Q

Previsão do tempo

13° C
  • Saturday 15° C
  • Sunday 15° C
  • Monday 15° C
14° C
  • Saturday 15° C
  • Sunday 15° C
  • Monday 16° C
14° C
  • Saturday 15° C
  • Sunday 15° C
  • Monday 16° C

João Almeida escolheu os bombeiros das Caldas para receberem cheque do La Vie

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
João Almeida esteve na semana passada no “Centro das Conversas”, iniciativa do La Vie Caldas da Rainha e da Rádio Mais Oeste, tendo escolhido a associação humanitária dos bombeiros voluntários das Caldas da Rainha para receber um cheque de 200 euros, oferecido pela administração do centro comercial.
Entrega do cheque aos representantes dos bombeiros das Caldas da Rainha

João Almeida esteve na semana passada no “Centro das Conversas”, iniciativa do La Vie Caldas da Rainha e da Rádio Mais Oeste, tendo escolhido a associação humanitária dos bombeiros voluntários das Caldas da Rainha para receber um cheque de 200 euros, oferecido pela administração do centro comercial.

Ao longo de quase uma hora, o ciclista de A-dos-Francos, de 23 anos, esteve a ser entrevistado por Francisco Aleixo, da Rádio Mais Oeste, falando da sua vida e carreira desportiva, que nos últimos tempos tem ganho uma grande projeção, de tal modo que é atualmente o nono melhor ciclista do mundo, de acordo com o ranking internacional.

“Sou lutador pelos meus objetivos e quero chegar ao topo do ciclismo mundial”, declarou.

O jovem, que até chegou a estar um semestre na universidade, contou que “optei pelo ciclismo e não me arrependo”.

Recordou que “desde pequeno fiz desporto”, experimentando modalidades como o futebol e natação. Também fez parte de um rancho folclórico e tocou instrumentos musicais. “Até que me apaixonei pelo ciclismo. Ao início optei pelo down hill, que é só descidas, mas experimentei pista e estrada, e fiquei-me pela estrada, que é o que gosto”, relatou.

“Na minha família não tenho nenhum ciclista, era um miúdo que me procurava divertir e como fui sempre competitivo, assim que experimentei ganhei aquela paixão”, disse João Almeida, que começou aos treze anos a praticar a modalidade.

A vida do ciclista está focada no treino. “O segredo da regularidade é o esforço”, vincou. “Basicamente o meu dia é treinar e descansar”, referiu, lembrando que “quando era adolescente estive privado de muitas saídas com os amigos porque depois da escola tinha de ir treinar, depois descansar e ter corridas ao fim de semana”. Mas “se voltasse atrás não iria mudar nada”. “A minha família e amigos percebem isso”, sublinhou.

O corredor descreveu que “enfrentamos condições adversas de clima, faça frio, chuva, sol ou neve”, e para estar bem preparado para os desafios e adversidades fez notar que “o treinador e o nutricionista são fatores chave no nosso rendimento”. Para além disso, “a parte mental é muito importante. Diria que é 75%, tudo começa na nossa cabeça. Temos um psicólogo, um mental coach, que nos acompanha, e isso tem vindo a marcar cada vez mais a diferença no ciclismo moderno. Por outro lado, o meu refúgio é a minha família”.

O caldense esteve dois anos na equipa da Deceuninck–Quick-Step, onde despontou para os holofotes mundiais. “Basicamente a minha estreia no World Tour foi com esta equipa. Aprendi muito com tanta gente, receberam-me de braços abertos, apostaram em mim, foram dois anos muito bons, cresci muito”, afirmou.

Na próxima época vai correr pela UAE Team Emirates. “A nova equipa tem um projeto muito ambicioso e com o qual me identifico mais. Estou muito ansioso por começar”, confessou, admitindo que irá beneficiar em correr ao lado do esloveno Tadej Pogacar, o atual melhor do mundo. “Gosto bastante dele. É muito boa pessoa, grande atleta e também espero aprender alguma coisa com ele. Estou muito entusiasmado por ir correr na mesma equipa”, comentou João Almeida.

