Q

Previsão do tempo

23° C
  • Thursday 23° C
  • Friday 25° C
  • Saturday 24° C
23° C
  • Thursday 23° C
  • Friday 26° C
  • Saturday 25° C
24° C
  • Thursday 24° C
  • Friday 28° C
  • Saturday 27° C
Escaparate

Nova luta dos professores

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Não me recordo de nenhum Governo que alguma vez tenha, realmente, sido justo com os professores. Os ordenados líquidos são muito abaixo do merecido, a estabilidade no emprego é duvidosa, a progressão na carreira não é decente e honesta, o exagero na carga tributária, a precariedade, a falta de incentivos, o excesso de carga horária, etc. Além disso, há um número absurdamente grande de docentes por colocar (e dezenas de alunos sem aulas desde o início do ano letivo).

Escaparate

Não me recordo de nenhum Governo que alguma vez tenha, realmente, sido justo com os professores. Os ordenados líquidos são muito abaixo do merecido, a estabilidade no emprego é duvidosa, a progressão na carreira não é decente e honesta, o exagero na carga tributária, a precariedade, a falta de incentivos, o excesso de carga horária, etc. Além disso, há um número absurdamente grande de docentes por colocar (e dezenas de alunos sem aulas desde o início do ano letivo).

Portugal passa, mais uma vez, por justas reivindicações, por parte dos professores (e de todos os profissionais de educação) do ensino não superior.

Cinco pontos estão na mesa de negociação com o Governo: 1) um aumento de salário, que possibilite minimizar – realmente – o agravamento da inflação; 2) uma correta avaliação, e progressão na carreira, sem quotas, de estrutura meritocrática, sem a sanha desumana de poupança ditada pelas Finanças; 3) o retorno à administração democrática das escolas; 4) o fim da municipalização na angariação de professores; 5) a ampliação da Caixa Geral de Aposentações a todos os lentes.

Acerca do ponto 3, é deveras preocupante o risco que os professores correm com a municipalização, pois, será inevitável o surgimento de compadrios e de amiguismos por parte dos vereadores da Educação. Vem-me à mente um nome, de uma Câmara Municipal do Oeste que, com certeza absoluta, irá beneficiar “os seus compadres e comadres”. Uma senhora, alçada ao tal pelouro graças a muito nepotismo e clientelismo, repletos de interesses escusos, o que é muito grave para a democracia.

Temos de lutar por uma escola pública de muita qualidade, inclusiva, plural e essa contenda não deve ser apenas dos professores e demais profissionais de educação. Toda a sociedade deve estar envolvida, para conseguirmos aproximar-nos de países como a Finlândia, cuja escola tem início aos 7 anos de idade, com aulas de 45 minutos, com 15 de intervalo. A semana é dividida de modo equilibrado, tendo de segunda a quinta-feira uma carga de 8 horas, já na sexta, de apenas 4. A gratuidade do ensino é total (incluindo a alimentação) e as crianças não necessitam de carregar uma mochila com “toneladas” de peso, pois recebem um tablet que contém os programas necessários para o estudo, em sala de aula e em casa.

O historiador, ficcionista e jornalista Henry Brooks Adams (1838-1918) no seu excelente “A Educação por Henry Adams”, infelizmente nunca editado em Portugal, diz-nos que “Um professor sempre afeta a eternidade. Ele nunca saberá onde sua influência termina”. Esse pensamento é exato e atemporal e ajuda-nos a perceber que, em Portugal, a Educação vem sendo tratada como coisa de somenos, basta observar a qualidade da maioria dos políticos atuais, bem como todo o palavreado tosco que se espalha pelas redes sociais e por muitos veículos de informação.

Já Platão (por volta de 428/427 a. C. – por volta de 348/347 a. C.), discípulo de Sócrates (470 a. C. – 399 a. C.) e professor de Aristóteles (384 a. C. – 322 a. C.), foi o fundador da primeira instituição de ensino superior do mundo ocidental e, ali, entregou-se à enunciação de conjeturas preparadas para a formação de um Estado íntegro, adequado, constituído por cidadãos honrados. Conforme o próprio, para capacitar integralmente o ser humano, seria importante investir maciçamente na Educação, na Política e na Ética. Em Portugal, a primeira está uma lástima, a segunda uma miséria e a última simplesmente não existe.

Platão, assim como outros pensadores, considerava a Educação a mais notável das Ciências, concedendo ao modelo perfeito educacional o atributo de ventura máxima da vida, resultando, assim, numa sociedade exemplar.

Qual a aspiração da Educação? O desenvolvimento da retidão no ser humano! Logo, devemos tudo aos professores, pois é exatamente isso que cada docente vem tentando cultivar na alma humana.

Para todos os profissionais da Educação: a minha solidariedade.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

O prejuízo crónico do tempo de serviço dos professores

A incompreensível obsessão dos sucessivos governos do pós-25 de Abril por prejudicar a classe docente na contagem do tempo de serviço tem provocado uma saga de lutas sindicais que aqui descrevemos, a partir do levantamento feito pela dirigente Anabela Delgado, do maior sindicato português de professores, o SPGL.

francisco martins da silva

­A juventude Z vai formosa e não segura

Bela e airosa, mas cheia de dúvidas e receios — referindo-nos àquela juventude mais privilegiada, nascida entre 1990 e 2000 (chamada geração Z, sucedeu à geração Y ou millenial, que sucedeu à geração X, que sucedeu à dos chamados baby  boomers…), filha da burguesia delirante, não à outra, a menos ou nada privilegiada, que abandona o secundário e se faz à vida logo que a CPCJ deixa de andar em cima. Mas hoje a ansiedade e a insegurança dessa juventude Z, que negoceia e finta as projecções dos pais-helicóptero, são do tamanho do mundo ao alcance de um voo low cost. Ter perdido a espontaneidade de brincar na rua e ser levada de carro pelos progenitores, da creche à faculdade, também não ajuda à autonomia e à autoconfiança.

francisco martins da silva