Q

Previsão do tempo

15° C
  • Thursday 26° C
  • Friday 28° C
  • Saturday 27° C
15° C
  • Thursday 26° C
  • Friday 29° C
  • Saturday 28° C
15° C
  • Thursday 28° C
  • Friday 32° C
  • Saturday 30° C

410 armadilhas para a vespa asiática instaladas nas Caldas 

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
O Serviço Municipal de Proteção Civil das Caldas da Rainha está consciente da ameaça que a vespa asiática representa para apicultores, saúde pública e biodiversidade. De modo a minimizar esta situação, tem nos últimos dois anos distribuído armadilhas pelos apicultores e colocado outras em locais estratégicos na cidade e concelho.
Gui Caldas entregou armadilhas aos 30 apicultores do concelho

O Serviço Municipal de Proteção Civil das Caldas da Rainha está consciente da ameaça que a vespa asiática representa para apicultores, saúde pública e biodiversidade. De modo a minimizar esta situação, tem nos últimos dois anos distribuído armadilhas pelos apicultores e colocado outras em locais estratégicos na cidade e concelho.

Ao JORNAL DAS CALDAS, Gui Caldas, coordenador municipal de Proteção Civil, disse que os “resultados têm sido positivos no controlo da vespa asiática, uma vez que tem diminuído o número de ninhos, mas é preciso continuar com a estratégia das armadilhas”.  

De salientar que no ano de 2021 foram identificados e eliminados 106 ninhos no concelho e este ano até ao momento 12 ninhos. Estes insetos têm a sua atividade máxima durante o verão, quando atacam em massa as colmeias.

vespa 2
Vespa asiática capturada nas Caldas

Com o objetivo de continuar na prevenção e controlo da vespa velutina no território do Município das Caldas da Rainha, o Serviço Municipal de Proteção Civil com o apoio da Comunidade Intermunicipal do Oeste (OesteCim), realizou no passado dia 22, no auditório da Câmara das Caldas, uma ação de sensibilização relativa a temática da vespa asiática, onde estiveram presentes 30 apicultores do concelho.    

Nesta ação, também aberta ao público em geral, foram abordados alguns temas como a identificação da espécie, ciclo biológico, deteção e desativação de ninhos, impactos nos ecossistemas e na apicultura, vulnerabilidades, métodos de captura e eliminação, entre outros.

O Serviço Municipal de Proteção Civil vai este ano instalar estrategicamente 260 armadilhas para combater a vespa velutina, devidamente identificadas e monitorizadas.

Nesta ação de sensibilização foram entregues 150 armadilhas e iscos para combate à vespa aos cerca de 30 apicultores do concelho das Caldas da Rainha.

Segundo Gui Caldas, esta medida é uma das “ações do plano “STOP vespa_RL- Plano Intermunicipal de prevenção e controlo da vespa velutina na nossa região e financiado pelo Fundo de Coesão”. 

A vespa velutina, mais conhecida por vespa asiática, é uma espécie invasora que representa uma ameaça tanto para as abelhas, como para os humanos. Originária da Ásia, não se sabe ao certo quando chegou a Portugal, mas o primeiro avistamento de um ninho deu-se em 2011, em Viana do Castelo, e desde então tem vindo a deslocar-se para sul, havendo já registo da sua disseminação por todo o país.

Nas Caldas há cerca de quatro anos que se registam ninhos de vespa asiática, cujo controlo tem vindo a ser garantido pelo Serviço Municipal de Proteção Civil. Este ano conta com o apoio da OesteCim.

As armadilhas instaladas permitem capturar as fêmeas fundadoras, “antes da formação de novos ninhos, permitindo a redução do número de ninhos e, consequentemente, evitar a reprodução e o aumento exponencial do número de vespas asiáticas adultas”, explicou o coordenador da Proteção Civil.

Gui Caldas defende que estas ações sejam replicadas em outras zonas do país, porque só assim se conseguem ter resultados mais positivos.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Aluna caldense “Embaixadora UC à Frente” 

A caldense Beatriz Lopes, estudante do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas na Universidade de Coimbra, recebeu o prémio “UC à Frente”, atribuído pela Reitoria da Universidade de Coimbra (UC).

premio 1

Vigília com “abraço” ao hospital das Caldas da Rainha

Uma vigília que terminou com um cordão humano em frente à urgência do hospital das Caldas da Rainha foi a forma encontrada pela população para exigir medidas do Governo para melhorar as condições em que trabalham os profissionais de saúde. O alerta foi feito na noite da passada sexta-feira.

vigilia2

VMER volta a ter mais saídas para situações de trauma

A Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) das Caldas da Rainha no serviço de urgência do Centro Hospitalar do Oeste (CHO) voltou à situação “normal” de seis a sete saídas por turno de oito horas, número que havia reduzido nos dois últimos anos de pandemia. No dia 15 de maio foi celebrado o 20º aniversário da VMER.

vmer 1