Q

Previsão do tempo

16° C
  • Saturday 23° C
  • Sunday 24° C
  • Monday 25° C
17° C
  • Saturday 24° C
  • Sunday 25° C
  • Monday 26° C
17° C
  • Saturday 26° C
  • Sunday 27° C
  • Monday 28° C
Escaparate

E agora CCC?

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Será que o Centro Cultural e de Congressos de Caldas da Rainha perderá a caraterística regional com a chegada do novo diretor/programador? Creio que não. Nada se alterará, no seu modus operandi, se o atual arquétipo de gestão permanecer.

Escaparate

Será que o Centro Cultural e de Congressos de Caldas da Rainha perderá a caraterística regional com a chegada do novo diretor/programador? Creio que não. Nada se alterará, no seu modus operandi, se o atual arquétipo de gestão permanecer.

Desde a sua fundação, contemplamos uma regionalização profunda, um absurdo para um equipamento de proporções internacionais e de grande escala cultural.
Até aqui ocorreram eventos importantes? Sim! Mal seria se o mesmo não tivesse acontecido. Porém, não foi o suficiente para o colocar num patamar de excelência global. Para comprovar o que digo basta ver a vergonha da não aprovação do apoio financeiro da Rede de Teatros e Cineteatros Portugueses, problema derivado do modelo de administração existente, e não da sua programação.
A gestão anterior estava mergulhada num total desconhecimento acerca dos mecanismos financeiros presentes no contexto económico europeu, não aproveitando nenhum caminho facilitador para que a estrutura pudesse ser beneficiada com recursos significativos. Também nunca foi efetuado um estudo relativo ao público que poderia frequentar aquele espaço cultural, adequando a programação às suas necessidades. Não se pensou em qual o enquadramento a dar ao setor criativo, e jamais alguém se debruçou sobre das possibilidades de quais as políticas culturais existentes, no campo da novidade, tanto a nível nacional quanto internacional, que pudessem ser implantadas na pauta do citado equipamento.
Outro ponto importante: É fundamental analisar todos os fatores que podem incentivar o apoio mecenático, o que também não foi feito até aqui.
Até agora, o Centro Cultural e de Congressos de Caldas da Rainha foi dirigido de um modo amador, como se fosse uma associação de bairro.
Se vozes se levantarem, empurrando a “batata quente” para a CulturCaldas – Associação de Produção, Gestão e Desenvolvimento Cultural, supostamente responsável pela sua ação gerencial, então temos um problema acrescentado, pois essa instituição não tem feito o trabalho de casa, servindo apenas como “cabide de emprego”. Assim sendo, não serve aos interesses do concelho, sendo apenas um sorvedouro de verba. O caminho correto a seguir seria, portanto, o da sua extinção.
Neste processo que se aproxima (o da escolha do novo diretor e programador do CCC) existe outra situação delicada, e que a sociedade caldense desconhece: A vereadora da Cultura e o presidente da União de Freguesias de N. S. do Pópulo, Coto e São Gregório, fazem parte do júri, o que não é ético, e pode significar um processo nada transparente.
Infelizmente, desde o início, no Centro Cultural e de Congressos de Caldas da Rainha, o discurso económico foi invadindo a prédica cultural. Todos os fundos necessários para que o mesmo tenha alto desempenho devem ser encarados como investimento, e não como despesa (o CCC não é uma mercearia, portanto, não pode ser gerido como tal).
Uma das mais-valias desse organismo são os seus funcionários e todos, sem exceção, devem ser valorizados, com um significativo aumento de ordenado, e um acertado equilíbrio em seus horários de trabalho. É necessário, igualmente, a contratação de mais técnicos (profissionais gabaritados e não amigos e familiares dos autarcas).
Prezado leitor, sinceramente, para o bem das Caldas da Rainha desejo toda a felicidade a quem assumir a direção/programação do CCC. Não será fácil, pois, neste concelho, há um elefante sentado no centro da sala. Pobre Cultura.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Não adoeça neste verão, ok?

O presidente da República de Portugal fez este patético apelo aos portugueses: “Vamos todos tentar não adoecer neste Verão”, numa assunção de que o Serviço Nacional de Saúde está um caos, consequência da incompetência ou falta de vontade de resolver os problemas, ou ainda, pelo conluio do Governo com o setor privado da saúde.

Água das Caldas

A investigação cuidada traz-nos sempre boas-novas e inúmeras curiosidades. Recentemente, em renomado arquivo brasileiro, encontrei uma singular informação acerca da água termal de Caldas da Rainha, substância muito desejada, nos idos do século XIX, em terras de Vera Cruz.

O problema do SNS é na sua essência económico

Por estes dias todos estamos preocupados com a saúde do Sistema Nacional de Saúde (SNS). E cheios de razão para essa preocupação. Todos os dias assistimos a problemas em hospitais, centros de saúde deste nosso Portugal. É uma evidência que algo de errado se passa.