Q

Previsão do tempo

14° C
  • Friday 14° C
  • Saturday 13° C
  • Sunday 15° C
14° C
  • Friday 14° C
  • Saturday 14° C
  • Sunday 14° C
15° C
  • Friday 14° C
  • Saturday 13° C
  • Sunday 16° C

“Hawai de Alfeizerão” é investimento em campismo com charme

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
O conceito de acampar com elegância e charme vai ser explorado em breve em Alfeizerão, com a criação de um Parque de Glamping, Eco Resort e Parque de Autocaravanas intitulado “Hawai de Alfeizerão”, em construção no Casal da Ponte, num investimento que rondará entre 150 a 200 mil euros da Junta de Freguesia, com o apoio da Câmara Municipal de Alcobaça.
Os bungalows em forma tribal de tipi, caraterística visual do estilo glamping

O conceito de acampar com elegância e charme vai ser explorado em breve em Alfeizerão, com a criação de um Parque de Glamping, Eco Resort e Parque de Autocaravanas intitulado “Hawai de Alfeizerão”, em construção no Casal da Ponte, num investimento que rondará entre 150 a 200 mil euros da Junta de Freguesia, com o apoio da Câmara Municipal de Alcobaça.

O dicionário explica que glamour é sinónimo de sedutor, atraente, fascinante, elegância e charme. A fusão com camping (ato de acampar) resulta em glamping e é essa a proposta do novo empreendimento, que muda o antigo conceito de campismo.

“É uma iniciativa amiga do ambiente, corajosa, visionária. Pretende ser um Pólo Turístico Misto, e um Espaço Temático Lúdico/Cultural, que intencionalmente chama a atenção pela diferença e invulgaridade da sua imagem, de maneira a atrair à nossa localidade turistas nacionais e estrangeiros, preenchendo um vazio da freguesia”, assim se apresenta o “Hawai de Alfeizerão”.

“Receber turismo e promover iniciativas culturais e lúdicas, com eventos de pequena dimensão de várias índoles, como exposições, teatro, atuações musicais, workshops, dando voz à expressão cultural tanto da freguesia, como do concelho, mas também abertos às culturas distantes dos visitantes”, são os objetivos do espaço, que pretende ser “uma mais valia direta de rendibilidade para a autarquia local, e pela diferença, fantasia e singularidade, chamar a atenção para Alfeizerão e incentivar a economia direta e indireta da vila”.

A inspiração temática do “Hawai de Alfeizerão” é um “tributo à construção naval nos grandes estaleiros de Alfeizerão, cujo porto, no final do século XVI, e como rezam documentos históricos, tinha capacidade para albergar 80 navios de alto bordo”.

Assim, um aspeto a explorar é “dar a conhecer a importância histórica de Alfeizerão na origem e casa de partida para os Descobrimentos Portugueses como um grande porto de mar, e um dos maiores estaleiros de construção naval mundial à época, onde foi construída grande parte das embarcações que levaram os portugueses a todos os cantos do mundo, até finais do século XIX, que coincide com o registo da maior deslocação em massa de portugueses (cerca de 20.000), quase em simultâneo, precisamente para o Hawai”.

Foi nessa data em que apareceu a chapa de ferro, responsável pelo declínio do uso da madeira na construção naval, que entretanto, e devido ao terramoto de 1755 e consequente assoreamento, já estaria mais deslocada para São Martinho do Porto.

A inspiração do “Hawai de Alfeizerão” assenta nas “naus e caravelas aqui construídas com a madeira do Pinhal de Leiria, e também nos estaleiros da Pederneira da Nazaré, que os portugueses chegaram a destinos exóticos pelo mundo, tais como África, Índia, Malásia, China, Macau, Japão, Timor, Brasil, etc”.

“É tempo de voltar à casa de partida, onde não foi colocada a primeira pedra, mas sim a primeira “tábua” e trazer com fantasia, para junto de nós, esse exotismo dos destinos remotos onde chegaram as nossas embarcações construídas aqui em Alfeizerão. É necessário recuperar esse orgulho na história de Alfeizerão e prestar-lhe a devida importância”, vinca o projeto.

No espaço, para além de piscina com escorrega e ginásio, haverá a imagem da mistura de estilos exóticos, começando pelos totens (figuras tribais que se associa aos lugares distantes onde se chegou), o padrão em pedra alusivo aos Descobrimentos, os bungalows em forma tribal de tipi (caraterística visual do estilo glamping), a decoração dos tipis alusiva aos locais de chegada dos portugueses, a construção em madeira, tal como as naus e caravelas construídas, as palmeiras (yucas) e finalmente o espírito exótico, na figura da fantasia do Hawai, que apela ao ambiente descontraído e turístico, com a proximidade das praias do concelho de Alcobaça, e não só, pois também aposta na proximidade da Nazaré, que tem o seu famoso hawaiano, o surfista das ondas grandes Garrett McNamara, que deu um grande contributo para o turismo na região.

De acordo com o empreendimento, “estima-se que dez por cento da população hawaiana seja lusodescendente, e a presença portuguesa no Hawai é tão forte que foi erigido no centro da sua capital, Honolulu, um padrão alusivo aos Descobrimentos Portugueses”.

Gaspar Fiúza, nome ligado às artes do espetáculo, é o autor conceptual do complexo, divulgador e dinamizador do espaço e tem vindo a promover o empreendimento, convidando figuras públicas de televisão como forma de torná-lo mediático, como é o caso do ator Vitor Norte, que manifestou intenção em participar na inauguração,  vindo vestido à Camões e prometeu uma declamação de um texto da sua autoria alusivo ao tema. O cantor Francisco Mendes é outro dos fãs do “Hawai de Alfeizerão”.

Prevê-se que a inauguração do “Hawai de Alfeizerão” possa ocorrer dentro de alguns meses, admitiu o presidente da junta, Leonel Ribeiro, para quem o projeto é inovador no concelho e deverá permitir alavancar o nome da freguesia para captar mais turistas nacionais e estrangeiros.

“Esta iniciativa deve-se a uma lacuna que existia na freguesia, como resposta ao turismo e ao ambiente. A nível financeiro vai ser um retorno, uma fonte de receita que a freguesia não tinha”, manifestou o autarca, que pretende que a vila seja conhecida para além do pão de ló.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Proteção Civil com simulacros durante uma semana

Ao longo de mais de uma semana, entre 4 e 14 de março, o Serviço Municipal de Proteção Civil (SMPC) das Caldas da Rainha realiza o Caldex’24, um programa que inclui exposição de meios e simulacros de incêndios, resgate no mar, roubo de automóvel e acidente de viação.

protecao1

Empresários de rua na Zona Industrial querem troço alcatroado 

Os proprietários das empresas situadas da Rua da Indústria, nas Caldas da Rainha, querem ver alcatroado o troço de terra batida onde finaliza ou começa a rua (consoante a posição). Os proprietários alegam que esperam “há bem mais de 5 anos pelo alcatroamento de um troço com menos de 100 metros”.

rua da industria