Q

Previsão do tempo

12° C
  • Saturday 15° C
  • Sunday 14° C
  • Monday 15° C
12° C
  • Saturday 16° C
  • Sunday 14° C
  • Monday 15° C
12° C
  • Saturday 16° C
  • Sunday 15° C
  • Monday 16° C

Greve Climática protestou contra inação das Nações Unidas

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Os ativistas da Greve Climática das Caldas da Rainha estiveram no passado domingo na Rua das Montras a protestar contra a inação da COP26 - Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas.
Os jovens estiveram na Rua das Montras

Os ativistas da Greve Climática das Caldas da Rainha estiveram no passado domingo na Rua das Montras a protestar contra a inação da COP26 – Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas.

De acordo com os jovens, “as atenções estão focadas na cidade recetora da cimeira, Glasgow, na Escócia, que decorrerá até 12 de novembro, sendo a grande última oportunidade para retomar o controlo do clima, deixando grandes expetativas sobre as soluções políticas que dela saírem”.

Contudo, “será realmente este um ponto histórico de viragem, ou continuarão a ser entregues promessas vazias desprovidas de caráter vinculativo?”, questionaram os ativistas caldenses, adiantando que “a COP26 é a crónica de uma morte anunciada de uma intenção de reverter as alterações no clima”.

“Os objetivos para a conferência das partes falham quanto pela insuficiência inerente à natureza das propostas em debate, quanto pela inconsequente implementação que se espera e a que estamos habituados”, sublinharam os jovens, apelando a “uma ação urgente para impedir a mudança climática catastrófica e o aumento da temperatura global, que deve ser limitado a 1,5° C”.

Para os ativistas, “mesmo que os governos afirmem que essa é sua meta, os planos atuais não nos colocam nem de perto no caminho para alcançá-lo, e as múltiplas crises que enfrentamos não serão resolvidas com mais exploração das pessoas e do planeta, e cozinhando os livros”.

Igualmente afirmaram que “as metas atuais do governo e das corporações de “Zero Líquido”, não significam emissões zero. Em vez disso, eles querem continuar a poluir e, ao mesmo tempo, encobrindo-o com engenhosas compensações de carbono”.

Nesse sentido, “precisamos de compromissos e ações para alcançar o zero real. Isso também significa que não haverá novos investimentos em combustíveis fósseis e infraestruturas em casa ou no exterior”, pela que “há que dizer não aos mercados de carbono e às apostas em tecnologias arriscadas não comprovadas que permitem que países e empresas continuem a poluir”.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

ETEO estimula debate sobre violência no namoro

A Escola Técnica Empresarial do Oeste (ETEO), nas Caldas da Rainha, assinalou a 25 de novembro o Dia Internacional da Eliminação da Violência Contra as Mulheres com um alerta contra o crime de violência doméstica e do namoro, deixando a mensagem que “quem ama não agride”. 

violencia 1

Casos de violência doméstica no concelho voltam a aumentar

Assinalou-se no dia 25 de novembro o dia internacional pela Eliminação da Violência contra as mulheres. Em Caldas da Rainha a data foi sinalizada pela Câmara Municipal, através do Gabinete de Atendimento à Vítima de Violência Doméstica (GAVVD), com a colocação de frases alusivas ao tema em questão junto às figuras da Rota Bordaliana: “A Rota Bordaliana não se esquece de ti” – dedicada a todas as mulheres vítimas de violência doméstica.

violencia domestica

Fernando Correia apresentou livro sobre Alzheimer

O jornalista Fernando Correia está a ajudar famílias que têm doentes com Alzheimer com a escrita do livro “Diário de um corpo sem memória” que relata como tem vivido o contacto com Vera, mãe das suas três filhas, que é vítima desta doença.

alzheimer 1