Q

Previsão do tempo

13° C
  • Saturday 18° C
  • Sunday 18° C
  • Monday 17° C
13° C
  • Saturday 19° C
  • Sunday 18° C
  • Monday 17° C
13° C
  • Saturday 19° C
  • Sunday 19° C
  • Monday 18° C
Olhar JSD

A nossa cultura política

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
O fanatismo político ocupa, hoje em dia, demasiado tempo de antena da nossa praça. Temos discussões políticas vazias e abstratas, cujo conteúdo insignificante não capta nem atrai a atenção dos eleitores. Perante esta dificuldade, os políticos caem na tentação do discurso fácil, demagogo e de ataque direto ao adversário, tornando a política num big brother triste e indigno.

Olhar JSD

O fanatismo político ocupa, hoje em dia, demasiado tempo de antena da nossa praça. Temos discussões políticas vazias e abstratas, cujo conteúdo insignificante não capta nem atrai a atenção dos eleitores. Perante esta dificuldade, os políticos caem na tentação do discurso fácil, demagogo e de ataque direto ao adversário, tornando a política num big brother triste e indigno.

Estamos a viver aquela que é considerada a eleição “mais democrática de todas”. As Autárquicas. Estas que são o núcleo da nossa democracia e devem ser o exemplo da boa-prática política. É onde existe maior proximidade à população, onde podemos presenciar a evolução das propostas e, essencialmente, temos feedback diário dos eleitores.

É aqui que devemos depositar todas as fichas. Se queremos promover uma mudança na cultura política em Portugal tem de ser aos poucos, de baixo para cima. Sabemos que com o surgimento das redes sociais, a discussão pública se tornou pouco coerente e objetiva, com mais ruído e menos ponderação. A própria campanha eleitoral se torna mais ambígua e assente em premissas que não as propostas e a visão para o município. Hoje, naturalmente, muito da campanha migra para estas plataformas, perdendo alguma qualidade de conteúdo, com mais investimento na vertente comunicativa. A mensagem chega a mais gente, mas não é tão incisiva quando comparada com o método tradicional.

São mudança políticas que se vão fazendo, tentando acompanhar caminho da sociedade. Não obstante de todas as qualidades que as campanhas “virtuais” têm, trazem-nos igualmente pontos negativos. Desde logo, o facto de haver uma plataforma entre os dois elementos necessários à comunicação – emissor e recetor – traz algumas reticências. Na realidade, estamos escondidos por detrás de um equipamento eletrónico. Desde as fake news aos falsos perfis – a velha parábola do lobo em pele de cordeiro…-, são inúmeros os métodos usados para promover e propagar informações e, até, para fazer ameaças. Reduz-se o confronto político a caixas de comentários e a mensagens indiretas. E utiliza-se o enevoado mundo online como esconderijo. Isso, meus amigos, não é política.

Exigem-se campanhas saudáveis, honestas e pela positiva. Construtivas. Realistas. Abertas à crítica, ao debate de ideias e à troca de opiniões. As pessoas estão saturadas dos políticos que tentam vencer vendendo a ideia de que os outros são os piores. Dizer mal de um adversário político demonstra falta de personalidade e humildade. Não são estas as características de um líder.

Não podemos criticar e fazer o mesmo. Diz-se que a definição de insanidade é fazer a mesma coisa repetidamente e esperar resultados diferentes. Esta lição deve ser entendida politicamente. É por isso que o conformismo leva a grandes derrotas.

Nós não nos conformamos. Queremos mais. Queremos fazer mais pela nossa cidade, pela nossa juventude. Apresentamos um programa extenso, objetivo e sustentável, com a nossa visão para o concelho que vai desde o Landal à Foz do Arelho. Olhamos a 360 graus, pois só assim poderemos promover um crescimento saudável.

Dia 26 vão às urnas! Sem medos e sem receios, usem a força do voto para transmitir a vossa mensagem.

André Santos, vice-presidente da JSD Caldas da Rainha

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Oeste e agora?

Estamos em 2024 e temos um novo governo. Um novo partido guia as opções futuras do país. Naturalmente, serão de esperar mudanças em várias áreas sensíveis, nomeadamente na saúde. Neste contexto cremos que uma decisão deve ser revista por quem agora dirige, no que à...

Diversão noturna e viagens de finalistas

Com a Páscoa, mais uma data festiva se passou, uma data muito celebrada ao longo dos anos no que toca a diversão noturna. De norte a sul foram muitos os eventos de celebração da mesma, contudo, já não é como outrora, em que se faziam romarias com família e amigos para diversos espaços noturnos espalhados pelo país fora.

ruben alves2