Q

Previsão do tempo

20° C
  • Monday 22° C
  • Tuesday 22° C
  • Wednesday 22° C
20° C
  • Monday 23° C
  • Tuesday 22° C
  • Wednesday 23° C
20° C
  • Monday 24° C
  • Tuesday 24° C
  • Wednesday 25° C

Edifícios com faixas negras e concentração de protesto contra perda de serviço hospitalar

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
O presidente da Câmara Municipal das Caldas da Rainha convocou uma concentração de protesto neste sábado, às 11 horas, no Largo da Rainha, contra a decisão anunciada pelo ministro da saúde de construir o Hospital do Oeste no Bombarral, o que segundo a autarquia caldense, “implica objetivamente o encerramento dos cuidados hospitalares” nas Caldas da Rainha.
Faixa de luto na sede da União de Freguesias de Tornada e Salir do Porto

O presidente da Câmara Municipal das Caldas da Rainha convocou uma concentração de protesto neste sábado, às 11 horas, no Largo da Rainha, contra a decisão anunciada pelo ministro da saúde de construir o Hospital do Oeste no Bombarral, o que segundo a autarquia caldense, “implica objetivamente o encerramento dos cuidados hospitalares” nas Caldas da Rainha.

Vitor Marques, que declarou “luto” pelo Hospital das Caldas, está também a colocar faixas negras nos edifícios municipais, ação para a qual foram convidadas a aderir todas as freguesias do concelho, e pede aos participantes na concentração de protesto para se apresentarem “vestidos com uma ou mais peças de roupa negra”.

A escolha do Largo da Rainha não é por acaso. Para além de ser uma zona de entrada e saída da cidade, com grande visibilidade, é ali que está instalada a estátua da Rainha D. Leonor, fundadora em 1485 do Hospital Termal, que motivou o crescimento do burgo, que evoluiu para cidade, desde sempre ligada à área da saúde.

Haverá um pequeno percurso pela zona central da cidade, com passagens na Rua Heróis da Grande Guerra, Rua das Montras e Praça da Fruta, numa ação cívica para sensibilizar a população a abraçar esta causa.

“É uma jornada de luto, que é também uma jornada de luta pelo Hospital das Caldas da Rainha”, manifesta.

O presidente da Câmara garante que o Município “vai lutar até ao último dia pelo Hospital das Caldas e por cuidados de saúde de qualidade para os caldenses, com a garantia de que todos estão cobertos por cuidados hospitalares de proximidade, e que uma decisão do Estado Central não vai deixar uma onda de devastação social e económica no concelho, que nenhuma medida compensatória poderá aliviar”.

Para Vitor Marques, a decisão anunciada pelo ministro, na semana passada, “não se refere apenas à construção de um equipamento essencial fora de Caldas da Rainha”, vincando que é preciso perceber “o verdadeiro alcance e as consequências reais da decisão de construção do novo Hospital do Oeste no Bombarral”.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Quatro pessoas assistidas em acidente aparatoso

Um acidente envolvendo dois carros na Avenida Barata Feyo, junto ao hipermercado E.Leclerc, nas Caldas da Rainha, ocorreu neste domingo de manhã, levando quatro pessoas a serem assistidas pelas equipas pré-hospitalares dos bombeiros.

despiste1

Pescadores desaparecidos estavam em embarcação naufragada

Os corpos dos três pescadores que estavam desaparecidos da embarcação que naufragou ao largo da praia do Samouco, no concelho da Marinha Grande, foram encontrados na sequência das operações de reflutuação da traineira, na manhã de dia 10 de julho, debaixo de diversas dornas (recipientes de grandes dimensões onde se coloca o peixe) no convés.

naufragio