Q

Previsão do tempo

9° C
  • Saturday 12° C
  • Sunday 13° C
  • Monday 13° C
10° C
  • Saturday 12° C
  • Sunday 13° C
  • Monday 13° C
10° C
  • Saturday 12° C
  • Sunday 13° C
  • Monday 13° C
Escaparate

Ano novo, velhos hábitos

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Durante décadas pairou sobre a Terra um pensamento reconfortante, o de que, realmente, os novos anos que se aproximavam poderiam trazer à humanidade muita alegria, saúde e paz. Balelas insonsas disparadas por bocas pueris. O ser humano – e ficou claríssimo com o surgimento das redes sociais – odeia-se. Não existindo, portanto, a mínima hipótese de um alvorecer pacífico a cada manhã.

Escaparate

Durante décadas pairou sobre a Terra um pensamento reconfortante, o de que, realmente, os novos anos que se aproximavam poderiam trazer à humanidade muita alegria, saúde e paz. Balelas insonsas disparadas por bocas pueris. O ser humano – e ficou claríssimo com o surgimento das redes sociais – odeia-se. Não existindo, portanto, a mínima hipótese de um alvorecer pacífico a cada manhã.

A ganância e a inveja foram, no passado, os pratos a servir. E nada mais do que isso existirá, futuramente, nas comunidades a que pertencemos.

Os valores que deveriam nortear o pensamento humano estão muito distantes de uma realidade sólida e palpável. O desejo de ser bondoso, que atravessa a todos, só se mantém em alguns, pouquíssimos, seres. O que é perfeitamente visível naquilo que se publica na Internet e o que se vê nas ações do dia-a-dia. 

Albert Einstein (1879-1955), no seu extraordinário “Como vejo o mundo”, publicado no já distante ano de 1930, diz-nos: “Os ideais que iluminaram o meu caminho, e que várias vezes me deram coragem para enfrentar a vida com alegria, foram a bondade, a beleza e a verdade. Sem o sentido de bondade, sem preocupação com o mundo objetivo – o eternamente inalcançável no campo da arte e dos esforços científicos – a vida pareceria vazia para mim. Os objetivos banais dos esforços humanos – posse, ostentação e luxo – sempre me pareceram desprezíveis”.

Este sublimado pensador refletiu delicadamente acerca de alguns temas essenciais para a formação do ser humano (“o sentido da vida, o lugar do dinheiro, o fundamento da moral, a liberdade individual, o Estado, a educação, o senso de responsabilidade social, a guerra, a paz, o respeito às minorias, o trabalho, a produção, a distribuição de riqueza, o desarmamento, a convivência pacífica entre as nações”, etc.) e dessa reflexão sobressaiu uma análise impregnada de alta espiritualidade, de centrado discernimento, de aproximação com o Alto.

A qualidade da alma humana depende da sua própria depuração e do labor da consciência moral na conexão do humano com o divino. O sopro, que é a vida de todos nós, só nos torna existentes através do bem que espalhamos. O resto é conversa fiada que se dilui com o tempo, apagando o nosso nome da história.

Como possuir um ano melhor se não modificarmos os nossos hábitos, a nossa essência? Como exigir do outro uma mudança, se não alteramos a confusão do nosso ego? Queremos perfeição ao nosso redor, porém, insistimos em locupletar-nos com o sofrimento alheio.

O espírito André Luiz, no livro “Agenda Cristã” psicografado por Chico Xavier (1910-2002) dá-nos alguma clareza espiritual nestes pontos: “Lembre-se de que você mesmo é o melhor secretário de sua tarefa, o mais eficiente propagandista de seus ideais, a mais clara demonstração de seus princípios, o mais alto padrão do ensino superior que seu espírito abraça e a mensagem viva das elevadas noções que você transmite aos outros. Não se esqueça, igualmente, de que o maior inimigo de suas realizações mais nobres, a completa ou incompleta negação do idealismo sublime que você apregoa, a nota discordante da sinfonia do bem que pretende executar, o arquiteto de suas aflições e o destruidor de suas oportunidades de elevação – é você mesmo”.

Se envenenarmos, em todos os sentidos, tudo o que nos rodeia, estamos cabalmente a alimentar tudo aquilo que vem tornando – para alguns – cada ano insuportável.

Na esperança de que a humanidade mude, resta-me apenas oferecer-vos os mais sinceros votos de um feliz ano novo. Tendo por base o célebre pensamento: “Amai-vos uns aos outros” (João 13:34-35).

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Faculdade de Medicina

Em 2009, durante a campanha das autárquicas, lancei a proposta de instalação de uma Faculdade de Medicina nos pavilhões do Parque D. Carlos I, em Caldas da Rainha. Para isso, seria oportuno firmar um protocolo com uma Universidade já existente (nomeadamente, Coimbra, Lisboa ou Porto) para que - sem excelsas burocracias, discussões político-partidárias insalubres, ou achaques insossos por parte da Ordem dos Médicos - fosse, no local indicado, instalada uma extensão daquele organismo.

Perigos ignorados em miradouro

O miradouro na Nau dos Corvos, no Cabo Carvoeiro, em Peniche, está encerrado mas as pessoas contornam os obstáculos e acedem na mesma ao local, ignorando o perigo de derrocada que motivou o fecho.

ora toma2