Q

Previsão do tempo

10° C
  • Sunday 13° C
  • Monday 13° C
  • Tuesday 13° C
10° C
  • Sunday 13° C
  • Monday 13° C
  • Tuesday 13° C
9° C
  • Sunday 13° C
  • Monday 14° C
  • Tuesday 13° C

Secretário de estado apela à testagem sem sobrecarregar as farmácias

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
O secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, visitou na passada quinta-feira a unidade das Caldas da Rainha do Centro Hospitalar do Oeste (CHO) para “simbolicamente” desejar as boas festas e oferecer um bolo rei aos profissionais de saúde, como forma de “agradecimento pelo trabalho desenvolvido ao longo deste tempo”. O governante apelou à população para fazer testes à Covid-19 mas para não sobrecarregar as farmácias.

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, visitou na passada quinta-feira a unidade das Caldas da Rainha do Centro Hospitalar do Oeste (CHO) para “simbolicamente” desejar as boas festas e oferecer um bolo rei aos profissionais de saúde, como forma de “agradecimento pelo trabalho desenvolvido ao longo deste tempo”. O governante apelou à população para fazer testes à Covid-19 mas para não sobrecarregar as farmácias.

Na unidade hospitalar de Caldas da Rainha, o governante começou por referir que este ano optou por vir ao CHO passar “simbolicamente um momento de confraternização e amizade”, com aquela que considera ser também a sua “família, os profissionais de saúde”. Recordou ainda que ao contrário da maioria da população, que passa esta época natalícia com os seus, “muitos destes profissionais de saúde prescindem desta quadra para estar ao serviço da comunidade”.

Nesse sentido, “venho de forma simbólica agradecer-vos enquanto profissional de saúde, médico e governante, mas acima de tudo em nome de todos portugueses, pelo trabalho excecional desenvolvido durante todo este período de pandemia”.

Além de agradecer aos profissionais de saúde das mais distintas áreas, com a entrega de dois bolos reis, o governante apelou também aos portugueses que agradeçam com a “melhor das atitudes, a responsabilidade individual e coletiva enquanto sociedade”, mantendo todos os cuidados, “durante este período tão difícil”, como usar máscaras, manter o distanciamento físico, a higienização e arejar as casas.

O secretário de Estado também deixou um apelo para que a população “não sobrecarregue exclusivamente as farmácias” na corrida aos testes rápidos nesta quadra de festividades, lembrando que existem laboratórios e outros postos que também aderiram à testagem.

“Parece-me que quando há mais de 1.400 farmácias que aderiram a esta convenção, quando existem mais de 700 postos laboratoriais que também aderiram, e haverá com certeza outras unidades que poderão vir a aderir, este é um número confortável para que os portugueses se possam testar”, sublinhou o governante, apelando que à população que disperse “um pouco por todas as diferentes instituições” onde é efetuada a testagem.

O governante lembrou ainda que os testes “foram alargados de quatro para seis por mês, o que me parece um bom indicador da vontade que o governo tem de que as pessoas se testem”. “Nestes dias de maior mobilidade social é muito importante que as pessoas se testem, e por isso foram postos à disposição diferentes tipos de teste como o PCR, de antigénio e também autotestes”, frisou Lacerda Sales, adiantando que o governo “não olha esforços para manter a sua capacidade de testagem” e que continuará “a fazer o esforço”, como acontece atualmente, para dar resposta à procura de testes, “mesmo perante um constrangimento que não depende do nível nacional, mas é um constrangimento internacional”.

Contudo, “é com esta vontade e este reforço que o governo está a gerir o processo, para que haja testes para toda a gente que o queira fazer”, frisou, aproveitando o momento para tecer uma palavra de “solidariedade e conforto” aos doentes, desejando as melhoras a todos.

Questionado sobre a falta de profissionais no Serviço Nacional de Saúde, Lacerda Sales recordou que, “em termos de recursos humanos, nos últimos seis anos, aumentámos 30 mil profissionais, só 13 mil no ano passado”. “No caso do CHO tivemos um aumento de 32% em relação a 2015, ou seja, mais de 430 profissionais nas diferentes áreas”.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Médicos de família em Santa Catarina e A-dos-Francos

A Junta de Freguesia de Santa Catarina, nas Caldas da Rainha, informou que o Centro de Saúde daquela localidade (pólo da Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP) das Caldas da Rainha) vai voltar a ter médico de família. “A confirmação feita pela diretora...

medico 2

Reabilitação urbana em A-dos-Francos

Uma sessão de esclarecimento sobre o levantamento das áreas de reabilitação urbana em A-dos-Francos, nas Caldas da Rainha, vai ser realizada no dia 26 de janeiro, pelas 21h, na sede na Junta de Freguesia.

rea