Q

Previsão do tempo

14° C
  • Friday 22° C
  • Saturday 27° C
  • Sunday 22° C
15° C
  • Friday 22° C
  • Saturday 27° C
  • Sunday 23° C
15° C
  • Friday 24° C
  • Saturday 30° C
  • Sunday 24° C

Queixas de morador limitam toque de sino da igreja de Turquel

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Um morador junto à Igreja Paroquial de Turquel, no concelho de Alcobaça, queixou-se do número de vezes que o sino tocava, alegando que incomodava o seu descanso à noite e ao fim de semana, pelo que apresentou uma queixa ao abrigo da Lei do Ruído, o que levou o pároco local a limitar o período em que as badaladas se podem ouvir, apesar de a população ter ficado desagradada por causa da tradição de várias décadas ser quebrada.
Igreja Paroquial de Turquel

Um morador junto à Igreja Paroquial de Turquel, no concelho de Alcobaça, queixou-se do número de vezes que o sino tocava, alegando que incomodava o seu descanso à noite e ao fim de semana, pelo que apresentou uma queixa ao abrigo da Lei do Ruído, o que levou o pároco local a limitar o período em que as badaladas se podem ouvir, apesar de a população ter ficado desagradada por causa da tradição de várias décadas ser quebrada.

O queixoso passou a morar permanentemente na vila de Turquel há menos de um ano. Mesmo que tenha mudado a localização do quarto para ficar mais afastado do templo religioso e de dormir com tampões nos ouvidos, chegou à conclusão que a medida era insuficiente e por isso solicitou ao padre que o sino deixasse de tocar a todas as horas, mesmo de madrugada.

Antes da reclamação, o sino tocava um minuto antes e um minuto depois da hora, com o número de badaladas correspondente às horas. Por exemplo, por volta das cinco da manhã, tocava dez vezes. Para além disso, às meias horas havia também um único toque.

Após a queixa, o padre Ivo Santos não teve alternativa. “Até foi sereno, porque a lei prevê que se tenha de desligar o sino entre as dez da noite e as oito da manhã”, apontou.

“O problema foi quando pediu também que não fosse tocado nas primeiras horas da manhã aos fins de semana e feriados”, adiantou o padre, revelando que a queixa chegou à GNR, que “pediu para desligarmos o sino durante o fim de semana”, e enquanto a paróquia procura perceber junto do Departamento Jurídico do Patriarcado de Lisboa se é obrigada a cumprir, decidiu também suspendê-lo naquele período.

A população mostra-se descontente com as reclamações. “Não concordo que deixem de tocar. A mim não me incomoda nada. Estou habituado e não me quero desacostumar”, manifestou Raimundo Quinéu. ”É um disparate muito grande. Os sinos pertencem à tradição”, comentou Belmira Coelho.

A vila tem outras duas capelas com sinos, mas que não tocam automaticamente, sendo apenas escutados em ocasiões festivas.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

162 quilos de lixo recolhidos por voluntários na cidade

Uma ação de limpeza nas duas freguesias urbanas das Caldas da Rainha, na passada quarta-feira, durante três horas (das 14h30 às 17h30), contou com 89 voluntários, que recolheram162 quilos de lixo.

limpeza

Aula inaugural na Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste

A Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste (EHTO) realizou no dia 27 de setembro a sua aula inaugural do ano letivo 2022/2023, no âmbito da comemoração do Dia Mundial do Turismo, com o tema "Repensar o Turismo". Colocar as pessoas e o planeta em primeiro lugar, unir...

turismo

Festival de Música Clássica aos sábados em outubro

Teve início no passado dia 1 (Dia Mundial da Música) o Festival de Música Clássica do Bombarral, uma organização da Câmara Municipal que irá decorrer durante todos os sábados do mês de outubro. O espetáculo de abertura, dedicado ao público infantil e às famílias,...

classica