Q

Previsão do tempo

15° C
  • Saturday 23° C
  • Sunday 26° C
  • Monday 28° C
15° C
  • Saturday 23° C
  • Sunday 27° C
  • Monday 28° C
15° C
  • Saturday 25° C
  • Sunday 29° C
  • Monday 30° C

Comissão de Utentes do CHO exige fiscalização às empresas empregadoras de médicos-tarefeiros

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
A Comissão de Utentes do Centro Hospitalar do Oeste (CHO) questionou o Governo, no passado dia 5, “sobre qual a causa porque não é efetuada uma fiscalização e auditoria às empresas empregadoras de médicos-tarefeiros”, exigindo respostas para a “falta e deficiente de assistência médica vigente”.
Vitor Diniz, porta-voz da comissão

A Comissão de Utentes do Centro Hospitalar do Oeste (CHO) questionou o Governo, no passado dia 5, “sobre qual a causa porque não é efetuada uma fiscalização e auditoria às empresas empregadoras de médicos-tarefeiros”, exigindo respostas para a “falta e deficiente de assistência médica vigente”.

No documento enviado ao Governo e que tem como “base a situação do Oeste”, a comissão sugere uma auditoria e fiscalização às empresas empregadoras de médicos-tarefeiros, pois “estas empresas controlam os médicos-tarefeiros, entrando em jogos de interesses entre o setor público e o setor privado da saúde, usando-os como mercadoria, o que configura uma primária e inquestionável fonte de conflitos laborais, mal-estar no local de trabalho, injustiças salariais, com as inevitáveis consequências para um bom atendimento aos doentes que, assim, são tratados por médicos desmotivados”.

O porta-voz da comissão, Vitor Diniz, questionou “qual a causa porque não é efetuada uma fiscalização e auditoria, e porque não se volta ao procedimento antigo”.

Segundo apontou, “vive-se o pior momento de sempre do SNS para o povo português, com as inequívocas situações de um cada vez pior serviço à nação, piorando a cada dia que passa, colocando-nos ao nível dos países africanos, onde se morre por falta e deficiente assistência médica”.

Além da auditoria, a Comissão de Utentes do CHO também denunciou que as Unidades de Saúde Familiar (USF) “são complots entre médicos, a fim de não ultrapassarem um determinado plafond, que lhes dá direito a um chorudo prémio a dividir por todos os trabalhadores na sua USF” e ainda “o mau atendimento nos Hospitais no Oeste, que se tornou regra”. “Os casos de sofrimento e erro médico abundam, os médicos-tarefeiros executam apenas tarefas da sua área de serviço, ficando sem nada fazer quando outros colegas precisam de ajuda”, explicou Vitor Diniz.

A juntar a esta situação, a comissão falou sobre a distribuição das especialidades entre Caldas da Rainha e Torres Vedras, “altamente polémicas, não só entre o povo, mas também entre os profissionais de saúde do CHO, com deslocações frequentes, incómodas e caras por parte da população”.

“Esta comissão tem conhecimento que a população do Oeste tem receio de acorrer às urgências e apanharem um médico-tarefeiro, havendo muitos relatos de má-avaliação médica, má-prática médica, deixa andar, acabando o povo por sofrer as consequências, entre outros casos que vamos sabendo e que não aparecem nos órgãos de comunicação social”, indicou o responsável.

Para a comissão, “nem até ao fim do ano a situação da falta de médicos estará resolvida, bem como, mais grave ainda, com o aumento sazonal, que se aproxima, de doentes com gripe e problemas respiratórios, desconhecendo-se como vai decorrer em relação à Covid-19”.

Neste momento, o porta-voz está a aguardar por uma resposta do Governo e vai reforçar os pedidos de reunião com os grupos parlamentares, de modo “a pressionar e obter algumas respostas ao problema de falta e deficiente assistência médica vigente”.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Despiste mortal na estrada entre a Foz e Caldas

Um homem de 63 anos morreu na sequência do despiste do carro que conduzia, ao final da manhã da passada quinta-feira na variante entre a Foz do Arelho e as Caldas da Rainha, na zona da freguesia do Nadadouro, após uma curva.

despiste 1

127 anos dos bombeiros festejados em cerimónia emotiva

A cerimónia do 127º aniversário da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários das Caldas da Rainha, realizada no passado domingo, foi bastante emotiva, pela passagem ao quadro de honra de dois bombeiros, pelas promoções, condecorações e louvores, pela transferência de testemunho do porta-estandarte, pela atribuição de patrono a duas viaturas, pelo elogio ao comandante de Pedrógão Grande, mas sobretudo por ter sido lembrada a morte de um bombeiro da corporação vizinha de Óbidos no maior incêndio ocorrido este ano nas Caldas da Rainha.

bombeiros1

Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste – Fábio Romano – 18 valores

Fábio Romano, de 33 anos, aluno da Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste, do curso de Gestão e Produção de Cozinha, foi o melhor aluno com uma classificação de 18 valores (correspondendo aos dois primeiros semestres. Encontra-se a aguardar a nota de estágio curricular, que irá ainda integrar esta média).

img 6552 2 fabio romano