Q

Previsão do tempo

16° C
  • Saturday 26° C
  • Sunday 23° C
  • Monday 22° C
16° C
  • Saturday 27° C
  • Sunday 23° C
  • Monday 22° C
16° C
  • Saturday 29° C
  • Sunday 25° C
  • Monday 23° C

Trabalhadores da ESIP em greve contra baixos salários

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Uma greve por aumentos salariais e revisão do contrato coletivo de trabalho foi realizada na passada quarta-feira pelos trabalhadores de empresas do setor das conservas de peixe ao longo do país, tendo em Peniche havido uma concentração à porta da ESIP.
Concentração à porta da empresa

Uma greve por aumentos salariais e revisão do contrato coletivo de trabalho foi realizada na passada quarta-feira pelos trabalhadores de empresas do setor das conservas de peixe ao longo do país, tendo em Peniche havido uma concentração à porta da ESIP.

Os trabalhadores reivindicam o que consideram ser “aumentos salariais dignos” e a revisão do Contrato Coletivo de Trabalho (CCT), negociações que dizem estar bloqueadas pela Associação Nacional dos Industriais de Conservas de Peixe (ANICP).

Daí terem feito uma paralisação para mostrar o seu protesto contra os “salários muito baixos” que apontam estarem a ser praticados no setor, ao momento tempo que aproveitaram para contestar os horários de trabalho, que sustentam estarem “desregulamentados”, perante a imposição de horário noturno.

O SINTAB – Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura e das Indústrias de Alimentação, Bebidas e Tabacos de Portugal, integrado na Federação dos Sindicatos de Agricultura, Alimentação, Bebidas, Hotelaria e Turismo de Portugal (FESAHT), reivindica um aumento de 90 euros para todos, considerando ser possível uma vez que o setor da indústria das conservas vive uma boa situação económica, pois aumentou o volume e o valor das vendas, sustenta.

Para além dos salários, é pedido respeito pelo trabalho, alegando Mariana Rocha, do SINTAB e representante dos trabalhadores da ESIP, que a ANICP “pretende negociar a tabela salarial e a revisão do CCT à custa de retirada de direitos dos trabalhadores, ao querer impor o banco de horas e a laboração contínua, à troca de um aumento de cinco euros acima do salário mínimo”.

“Os direitos dos trabalhadores são muito violados e por isso estamos a chegar ao limite e exaustos”, manifestou.

Para além da greve, foram promovidas concentrações à porta de várias empresas no país e em Peniche, na ESIP, indústria pertencente a uma multinacional tailandesa, os trabalhadores, a esmagadora maioria mulheres, corresponderam em massa ao protesto.

Entre os cerca de 800 trabalhadores, alguns, com medo de represálias, não compareceram e outros, segundo o sindicato, chegaram a ser pressionados para não aderirem.

A ANICP manifestou estranheza por estes protestos do sindicato afeto à CGTP surgirem em plena campanha eleitoral, considerando ser uma encenação com a qual não pactua. Transmitiu também que o processo negocial decorre há vários meses, aguardando resposta da FESAHT à sua proposta, e que continua disponível para as conversações sobre o CCT e a revisão salarial.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Suspeito de esfaqueamento detido pela Judiciária

Um homem de 24 anos que tentou matar outro com uma faca, no ano passado em Rio Maior, foi detido no dia 24 de maio pelo Departamento de Investigação Criminal de Leiria da Polícia Judiciária em Ferrel, no concelho de Peniche.

pj

João Almeida com Covid-19 desiste do Giro d’Italia

A 18ª etapa do Giro d’Italia, nesta quinta-feira, fica marcada pela ausência do ciclista caldense João Almeida, que acusou positivo à Covid-19, sendo assim forçado a abandonar a prova, quando ocupava o quarto lugar, a 1 minuto e 54 segundos do líder e a 49 segundos do pódio.

almeida 3