Q

Previsão do tempo

16° C
  • Wednesday 20° C
  • Thursday 19° C
  • Friday 22° C
16° C
  • Wednesday 20° C
  • Thursday 20° C
  • Friday 22° C
17° C
  • Wednesday 21° C
  • Thursday 21° C
  • Friday 24° C

Cocos Veggie e Tal reabriu a favor de um mundo mais saudável e sustentável

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
O Cocos Bar, na Avenida do Mar, na Foz do Arelho, reabriu no dia 21 de janeiro com um novo projeto a favor de um mundo mais saudável e sustentável. Cocos Veggie e Tal, é o novo nome do espaço, que tem um conceito mais dedicado à cozinha vegetariana, privilegiando os produtos frescos e os produtores locais. A ementa tem também algumas propostas onde entra a carne e peixe para apelar aos diferentes gostos.
Júlia e Ricardo Figueiredo querem mais qualidade de vida

O Cocos Bar, na Avenida do Mar, na Foz do Arelho, reabriu no dia 21 de janeiro com um novo projeto a favor de um mundo mais saudável e sustentável. Cocos Veggie e Tal, é o novo nome do espaço, que tem um conceito mais dedicado à cozinha vegetariana, privilegiando os produtos frescos e os produtores locais. A ementa tem também algumas propostas onde entra a carne e peixe para apelar aos diferentes gostos.

cocos veggie e tal 3

Os clientes poderão optar por almoçar, petiscar e usufruir de menus de degustação ao jantar (sextas e sábados pontualmente), sugestões diárias e semanais e uma diversidade de bebidas naturais, cocktails sem álcool, com muita fruta e legumes e também os cocktails de autor elaborados com bebidas de gama premium.

Bowls saudáveis (Mexican, Mediterranic, Indian e Asiatic), bolo do caco burgers (saloia vegana, ama das Caldas vegana e ainda polícia aos molhos – hambúrguer artesanal de carne Black Angus), bolo de caco sandes, pão escandinavo, lagostins crocantes, amêijoas da lagoa, bolinhas de risotto, nuggets vegan ou flan tropical de chia são só algumas das tentações.

Em entrevista ao JORNAL DAS CALDAS o casal responsável pelo espaço, Ricardo e Júlia Figueiredo, afirmou que o conceito é a imagem do seu novo estilo de vida. Depois de se tornarem vegetarianos procuraram trazer para o Cocos um conceito mais saudável e contribuir para a sustentabilidade, “a melhor forma para ter qualidade de vida e bem-estar, além de evitar impactos irreversíveis ao meio ambiente”.

Não consideram o Cocos Veggie e Tal como um restaurante, mas sim a nova casa. “Estamos aqui para vender saúde às pessoas e proporcionar experiências gastronómicas diferentes do que existe”, apontaram.

Esta aventura começou no início da pandemia onde decidiram, por questões de saúde, mudar o estilo de vida, até porque “consumir de forma responsável também consiste em estar comprometido com o meio ambiente, o que se consegue colocando em prática pequenas ações em nosso dia a dia”. “Os nossos resultados a nível pessoal têm sido excelentes e achámos que a nível profissional também teríamos de evoluir no sentido que achamos o correto”, apontaram.

Júlia Figueiredo fez durante o tempo que estiveram fechados muita pesquisa sobre comida vegetariana e participou em vários workshops. “Ter uma experiência ruim com uma comida vegetariana pode ser mau”, disse, referindo que é possível “conjugar sabor, apresentação e alimentação saudável”.

“Vender saúde às pessoas”

cocos veggie e tal 2

Querem com este novo projeto eliminar o estereótipo de que ser vegetariano é “comer alface”. “É possível inovar a ementa e ter pratos diferentes, referiu. Os produtos pré-processados são também uma raridade, como explicou Júlia. “Todos os pratos e produtos são feitos de raiz, os hambúrgueres, os molhos, as especiarias e as sobremesas, é tudo feito aqui, o que aumenta a qualidade e faz com que tenhamos a certeza daquilo que servimos aos nossos clientes”, adiantou.

Segundo os responsáveis, “o comércio local será sempre uma prioridade, de forma a respeitar ao máximo o mesmo até ao consumidor final”.

Outra mudança foi passar mais tempo em família, nomeadamente com os filhos de 6 e 11 anos. “Passei muitos dias e noites a trabalhar e perdi o crescimento da minha filha e filho, que quero recuperar”, salientou Ricardo Figueiredo.  

O casal mantém a pesquisa por novos produtos mais saudáveis, mas com “uma preocupação pela sustentabilidade cada vez mais destacada”. “Aqui não entra plástico e palhinhas e tudo é reciclado”, referiram.

Utilizam a água alcalina “Voa”, “livre de químicos, metais pesados e bactérias nocivas para o organismo”.

Eliminaram da ementa a maioria dos refrigerantes mantendo somente a Coca-Cola. A aposta é em sumos naturais, chás biológicos e vegan. Da ementa consta ainda uma variedade de smoothies.

Cocos Veggie e Tal tem também uma nova decoração e a disposição das cadeiras e mesas têm um maior distanciamento.

“Os tempos continuam incertos, mas nós estamos firmes no nosso propósito de mostrar mais do que nunca que o futuro é verde e que o abraçamos com a força de quem quer viver a vida. Com sabor, sustentabilidade e respeito pela natureza e pelo planeta”, disseram.

Cervejas artesanais, sangrias, cocktails de autor, clássicos, gins premium, entre outros, também fazem parte da oferta. 

Segundo Ricardo Figueiredo, o Cocos Bar “foi, é e será sempre conhecido por muito do que aqui se passou ao longo de 25 anos de história”. “Por aqui passaram várias gerências, tendo a certeza que todos deram o seu melhor juntamente com as suas equipas”, relatou”.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Arrancaram obras na linha férrea entre Caldas e Torres

A Infraestruturas de Portugal deu início nesta terça-feira à empreitada de modernização do troço da Linha do Oeste entre Torres Vedras e Caldas da Rainha, após a assinatura do auto de consignação ter tido lugar na estação ferroviária de Caldas da Rainha, com a presença do ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos.

ferrovia

Patos desapareceram em A-dos-Francos

A Junta de Freguesia de A-dos-Francos colocou cinco patos no Rio Arnóia na passada segunda-feira, com o objetivo de ter “um local mais aprazível e bonito, que permita disfrutar da presença destes animais”, mas foi surpreendida no dia seguinte porque três desapareceram.

patos

OesteCim pretende aumentar a oferta formativa da região

A OesteCim - Comunidade Intermunicipal do Oeste, em parceria com a Universidade de Coimbra (UC), vai realizar um levantamento das necessidades formativas na região, ao abrigo do protocolo de colaboração assinado na passada quinta-feira, tendo como objetivo “a definição de novos cursos adaptados às necessidades dos territórios” e aumentar as competências de jovens e adultos.

protocolo1