Q

Previsão do tempo

16° C
  • Wednesday 20° C
  • Thursday 19° C
  • Friday 22° C
17° C
  • Wednesday 20° C
  • Thursday 20° C
  • Friday 22° C
17° C
  • Wednesday 21° C
  • Thursday 21° C
  • Friday 24° C

Marcha do Orgulho LGBTQI+ marcada para 26 de junho

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
O movimento “Caldas em Marcha” está a mobilizar-se para no dia 26 de junho realizar a Marcha do Orgulho LGBTQI+, com a qual pretende lutar pelos “direitos” da comunidade lésbica, gay, bissexual, transgénero, queer e intersexual.
Iniciativa em defesa da comunidade lésbica, gay, bissexual, transgénero, queer e intersexual

O movimento “Caldas em Marcha” está a mobilizar-se para no dia 26 de junho realizar a Marcha do Orgulho LGBTQI+, com a qual pretende lutar pelos “direitos” da comunidade lésbica, gay, bissexual, transgénero, queer e intersexual.

Os ativistas referem que a sua missão é pôr as Caldas da Rainha em movimento por “um futuro seguro e digno que queremos assegurar”. Entre as exigências referem a luta por “direitos e condições de vida que permitem vidas dignas e seguras”, “locais de ensino que permitam a todas as pessoas jovens sentir a segurança e a plenitude”, o fim de “currículos de educação sexual binários e heteronormativos”, “um ensino antirracista, responsável, múltiplo, para todas as pessoas”.

Em comunicado, mencionam ainda que “a luta não vai parar enquanto não pudermos viver vidas seguras, dignas, respeitadas no nosso município ou em qualquer terra”, contestando “a eleição de um deputado de um partido de extrema-direita pelo distrito de Leiria”.

“Pomos Caldas em marcha para celebrarmos as nossas vidas, as nossas formas de existência e resistência. Pomos Caldas em marcha porque o orgulho é um protesto pelos direitos e condições que permitem vidas dignas e seguras: condições que ainda não temos e vidas que reivindicamos. As nossas existências, tantas vezes ignoradas, rejeitadas, estigmatizadas, aqui não o serão. Saímos em união e em apreciação de quem marcha ao nosso lado. Ocupamos o espaço público. Este é um dia para estarmos juntos, em festa”, sublinham.

“Lutamos por escolas que não representem uma constante ameaça às nossas vidas e bem-estar. Marchamos contra o conservadorismo que paira sobre o nosso concelho e que traz consigo um cinzentismo que não faz o nosso género. A luta por direitos LGBTQI+ é a luta por dignidade e condições no trabalho e no acesso a ele”, referem.

Outro dos propósitos da marcha visa o “acesso a cuidados de saúde para pessoas LGBTQI+, que ainda não são adequados às nossas necessidades”. “Precisamos de um SNS que consiga responder às necessidades de apoio psicológico da nossa comunidade – necessidade que advém da degradação da nossa saúde mental por sermos expostos a tantas violências, precariedades e inviabilizações. Precisamos de um SNS que consiga estabelecer, por todo o território, os serviços necessários ao acompanhamento e bem-estar de pessoas trans. Por agora, o que enfrentamos são tempos de espera avassaladores para consultas, cirurgias, hormonas, tudo. Exigimos um serviço de saúde que não nos trate como portadores de uma patologia ou anormalidade”, reclamam.

O ponto de encontro para dia 26 é às 16h30, no Skatepark, sendo que a manifestação se pretende mobilizar até à Praça da Fruta. No entanto, até lá realizam-se várias reuniões abertas: 15 de junho, às 18h, no Parque D. Carlos I; 19 de junho, às 14h, no Parque D. Carlos I; 24 de junho, às 16h30, no Jardim da Água.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Arrancaram obras na linha férrea entre Caldas e Torres

A Infraestruturas de Portugal deu início nesta terça-feira à empreitada de modernização do troço da Linha do Oeste entre Torres Vedras e Caldas da Rainha, após a assinatura do auto de consignação ter tido lugar na estação ferroviária de Caldas da Rainha, com a presença do ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos.

ferrovia

Patos desapareceram em A-dos-Francos

A Junta de Freguesia de A-dos-Francos colocou cinco patos no Rio Arnóia na passada segunda-feira, com o objetivo de ter “um local mais aprazível e bonito, que permita disfrutar da presença destes animais”, mas foi surpreendida no dia seguinte porque três desapareceram.

patos

OesteCim pretende aumentar a oferta formativa da região

A OesteCim - Comunidade Intermunicipal do Oeste, em parceria com a Universidade de Coimbra (UC), vai realizar um levantamento das necessidades formativas na região, ao abrigo do protocolo de colaboração assinado na passada quinta-feira, tendo como objetivo “a definição de novos cursos adaptados às necessidades dos territórios” e aumentar as competências de jovens e adultos.

protocolo1