Q

Previsão do tempo

19° C
  • Sunday 22° C
  • Monday 22° C
  • Tuesday 19° C
19° C
  • Sunday 23° C
  • Monday 23° C
  • Tuesday 21° C
19° C
  • Sunday 25° C
  • Monday 25° C
  • Tuesday 23° C

Campeonato III Divisão – Série E -1ª Jornada

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Caldas iniciou campeonato com empate caseiro   Caldas 1 Oeiras 1   Campo da Mata, Caldas da Rainha Árbitro: Rui Mendes, auxiliado por João Roldão e Gonçalo Freira, do CA de Santarém Caldas Ricardo Campos; Bruno Francisco (Luís Almeida, 76’), Rui Almeida, João Pinto e Tiago Santos “cap”; Pidocha, Ducher (Miguel Pinho, 45’), Chamusco (Marcel, […]

Caldas iniciou campeonato com empate caseiro   Caldas 1 Oeiras 1   Campo da Mata, Caldas da Rainha Árbitro: Rui Mendes, auxiliado por João Roldão e Gonçalo Freira, do CA de Santarém Caldas Ricardo Campos; Bruno Francisco (Luís Almeida, 76’), Rui Almeida, João Pinto e Tiago Santos “cap”; Pidocha, Ducher (Miguel Pinho, 45’), Chamusco (Marcel, 87’) e André Simões; João Rodrigues e Sabino Suplentes: Diogo Soares, Ricardo Santos, Ruben Sancheira, Jorge Barros Treinador: Gila Oeiras Mourão; Pedro, Lima “cap”, Chico e Califa; Cuca, Luís Carlos e Jorge Cordeiro (Cláudio, 82’); Piri, Rogério (Morais, 58’) e Milton (Serginho, 54’) Suplentes: Noel, João Santos, Marcelo, Leonel Treinador: Alexandre Jesus Ao intervalo: 1-1 Marcadores: Pidocha (36’); Luís Carlos (41’) Disciplina: Cartão amarelo: Duscher (44’) e André Simões (90’’); Pedro (31’ e 52’) e Chico (74’) Cartão vermelho: Pedro (52’), por acumulação   Um a um foi o resultado alcançado pelo Caldas no primeiro desafio do campeonato. O adversário do Caldas foi recebido no Campo da Mata, com a presença de pouco público, num encontro em que os alvinegros estiveram em vantagem no marcador e em vantagem numérica a partir dos 52’, contudo, os caldenses não souberam aproveitar a vantagem e não foram além de um empate. Com jogadores de uma forte estatura, o Caldas começou com algumas dificuldades em conseguir a posse de bola, com os forasteiros a terem a capacidade de dominar os lances, no entanto, depois do Oeiras fazer a primeira jogada de perigo através de um remate de Chico, o Caldas deu um “pulo” e passou para a frente do adversário. Aos 22’, após a marcação de um canto, e já com o guarda-redes batido, Chamusco atirou por cima da barra. As oportunidades caldenses sucederam-se, ora através de um livre directo apontado por Pidocha, ora por intermédio de João Rodrigues após passe de Tiago Santos, porém, ambas jogadas não resultaram em golo. Face as ocasiões criadas pelos alvinegros, adivinhava-se o golo do Caldas e o mesmo acabou por surgir, aos 36’, por Pidocha. Um canto apontado por Bruno Francisco foi certeiro para a cabeça de Pidocha. Em vantagem no marcador, o Caldas ainda fez o segundo golo, mas o árbitro assinalou fora de jogo a Sabino e o mesmo não contou. Na resposta, o Oeiras chegou ao empate com um golo de livre directo. O autor do tento foi Luís Carlos, aos 41’. No segundo tempo, o Caldas entrou melhor e logo aos 52’ ficou com mais uma unidade em campo, uma vez que Pedro viu o segundo amarelo e foi expulso. Porém, ficar com mais um jogador em campo não foi benéfico para o Caldas, que viu as suas dificuldades aumentadas. O facto de estar em vantagem numérica começou por dar alguma ansiedade aos caldenses e os lances teimavam em não surgir, contudo, com o decorrer do tempo o Caldas esteve perto de marcar. O Oeiras apostou tudo no aspecto defensivo para segurar pelo menos um ponto, o que tornou muito complicada a tarefa do Caldas. Nos minutos finais, o Oeiras esteve perto de marcar, valendo a intervenção do guardião das redes alvinegras.   