Q

Previsão do tempo

18° C
  • Sunday 22° C
  • Monday 23° C
  • Tuesday 21° C
18° C
  • Sunday 23° C
  • Monday 24° C
  • Tuesday 21° C
19° C
  • Sunday 26° C
  • Monday 26° C
  • Tuesday 23° C

Livre quer “construir uma verdadeira alternativa, progressista e ecológica”

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
O partido Livre iniciou no passado sábado, no Céu de Vidro, no Parque D. Carlos I, em Caldas da Rainha, a campanha eleitoral, bem como apresentou os candidatos pelo distrito de Leiria para as próximas eleições legislativas, perante a presença do fundador e candidato do Livre, Rui Tavares, que não tem dúvidas “se houver uma maioria à esquerda”, o partido “fará parte da solução, pois precisamos de começar a construir uma verdadeira alternativa, progressista e ecológica”.
Rui Tavares na apresentação dos candidatos pelo distrito

O partido Livre iniciou no passado sábado, no Céu de Vidro, no Parque D. Carlos I, em Caldas da Rainha, a campanha eleitoral, bem como apresentou os candidatos pelo distrito de Leiria para as próximas eleições legislativas, perante a presença do fundador e candidato do Livre, Rui Tavares, que não tem dúvidas “se houver uma maioria à esquerda”, o partido “fará parte da solução, pois precisamos de começar a construir uma verdadeira alternativa, progressista e ecológica”.

No lançamento da campanha, perante a presença de uma dezena de apoiantes, o cabeça de lista pelo círculo eleitoral de Leiria, Filipe Honório, disse que “é preciso começar a fazer bem e começar a construir uma verdadeira alternativa, progressista e ecológica, que não se baseie na ideia contrária daquilo que é mau”.  “Não basta seguir o que tínhamos antes da pandemia, porque esse sistema foi o que nos trouxe precisamente a estas possíveis crises que vivemos”, frisou o candidato, adiantando que “é exatamente, por isso que temos de ter uma alternativa progressista, que dá uma resposta à perda dos serviços especiais e às revindicações sociais”.

Apontou que “é esta alternativa que temos vindo a trabalhar e que não se recusa à responsabilidade, seja para governação ou para a oposição”.

Acompanhado pela mandatária da candidatura por Leiria, Isabel Faria, e por outros candidatos da lista, Filipe Honório disse que “o Livre é o único partido que tem sido claro naquilo que irá fazer após as eleições de 30 de janeiro”, alertando que “o voto no Livre, não é um voto no bloco central, ou um abrir uma porta à direita, é sim um voto para uma maioria ampla, progressista, ecologista e que resolva os problemas das pessoas”. A par disso sublinhou que o partido também está “disposto, como sempre, a falar, a negociar e avançar”.

Nesse sentido, “todos queremos fazer parte do primeiro grupo parlamentar do Livre, com uma ampla maioria de esquerda para finalmente dar as respostas às pessoas”.

Na ação também marcou presença o fundador e candidato do Livre, Rui Tavares, que afirmou que “estamos perante candidatos que já estão a fazer do Livre um partido que pode mudar a vida das pessoas, num distrito que tem tanto património para valorizar e dar para o país”.  

O líder do Livre também vincou que “o país que temos não é inimigo do país que queremos, mas a política que temos é muitas vezes inimiga do país que queremos”, e nesse sentido, o partido tem como propostas o aumento do Salário Mínimo Nacional para mil euros até ao final da legislatura e a indexação dos salários à inflação, o alargamento do subsídio de desemprego a quem se despede, em casos específicos como a prossecução de estudos ou casais que se mudem para o interior, um plano de apoios à reconversão da climatização do edificado, o aumento do financiamento do Serviço Nacional de Saúde ou a aposta em medidas de economia circular “baseada no conhecimento”.

O partido considera que está na altura “de nós virarmos o jogo” na forma como se faz política, “sempre com um olho no curto prazo, na agenda mediática”, sublinhou o líder do Livre.

Para o Livre, essa mudança passará por “reformular a economia, os serviços públicos e por uma nova visão estratégica para o país”. Como tal, “precisamos de começar a construir uma verdadeira alternativa, progressista e ecológica”, vincou o fundador do partido que considerou que um bom resultado para o partido será conseguir formar um grupo parlamentar, admitindo que nas próximas eleições legislativas possa conseguir eleger três deputados, dois por Lisboa e um no Porto. Sublinhou também que “se houver uma maioria à esquerda, o partido fará parte da solução”.

“Fazer grupos de trabalho e não mais uma geringonça dos gabinetes entre secretários, mas sim algo que envolva a sociedade civil”, esclareceu o candidato como solução, adiantando que “um Bloco Central tal, como a maioria absoluta, são indesejáveis para o país porque põem demasiado poder nas mãos dos dois grandes partidos”.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Ministra da Modernização veio acompanhar criação de região inteligente

A Comunidade Intermunicipal do Oeste recebeu na sua sede, nas Caldas da Rainha, no passado dia 20, a ministra da Juventude e Modernização, Margarida Balseiro Lopes. No centro das atenções esteve o Projeto Oeste Smart Region, num encontro que assinala mais um passo na jornada da região Oeste rumo à transição digital.

ministra

Estrangeiro com mandado de extradição detido nas Caldas

Um estrangeiro de 35 anos sobre quem pendia um pedido de extradição de Portugal por um estado membro da União Europeia foi detetado nas Caldas da Rainha no passado dia 19 após ter sido interveniente num acidente de viação, onde acusou álcool no sangue.

policia