Q

Previsão do tempo

16° C
  • Tuesday 20° C
  • Wednesday 22° C
  • Thursday 23° C
17° C
  • Tuesday 21° C
  • Wednesday 23° C
  • Thursday 23° C
17° C
  • Tuesday 22° C
  • Wednesday 25° C
  • Thursday 25° C

Professores em S. Martinho do Porto pedem “respeito e dignidade pela profissão”

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Na passada terça-feira foi a vez dos professores do Agrupamento de Escolas de São Martinho do Porto estarem em greve, em frente à escola sede. Com faixas pretas na mão, os docentes gritavam “basta de desvalorização, os professores exigem respeito”. Às primeiras horas do dia, o grupo de docentes, que se associou à greve distrital […]
Grupo de docentes do Agrupamento de Escolas de S. Martinho do Porto que aderiu à greve

Na passada terça-feira foi a vez dos professores do Agrupamento de Escolas de São Martinho do Porto estarem em greve, em frente à escola sede. Com faixas pretas na mão, os docentes gritavam “basta de desvalorização, os professores exigem respeito”.

Às primeiras horas do dia, o grupo de docentes, que se associou à greve distrital que decorreu em Coimbra (porque a greve distrital em Leiria coincide com as avaliações dos alunos), concentrou-se à porta do estabelecimento de ensino para “pedir exatamente o que pedem todos os professores neste país, respeito e dignidade pela profissão”, explicou Alda Almeida, professora de história há mais de 30 anos.

A par disso foi solicitado que “seja descongelado o tempo que tivemos congelado, que foram mais de 14 anos, que haja finalmente o fim às quotas de acesso ao quinto e sétimo escalão, e ainda que nos seja devolvido tudo aquilo que nos tiraram”. Também exigem que a atividade “seja vista como uma profissão digna”.

Voltaram a reclamar por melhores condições de trabalho para os colegas, que “dão aulas em péssimas escolas”, “mais valorização” e por “uma vida correspondente à nossa função na sociedade”, pois “quem ensina a voar, não pode passar a vida a rastejar”, frisou a docente, adiantando que “é exatamente isso que nós temos andado a fazer nestas últimas décadas”. 

Outras das questões criticadas foi “a precariedade dos salários”, havendo o caso de diversos docentes do agrupamento, que se dividem entre a cidade onde vivem e a escola onde lecionam.

“Na escola existem casos de professores que chegam a gastar mais de 600 euros mensais em combustível para vir trabalhar”, sublinhou a docente, adiantando que “esta é uma carreira onde os professores trabalham por amor à camisola e não conseguimos parar de ensinar, mesmo quando somos mal pagos”. Mas enquanto isso não acontece, a docente garante que a classe não vai ficar parada, pois “não podemos parar, nem nos podem calar ou silenciar”.

Para a professora, “é fundamental que todas as pessoas deste país percebam aquilo que tem sido feito aos professores nas últimas décadas, onde fomos considerados muitas vezes como o mal da nação”. Portanto, “estamos cansados de lutar e de pedir para que olhem para nós com outros olhos e que nos vejam de outra maneira”.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

EB de St.º Onofre convida população a participar numa Flash Mob

No âmbito das comemorações dos 30 anos da EB de St.º Onofre do Agrupamento de Escolas Raul Proença, vai ser realizada uma iniciativa de mobilização pela turma H do 5.º ano, no âmbito de um projeto interdisciplinar envolvendo as disciplinas de Cidadania e Desenvolvimento, Inglês, Educação Musical e Educação Física.

santo onofre

Unidade Local de Saúde do Oeste conclui projetos de qualidade e de desmaterialização

A Unidade Local de Saúde do Oeste (ULSO) anunciou que, no âmbito de candidaturas aprovadas ao Sistema de Apoio à Transformação Digital da Administração Pública (SAMA), foram concluídos diversos projetos de transformação digital e de qualidade, envolvendo um financiamento total superior a dois milhões de euros.

Tertúlia sobre futuro da escola de Santa Catarina

A Comissão de Pais de Santa Catarina realiza no próximo domingo, a partir das 17h00, uma tertúlia no Centro Pastoral de Santa Catarina à volta do tema "30 Anos à volta de uma Escola", inserida nas comemorações dos 30 anos da escola da freguesia caldense.

tertulia