“O grande objetivo passa pelo Giro d’Italia, onde espero estar no melhor momento de forma, e também em princípio farei a Volta a Espanha no próximo ano. Mas vou estar presente em várias corridas, nas quais conto discutir a vitória. Vou ser um líder e ter uma equipa ao meu lado para me apoiar”, revelou, indicando que “cada um pedala com as suas pernas mas sem a ajuda dos colegas de equipa não beneficio tanto”.

Em Itália, onde as suas duas performances anteriores deram nas vistas, assumiu que à terceira tentativa quer chegar ao fim com a camisola vencedora, mas “se não for à terceira vamos tentar à quarta, à quinta, à sexta, a que for, o que interessa é não desistir”. “O meu objetivo é o pódio. Já ficarei muito contente e será um sonho realizado”, frisou. “É uma sensação incrível estar no pódio”, exclamou.

Na conversa no La Vie das Caldas da Rainha o jovem foi instado a comentar o uso de substâncias ilícitas para melhorar os desempenhos dos ciclistas, tendo respondido que “a mentalidade do doping é triste mas faz parte do ciclismo do passado. Nunca me passou ir por esses caminhos. Estamos sujeitos a controlo anti-doping a qualquer hora. Ninguém quer ter essa reputação e por em causa o trabalho de anos. Não é inteligente. Nunca tive nenhum colega nesses casos. A mentalidade mudou. Nunca sequer pensámos nisso”.

Confessando a sua admiração pelo britânico Christopher Froome, vencedor de várias provas mundiais, apontou ser a sua referência. “Sempre foi um ídolo, pela maneira como corre e pela maneira de ser. Tenho motivação extra em correr no pelotão com ele. É um grande ciclista, tenho conversas com ele e fico muito grato com essa possibilidade de aprender com os melhores”, contou.

Por outro lado, o esloveno Primoz Roglic “é incrível, muito versátil, adapta-se a qualquer tipo de terreno”. “É um ciclista que dá tudo o que tem, é muito simpático e posso aprender muito com ele. Estar com os melhores é uma vitória para mim”, reportou João Almeida, acrescentando que “dou-me bem com toda a gente. Há muita rivalidade na corrida, mas fora, em 99% dos casos damo-nos bem, não há grandes turras, é uma competitividade saudável”.

Não querendo pronunciar-se se se considera o melhor ciclista português da atualidade, retorquindo apenas que “isso é sempre um pouco relativo”, divulgou que pretende “aumentar a minha capacidade física, ser mais forte na montanha, mas também quero melhorar bastante no contrarrelógio”. Mudou-se para Andorra em fevereiro deste ano para treinar mais em altitude e ali “passo algum tempo e sinto-me em casa”. Mas a sua postura continua a mesma, assegurou. “Falo para toda a gente de igual maneira. Não interfere com a minha personalidade e continuo a ser a mesma pessoa”, garantiu, pedindo aos fãs para o “apoiarem nos bons e maus momentos”.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Incêndio destrói loja em Alfeizerão

Uma loja de artigos chineses, na principal rua da vila de Alfeizerão, foi destruída por um incêndio que teve início cerca das 20 horas desta quarta-feira. Um bombeiro foi levado para o hospital das Caldas da Rainha por inalação de fumo e exaustão, e uma família que vive num apartamento por cima do estabelecimento teve de ser realojada.

dsc 0507

ETEO estimula debate sobre violência no namoro

A Escola Técnica Empresarial do Oeste (ETEO), nas Caldas da Rainha, assinalou a 25 de novembro o Dia Internacional da Eliminação da Violência Contra as Mulheres com um alerta contra o crime de violência doméstica e do namoro, deixando a mensagem que “quem ama não agride”. 

violencia 1