Q

Previsão do tempo

17° C
  • Sunday 23° C
  • Monday 19° C
  • Tuesday 24° C
17° C
  • Sunday 23° C
  • Monday 19° C
  • Tuesday 24° C
17° C
  • Sunday 25° C
  • Monday 20° C
  • Tuesday 26° C

Meio milhão de euros para 600 contadores individuais no regadio da Baixa de Óbidos e Amoreira

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
A Direção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural (DGADR) celebrou na Câmara Municipal de Óbidos, no passado dia 25, o contrato de empreitada de fornecimento e montagem de 600 contadores individuais nas bocas de rega da Baixa de Óbidos e Amoreira, num investimento de cerca de 500 mil euros.
Assinatura do contrato para a instalação de 600 contadores nas bocas de rega

A Direção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural (DGADR) celebrou na Câmara Municipal de Óbidos, no passado dia 25, o contrato de empreitada de fornecimento e montagem de 600 contadores individuais nas bocas de rega da Baixa de Óbidos e Amoreira, num investimento de cerca de 500 mil euros.

Foi anunciada a construção da sede da Associação de Regantes, mas os beneficiários do Plano de Rega preferem painéis solares que permitam reduzir os custos de energia na rega.

A obra da rede de rega das Baixas de Óbidos termina com a colocação dos contadores que irá beneficiar cerca de 900 agricultores que irão poder saber “a quantidade de água que cada parcela está a consumir para que seja processado só o pagamento daquilo que efetivamente é consumido”, disse o diretor-geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural, Rogério Ferreira.

A assinatura do auto de consignação da empreitada dos contadores para o aproveitamento hidroagrícola de Óbidos foi feita entre a DGADR, representada pelo diretor geral, e o consórcio H2TEC- Soluções Ambientais S.A., representado por Rafael Martinho, e pela empresa Hidrenki-Sistemas de Controlo e Tratamento de Fluidos, Lda, representada por António Prelhaz.  

A colocação dos contadores integra o projeto da Rede de Rega das Baixas de Óbidos, um investimento de 28 milhões comparticipados pelo Programa de Desenvolvimento Regional (PRODER), destinado a servir cerca 900 agricultores das freguesias da Amoreira e do Olho Marinho, no concelho de Óbidos, e do Pó e da Roliça, no concelho do Bombarral.

“Vamos terminar a obra com a instalação dos contadores porque acreditamos que o caminho é a eficiência hídrica e eficiência energética”, afirmou Rogério Ferreira, ciente que estão a fazer o caminho certo para a utilização “correta deste recurso escasso e precioso que é a água”.

Revelou que estão a criar neste momento uma “plataforma que vai permitir em tempo real verificar num determinado período de rega o que estamos a fazer”. “O caminho vai ser este, em que temos o mapa do país e vamos conseguir comparar qual é a predominância cultural e qual o consumo de água e a respetiva eficiência desse consumo”, explicou o diretor-geral da DGADR, acrescentando que vão poder também medir qual “o consumo energético”. “Sabemos que o preço da energia está em alta e que temos que travar isto e que fazer o caminho de usar melhor e quando verdadeiramente precisamos”, salientou.

Na cerimónia de assinatura do contrato, Rogério Ferreira anunciou ainda que, ao abrigo da verba total do projeto de regadio, a DGADR vai avançar com a construção da futura sede da Associação de Beneficiários do Plano de Rega das Baixas de Óbidos. “A concessionária tem uma responsabilidade muito grande naquilo que é a gestão deste bem público, portanto, é uma extensão daquilo que é a administração da direção geral para que o trabalho seja ao mais alto nível e para que todos tenhamos a informação correta no tempo necessário”, apontou.

Queremos painéis fotovoltaicos”

O presidente da Associação de Regantes, Filipe Ferreira, falou da necessidade de conseguir arranjar um projeto para painéis fotovoltaicos para o regadio com o intuito de reduzir o custo dos gastos de energia de uma bomba de água.

Depois deste pedido, o diretor-geral disse que a associação pode-se candidatar ao concurso que a DGADR vai abrir em fevereiro para instalação de painéis solares, comparticipado ao abrigo do Programa de Desenvolvimento Rural 2020.

No entanto, Filipe Ferreira revelou que a associação tem poucos recursos financeiros e fazer uma candidatura para os painéis “acarreta uma percentagem do orçamento”. O responsável fez a proposta ao diretor-geral da DGADR de substituir a construção da sede da associação pela colocação dos painéis fotovoltaicos. Sugeriu ainda que a verba ainda disponível do projeto da rega, no valor de 2,1 milhões de euros, seja aplicada “na colocação de painéis solares” que permitam reduzir os custos de energia e aliar “a eficiência hídrica e energética”. “Com os painéis havia toda a vantagem em regar de dia, que é quando as plantas têm mais eficiência no uso da água, agora estão a regar à noite porque a energia é mais barata”, contou. Filipe Ferreira apontou ainda alguns problemas relacionadas com a telecontagem dos contadores.

O presidente da Câmara Municipal de Óbidos reforçou a importância dos contadores por cada saída porque “chegamos a ter 2 a 23 parcelas agrícolas ligadas a um mesmo contador, passando agora a contagem da água consumida a ser feita individualmente e de uma forma mais justa”.

Filipe Daniel também apelou ao responsável da DGADR a importância dos painéis fotovoltaicos, explicando que “só agora os gastos de energia para regar os 800 hectares de culturas do bloco de Óbidos ascendem a 60 mil euros por ano”.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Equipa de “As Três da Manhã” na Praça da Fruta

Durante três dias, a Rádio Renascença percorreu o país fazendo emissões contra a solidão dos mais velhos. Ana Galvão, Inês Lopes Gonçalves e Joana Marques ajudaram a recolher donativos para os projetos da Cáritas direcionados à terceira idade.

tres

Registo prévio e pagamento de taxa de três euros para ir à Berlenga

A partir de 1 de junho para ir à Berlenga é necessário obter permissão de acesso à área terrestre da ilha, através de registo numa plataforma eletrónica, bem como pagar uma taxa de três euros, independente do custo da viagem, havendo algumas exceções.

berlenga

João Almeida com Covid-19 desiste do Giro d’Italia

A 18ª etapa do Giro d’Italia, nesta quinta-feira, fica marcada pela ausência do ciclista caldense João Almeida, que acusou positivo à Covid-19, sendo assim forçado a abandonar a prova, quando ocupava o quarto lugar, a 1 minuto e 54 segundos do líder e a 49 segundos do pódio.

almeida 3