Q

Previsão do tempo

17° C
  • Monday 17° C
  • Tuesday 19° C
  • Wednesday 18° C
17° C
  • Monday 17° C
  • Tuesday 19° C
  • Wednesday 18° C
18° C
  • Monday 18° C
  • Tuesday 20° C
  • Wednesday 19° C

Escola do 1º Ciclo do Avenal e Centro Escolar de A-dos Francos reabriram após obras

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
A Escola do 1.º Ciclo do Avenal e o Centro Escolar de A-dos-Francos reabriram esta semana, após obras de requalificação das instalações existentes e a construção de sete novos equipamentos.

A Escola do 1.º Ciclo do Avenal e o Centro Escolar de A-dos-Francos reabriram esta semana, após obras de requalificação das instalações existentes e a construção de sete novos equipamentos.

As obras realizadas vieram dotar a Escola do Avenal, que conta com 188 crianças no 1.º ciclo e 92 no ensino pré-escolar (jardim de infância), com um novo refeitório, que passará a servir diariamente refeições aos alunos. Esta semana ainda só serve refeições mas depois passará a fazer confeção.

Foram também requalificados integralmente os edifícios da escola do 1.º ciclo e da biblioteca. Em agosto do ano passado tinha sido remodelado o jardim infantil adjacente.

Com 51 alunos no 1.º ciclo do ensino básico e 32 no ensino pré-escolar, o Centro Escolar de A-dos-Francos inaugura neste início de ano um novo refeitório, espaço que funcionará também com outras valências enquanto sala polivalente, e uma nova biblioteca. O equipamento foi igualmente alvo de ampla requalificação, transformando as duas salas existentes em instalações para funcionamento do pré-escolar, tendo sido construídas quatro novas salas destinadas ao 1.º ciclo.

Adjudicadas no final de 2020, as obras agora concluídas correspondem a um investimento total de 1.472.378,89 euros na Escola do 1.º Ciclo do Avenal e de 1.088 870,30 euros no Centro Escolar de A-dos-Francos. Com conclusão prevista para setembro de 2021, em outubro desse ano o grau de execução das obras era, no entanto, reduzido – 16% na Escola do Avenal e 32% no Centro Escolar de A-dos-Francos.

Segundo a Câmara Municipal das Caldas da Rainha, “os extensos trabalhos de requalificação e de construção, prolongados até ao final de 2022, foram condicionados por vários constrangimentos no setor da construção, como escassez de mão de obra e de materiais, entre outros”.

“Proporcionar maior conforto às crianças, criar espaços de aprendizagem mais aptos e mais acolhedores, dotar as escolas com equipamentos informáticos atualizados, remodelar os espaços exteriores, bem como melhorar a eficiência energética, através da substituição de caixilharias e da instalação de sistemas de iluminação mais sustentáveis”, foram alguns dos principais objetivos das obras de requalificação das duas escolas.

Requalificação escolar é aposta

A autarquia está apostada em requalificar os equipamentos educativos no concelho, considerando que “há um caminho grande a percorrer”, reconheceu ao JORNAL DAS CALDAS o presidente da Câmara, Vitor Marques.

Após uma curta visita à escola do Avenal, onde esteve acompanhado de outros elementos do executivo municipal e de responsáveis do agrupamento de escolas D. João II das Caldas da Rainha, o presidente da Câmara manifestou que já era altura de voltar a colocar em funcionamento este estabelecimento de ensino, que “já era para ter aberto no setembro de 2021”.

“No nosso mandato falámos com o empreiteiro para discutir a abertura para o setembro passado, mas concluímos que não era possível. Com muita pressão, conseguimos que as obras terminassem agora, para que a escola pudesse abrir. Era importante começarmos o ano novo com a oportunidade de os meninos estarem numa escola nova”, declarou.

“Percebemos a dificuldade dos empreiteiros, na tentativa de negociação dos melhores preços dos materiais, em relação àquilo que foi contratualizado. A subida das despesas foi muito elevada, o que lhes criou um esforço acrescido. Compreendemos esta conjuntura, mas foi realmente demasiado tempo para reabrir a escola”, disse Vitor Marques.

“A escola está em condições de funcionar, de receber os meninos do primeiro ciclo, neste espaço que foi requalificado, as salas de aula estão na sua plenitude, mas haverá ainda pequenos apontamentos a serem feitos”, admitiu. 

Faltam alguns materiais e acabamentos, para além do espaço exterior envolvente ainda estar em obras.

De acordo com o presidente da Câmara, “vai haver um momento de inauguração, gostava que fosse este mês, mas não está dependente só de nós”. A autarquia pretende contar com a presença de um membro do governo.

Segundo revelou Vitor Marques, “é urgente termos uma atitude diferente em relação à manutenção dos edifícios, para que possam ter uma maior duração, é um investimento muito importante para a funcionalidade dos equipamentos”. 

“Para a escola do bairro da ponte lançaremos um concurso de requalificação, para a escola Raul Proença já lançámos concurso para o projeto, que queremos fazer ainda no primeiro trimestre. Estamos a falar de obras com valores significativos”, reportou.

“Depois temos outras obras, temos a EBI de Santo Onofre, a EBI de Santa Catarina, são escolas com trinta anos que precisam de ser reabilitadas”, referiu.

O presidente da Câmara adiantou que a carta educativa “está em fase final da sua conclusão e também nos ajuda a perceber que há um caminho grande na área da requalificação dos equipamentos educativos”. “A responsabilidade acrescida que temos hoje faz com que tenhamos essa preocupação e havemos de fazer o que estiver ao nosso alcance para reabilitarmos os equipamentos”, afirmou.

O autarca considerou as duas escolas requalificadas “muito interessantes”, sendo no caso de A-dos-francos “uma ampliação, uma obra muito feliz e com condições excelentes”.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Reabilitação das duas residências de estudantes e construção de uma nova

A empreitada de reabilitação da residência de estudantes ‘Rafael Bordalo Pinheiro’, na Rua Vitorino Fróis, em Caldas da Rainha, vai permitir aumentar a oferta de camas, das atuais 104 para 117, num investimento de cerca de 1 milhão e 360 mil euros, financiado pelo Programa de Recuperação e Resiliência (PRR), no âmbito do Plano Nacional para o Alojamento no Ensino Superior (PNAES).

residencias

Mexilhão gigante no Paul de Tornada

A Associação Pato encontrou um mexilhão gigante no Paul de Tornada quando se dedicava ao estudo dos cágados. Tinha 176 milímetros de comprimento e a espécie nem estava identificada nesta região.

mexilhao

Resultados da monitorização de cágados vão ser apresentados

A monitorização de cágados (tartarugas de água doce) na Reserva Natural Local do Paul de Tornada já remonta a 1995. Desde essa altura que se tem vindo a realizar monitorizações destas espécies de forma a avaliar as populações de cágado-de-carapaça-estriada (Emys orbicularis) e cágado-mediterrânico (Mauremys leprosa) no Paul de Tornada.

cagados