvaiázere.

Maioria absoluta no país

Estando por atribuir quatro mandatos, relativos à votação dos portugueses residentes no círculo da Europa e fora da Europa, dos 226 lugares já entregues, 117 são do PS (mais 11 do que em 2019), que assim consegue a maioria absoluta.

O PSD ficou com 71 deputados (menos 6, embora tenha obtido mais votos do que 2019), o Chega com 12 (mais 11), a Iniciativa Liberal com 8 (mais 7), a CDU com 6 (menos 6) e o Bloco de Esquerda com 5 (menos 14, apesar de ter mais votos que a CDU). Um deputado dá representação ao PAN (menos 3) e ao Livre (mantém) na Assembleia da República. O CDS fica sem deputados (perdeu 5, apesar de ter recolhido mais votos do que o PAN e o Livre).

A aliança entre PSD e CDS na Madeira permitiu eleger 3 deputados, enquanto que nos Açores foram eleitos 2 deputados pela união entre PSD, CDS e PPM.

Votaram 57,96% dos 9.298.390 eleitores inscritos.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Obras no IC2 obrigam a desvios

Os acessos ao IC2 estão condicionados na freguesia da Benedita durante aproximadamente sessenta dias, devido à empreitada de beneficiação da via, informou a Infraestruturas de Portugal.

Deputados municipais congratulam-se com escolha para futuro hospital

Os membros da Assembleia Municipal do Bombarral, reunidos a 24 de junho na sede da Associação de Melhoramentos, Recreativa, Desportiva e Cultural da Roliça, congratulam-se com o estudo mandado fazer pela OesteCIM que comprova que o Bombarral é a melhor localização para a implantação do futuro Hospital do Oeste e aprovaram uma moção que manifestam todo o apoio à Câmara, bem como o total apoio e disponibilidade para as futuras diligências que se considerem necessárias para concretizar o processo.

mocao

1ª Feira Medieval do Carvalhal

A 1ª Feira Medieval do Carvalhal decorreu entre 24 e 26 de junho, com gastronomia, artesanato e animação histórica, que levaram muitos visitantes a esta localidade do concelho do Bombarral.

medieval