Q

Previsão do tempo

16° C
  • Tuesday 21° C
  • Wednesday 20° C
  • Thursday 20° C
16° C
  • Tuesday 21° C
  • Wednesday 21° C
  • Thursday 20° C
16° C
  • Tuesday 22° C
  • Wednesday 22° C
  • Thursday 21° C
Escaparate

CCC – O ouro da terra

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
O CCC – Centro Cultural e de Congressos das Caldas da Rainha é, como se sabe, um belíssimo espaço cultural que reúne um conjunto de mais-valias, nomeadamente o facto de possuir o maior palco do país.

Escaparate

O CCC – Centro Cultural e de Congressos das Caldas da Rainha é, como se sabe, um belíssimo espaço cultural que reúne um conjunto de mais-valias, nomeadamente o facto de possuir o maior palco do país.

O seu projeto foi iniciado no ano de 2006, pela mão do arquiteto Ilídio Pelicano, sendo inaugurado a 15 de maio de 2008. Estive presente nessa importante data, convidado pelo dr. Fernando Costa, à época presidente da Câmara Municipal.

As suas linhas arquitetónicas trouxeram um ar de modernidade ao concelho caldense, permitindo à sua população a possibilidade de mergulhar em diversos quadrantes, porém, a sua programação, nestes quase catorze anos de existência, ainda não compreendeu a mostra de todas os rostos artísticos (teatro, cinema, artes plásticas, música, literatura, etc.) possíveis, limitando-nos sempre a um gosto muito particular, fugindo, assim, e em demasia, da proposta inicial (“O edifício do CCC nasceu de um concurso lançado pelo Município das Caldas da Rainha, motivado pela ideia ambiciosa de dotar a cidade de uma sala que se proporcionasse à promoção de uma grande diversidade de espetáculos, desde a ópera ao circo…”).

Diversos tópicos da Missão do CCC não foram cumpridos, entre eles a “Difusão do que melhor se faz Culturalmente em Portugal e no Mundo”, a “aproximação do Público em geral às Artes”, e o “Proporcionar não um Evento por si só, mas uma Experiência Cultural”.

Infelizmente, como se comprovou, o CCC fechou-se em si próprio, limitando-se a um confinamento cultural impensável no século XXI. O Centro Cultural e de Congressos das Caldas da Rainha não foi para a rua, não alcançou as freguesias caldenses, não assentou em valores de proximidade. Chamou público em diversas ocasiões, porém não os soube fixar. Em muitos momentos aquela magnífica estrutura comportou-se como uma ilha. Não explorando conhecimentos e não comunicando eficazmente com o concelho.

É necessário desenvolver relações personalizadas e estáveis com o concelho, o distrito e o país, porém, para isso, não podemos gerir o CCC como se fosse uma associação recreativa.

O Centro Cultural e de Congressos das Caldas da Rainha é a terceira estrutura mais importante da cultura portuguesa, ficando atrás, apenas do CCB – Centro Cultural de Belém (Lisboa) e da Casa da Música (Porto), apesar disso comporta-se como se fosse uma sociedade de bairro, fugindo a sete pés do desenvolvimento, da criação e da difusão da arte em todas as suas especificidades.

Uma das suas missões deve ser, sem dúvida, a de tornar-se um embaixador da identidade cultural da sua região e do seu país, mas, também, uma porta aberta para o que de melhor se faz além-fronteiras. Tornando a arte imprescindível para a sociedade, permitimos que essa mesma grei seja uma plataforma de conhecimento para a nação, o que fará desta, tipo efeito-dominó, um exemplo planetário.

O novo diretor geral/programador do CCC deve ser um indivíduo com vasto conhecimento cultural, inúmeros contatos em diversos campos artísticos nacionais e internacionais, e muita disposição para transformar aquela Casa no maior polo cultural da Europa (assim como Caldas da Rainha poderia ser a melhor estância termal europeia).

O Centro Cultural e de Congressos das Caldas da Rainha deve ser encarado como o grande motor da recuperação económica do concelho, para isso é urgente a implementação de um traçado estratégico de desenvolvimento, com arrojo, e com legações bem definidas. Caldas da Rainha (juntamente com toda a Região Oeste, encabeçando-a) poderia ter sido uma das grandes candidatas a Capital Europeia da Cultura 2027, só não o é porque uma parcela da sua classe política vê o concelho de modo pequeno. Não façam o mesmo com o CCC.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Não adoeça neste verão, ok?

O presidente da República de Portugal fez este patético apelo aos portugueses: “Vamos todos tentar não adoecer neste Verão”, numa assunção de que o Serviço Nacional de Saúde está um caos, consequência da incompetência ou falta de vontade de resolver os problemas, ou ainda, pelo conluio do Governo com o setor privado da saúde.

Água das Caldas

A investigação cuidada traz-nos sempre boas-novas e inúmeras curiosidades. Recentemente, em renomado arquivo brasileiro, encontrei uma singular informação acerca da água termal de Caldas da Rainha, substância muito desejada, nos idos do século XIX, em terras de Vera Cruz.

O problema do SNS é na sua essência económico

Por estes dias todos estamos preocupados com a saúde do Sistema Nacional de Saúde (SNS). E cheios de razão para essa preocupação. Todos os dias assistimos a problemas em hospitais, centros de saúde deste nosso Portugal. É uma evidência que algo de errado se passa.