Q

Previsão do tempo

23° C
  • Saturday 23° C
  • Sunday 21° C
  • Monday 28° C
23° C
  • Saturday 24° C
  • Sunday 22° C
  • Monday 30° C
23° C
  • Saturday 25° C
  • Sunday 23° C
  • Monday 34° C

Como enfrentar a subida do custo de vida?

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
O aumento dos combustíveis terá um impacto significativo nos orçamentos das famílias portuguesas, agravado ainda com a subida do preço da eletricidade e dos bens alimentares. Quando o preço de matérias-primas básicas, como a eletricidade ou a gasolina, aumenta, o preço final dos produtos e serviços vendidos ao consumidor também sobe.Contudo o aumento dos preços […]

O aumento dos combustíveis terá um impacto significativo nos orçamentos das famílias portuguesas, agravado ainda com a subida do preço da eletricidade e dos bens alimentares.

Quando o preço de matérias-primas básicas, como a eletricidade ou a gasolina, aumenta, o preço final dos produtos e serviços vendidos ao consumidor também sobe.
Contudo o aumento dos preços não é acompanhado pelo aumento dos rendimentos dos consumidores, o que se traduz numa perda do poder de compra.
É tempo de repensar as nossas finanças. Sabe para onde vai o seu dinheiro? A maioria dos consumidores é capaz de identificar as despesas de maior peso, mas não sabe quanto gasta em pequenas coisas. Daí a DECO aconselhar o consumidor a que reorganize a sua carteira, fazendo um orçamento familiar onde identifique todas as suas fontes de rendimento versus as despesas fixas e varáveis mensais. Deve controlar todas as despesas da sua família, sem exceção.
Adote novos hábitos de consumo. Com a sua família tente identificar que comportamentos poderão assumir para reduzir o valor das suas faturas. Ficam algumas ideias: Desligar aparelhos que ficam em stand-by; Optar por lâmpadas LED; Fechar as torneiras enquanto lava os dentes ou ensaboa as mãos; Preferir duches em vez de banho de imersão.
Sabia que se optar por lavar a sua roupa a 30ºC em vez de 60ºC vai gastar menos 60% de energia? Ou que se cozinhar com a panela de pressão pode poupar até 15% de energia? E que a utilização de redutor de caudais nas torneiras permite uma poupança de água de 80%?
Faça uma gestão mais eficiente. Uma grande fatia do nosso orçamento é dedicada à compra de bens essenciais. Para uma gestão mais eficiente dos recursos, faça uma lista de compras onde identifica aquilo que precisa, evitando gastar mais do que necessário.
Analise as promoções e utilize os cupões de desconto, fazendo sempre uma comparação dos preços face ao valor unitário do produto. Não se esqueça que as marcas “brancas” podem também ser uma escolha acertada. Dê preferência aos produtos da época e sempre que possível compre a granel. Compare os preços.
Lembre-se que a sustentabilidade na carteira é importante. Tomar decisões baseadas na reutilização de bens, promovendo e fomentando uma economia mais circular, ajudá-lo-á a poupar, a diminuir a sua pegada ambiental e a tornar as suas finanças mais resilientes.
A Deco Ribatejo e Oeste informa que se mantém disponível diariamente para esclarecer as dúvidas dos consumidores, de forma a mantê-los informados e mais protegidos. Pode entrar em contacto connosco através do nosso endereço eletrónico: deco.ribatejoeoste@deco.pt e/ou através do seguinte contacto telefónico: 243 329 950.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

O prejuízo crónico do tempo de serviço dos professores

A incompreensível obsessão dos sucessivos governos do pós-25 de Abril por prejudicar a classe docente na contagem do tempo de serviço tem provocado uma saga de lutas sindicais que aqui descrevemos, a partir do levantamento feito pela dirigente Anabela Delgado, do maior sindicato português de professores, o SPGL.

francisco martins da silva

­A juventude Z vai formosa e não segura

Bela e airosa, mas cheia de dúvidas e receios — referindo-nos àquela juventude mais privilegiada, nascida entre 1990 e 2000 (chamada geração Z, sucedeu à geração Y ou millenial, que sucedeu à geração X, que sucedeu à dos chamados baby  boomers…), filha da burguesia delirante, não à outra, a menos ou nada privilegiada, que abandona o secundário e se faz à vida logo que a CPCJ deixa de andar em cima. Mas hoje a ansiedade e a insegurança dessa juventude Z, que negoceia e finta as projecções dos pais-helicóptero, são do tamanho do mundo ao alcance de um voo low cost. Ter perdido a espontaneidade de brincar na rua e ser levada de carro pelos progenitores, da creche à faculdade, também não ajuda à autonomia e à autoconfiança.

francisco martins da silva