A.N. (texto) Carlos Barroso (fotos)       Gila – treinador do Caldas   “Estou satisfeito com o desempenho dos jogadores” “Tenho que aceitar o resultado pela ineficácia na finalização. Apanhámos uma equipa que com menos um se fechou bastante no seu meio-campo. Nós tentámos lateralizar, criar espaço, conseguimos algumas situações de golo, não conseguimos finalizar. Não podemos exigir ainda coisas que não temos nesta altura, o que estava em campo seria o possível para ganhar o jogo, infelizmente não se conseguiu. Eles também ocuparam muito bem o espaço em frente da sua baliza, inclusivamente algumas bolas eram para entrar e estavam lá um, dois homens para não deixar. Voltámos a cometer um erro numa situação de bola parada. Estou satisfeito com o desempenho dos jogadores, estou triste porque estivemos perto da vitória e era importante começar a ganhar, mas ainda estamos na primeira jornada. Vamos ter um jogo interessante em Barcelos, não temos nada a perder, a pressão está toda do lado do Gil Vicente. Para nós que seja um prémio para estes jovens que vão pisar outros palcos, ter outra atenção mediática. Nestes jogos há sempre alguma displicência da equipa mais forte, vamos esperar que isso aconteça, do nosso lado temos que ter um Caldas no limite das sua produção, no que depender de nós vamos tentar provocar inoperância no adversário, mas vamos encarar como um jogo de festa como deve ser um jogo de Taça de Portugal”       Chamusco – Jogador do Caldas   “Estamos com um grupo muito forte”   “Foi um jogo muito duro, de muita luta, acho que fomos melhor mas pecámos um pouco na finalização, falhámos todos. Temos vindo a marcar muitos golos mas todos falhámos um bocadinho, não conseguimos dar aquele bocadinho que faltava para ganhar o jogo. É uma equipa que do meio campo para a frente é muito forte, tem jogadores muito rápidos na frente, o golo que sofremos acabou por ser um bocado consentido, acho que foi o único erro que tivemos, mas tivemos muito mais oportunidades e não conseguimos marcar e o resultado deve-se a isso. Estamos com um grupo muito forte, mesmo nas férias juntámo-nos cinco, seis vezes para fazer jantares, só isso demonstra a amizade que existe entre todos. Quanto a mim este ano estou mais disponível, já passou um ano da doença, fiz a pré-época e as coisas estão a começar a correr melhor, sou mais um para ajudar. Jogar com o Gil Vicente vai ser uma motivação diferente, é uma equipa profissional, mas não temos nada a perder, vamos para nos divertir e tentar fazer o melhor e isso seria ganhar”   Alexandre Jesus – Treinador do Oeiras   “Foi um jogador sofrido”   “Foi um jogo sofrido, com menos uma unidade a partir dos 10 minutos da segunda parte. Assumimos um jogo mais defensivo para tentar aproveitar uma transição, tivemos no fim uma bola parada em que podíamos ter tido um pouco mais de sorte. O nosso objectivo é entrar em todos os jogos para ganhar”

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Workshop de Forró 

A Associação Óbidos Dance organiza um Workshop de Forró com a colaboração do Espaço Baião - Centro Cultural e Escola de Dança, no dia 18 de maio, entre as 16h00 e as 18h00, no Largo de São Marcos, nas Gaeiras.

workshop forro

Colóquio “Portugal na Idade do Gelo”

A Arméria - Movimento Ambientalista de Peniche e o Rotary Clube de Peniche organizam no dia 10 de maio, pelas 21h00, no Auditório Municipal de Peniche, o colóquio "Portugal na Idade do Gelo: do sistema do Almonda à Gruta do Caldeirão, passando pela Furninha", tendo como orador convidado João Zilhão.