Q

Previsão do tempo

20° C
  • Monday 22° C
  • Tuesday 22° C
  • Wednesday 22° C
20° C
  • Monday 23° C
  • Tuesday 22° C
  • Wednesday 23° C
21° C
  • Monday 24° C
  • Tuesday 24° C
  • Wednesday 25° C

Pressionar o Ministério da Saúde para a melhoria dos cuidados de saúde

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Inicio aqui uma colaboração com o Jornal das Caldas. Um agradecimento pela confiança depositada. Nestas minhas crónicas procurarei analisar a realidade local, e em especial a política caldense, sob os meus óculos de caldense sempre interessado pela sua terra. Vamos lá começar a primeira crónica! Foi recentemente noticiado que no concelho de Caldas da Rainha, […]

Inicio aqui uma colaboração com o Jornal das Caldas. Um agradecimento pela confiança depositada. Nestas minhas crónicas procurarei analisar a realidade local, e em especial a política caldense, sob os meus óculos de caldense sempre interessado pela sua terra.

Vamos lá começar a primeira crónica!

Foi recentemente noticiado que no concelho de Caldas da Rainha, cerca de 12 mil caldenses não têm médico de família. Este é um sinal claro da falência gradual da organização do sistema nacional de saúde, negando a muitos caldenses o direito à necessidade básica de cuidados de saúde primários, tão necessários para o garantir a prevenção e diagnóstico do início de muitas enfermidades.

Este, infelizmente, não é um problema de Caldas, resultado de políticas centrais de falta de formação de mais médicos de família, e da ausência de medidas de incentivo à fixação dos poucos médicos existentes no mercado.

A nível local o que podemos fazer? A solução não é a construção de novos centros de saúde. O problema que temos é um problema de falta de recursos humanos.

No momento em que se aproximam eleições legislativas, os cidadãos eleitores devem ser exigentes nas análises das propostas e programas eleitorais das diversas forças partidárias. E no nosso caso, de caldenses, devemos exigir, questionar, e pressionar os candidatos a deputados do distrito, e em especial os de origem em Caldas da Rainha, para ações na defesa dos cuidados de saúde.

Simultaneamente a Câmara Municipal e em especial o seu presidente, deverá continuadamente pressionar o Ministério da Saúde para a melhoria dos cuidados de saúde primários. E como este não é um problema apenas de Caldas, uma posição comum da Comunidade Intermunicipal dos Oeste, junto do Ministério da Saúde teria mais força.

Resta saber se os agentes políticos autárquicos, e presentes/futuros deputados na Assembleia da República têm vontade, capacidade e resiliência para de forma assertiva lutarem pelo reforço dos cuidados de saúde primários do concelho.

Aqui estaremos para elogiar/criticar o seu desempenho.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

O prejuízo crónico do tempo de serviço dos professores

A incompreensível obsessão dos sucessivos governos do pós-25 de Abril por prejudicar a classe docente na contagem do tempo de serviço tem provocado uma saga de lutas sindicais que aqui descrevemos, a partir do levantamento feito pela dirigente Anabela Delgado, do maior sindicato português de professores, o SPGL.

francisco martins da silva

­A juventude Z vai formosa e não segura

Bela e airosa, mas cheia de dúvidas e receios — referindo-nos àquela juventude mais privilegiada, nascida entre 1990 e 2000 (chamada geração Z, sucedeu à geração Y ou millenial, que sucedeu à geração X, que sucedeu à dos chamados baby  boomers…), filha da burguesia delirante, não à outra, a menos ou nada privilegiada, que abandona o secundário e se faz à vida logo que a CPCJ deixa de andar em cima. Mas hoje a ansiedade e a insegurança dessa juventude Z, que negoceia e finta as projecções dos pais-helicóptero, são do tamanho do mundo ao alcance de um voo low cost. Ter perdido a espontaneidade de brincar na rua e ser levada de carro pelos progenitores, da creche à faculdade, também não ajuda à autonomia e à autoconfiança.

francisco martins da silva