Q

Previsão do tempo

16° C
  • Sunday 23° C
  • Monday 19° C
  • Tuesday 24° C
17° C
  • Sunday 23° C
  • Monday 19° C
  • Tuesday 24° C
17° C
  • Sunday 25° C
  • Monday 20° C
  • Tuesday 26° C

“Tradições da Vila” recriou costumes antigos ligados à vida rural

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
No passado sábado, a cidade das Caldas da Rainha voltou a ser palco de um conjunto de recriações históricas e de vivências do final do séc. XIX e princípio do séc. XX, depois de um ano de interregno devido à pandemia de Covid-19. Nesta 5ª edição do projeto “Retrato - Tradições da Vila”, que juntou cerca de 140 elementos dos grupos etnográficos e folclóricos e não só, houve um desfile que retratou com rigor o quotidiano, as tradições, os trabalhos e ofícios de outros tempos, por vários pontos da cidade. Entre folclore, fandangos e teatro de rua houve ainda quem recordasse a antiga tradição popular das “pulhas” na Rua das Montras.
A iniciativa regressou após um ano de interregno devido à pandemia

No passado sábado, a cidade das Caldas da Rainha voltou a ser palco de um conjunto de recriações históricas e de vivências do final do séc. XIX e princípio do séc. XX, depois de um ano de interregno devido à pandemia de Covid-19. Nesta 5ª edição do projeto “Retrato – Tradições da Vila”, que juntou cerca de 140 elementos dos grupos etnográficos e folclóricos e não só, houve um desfile que retratou com rigor o quotidiano, as tradições, os trabalhos e ofícios de outros tempos, por vários pontos da cidade. Entre folclore, fandangos e teatro de rua houve ainda quem recordasse a antiga tradição popular das “pulhas” na Rua das Montras.

Com objetivo de “trazer à cidade todas as tradições, desde a forma de viver ao convívio do antigamente”, o evento surgiu há seis anos por iniciativa dos grupos de folclore e etnografia do concelho. O cortejo histórico, que contou novamente com o apoio da Câmara Municipal e das duas Uniões de Freguesias da cidade, “é uma forma de reanimar a cultura popular”, sublinhou um dos organizadores do evento, Sérgio Pereira.

Esta edição também contou com uma novidade, a “recriação das pulhas”. “A pulha era normalmente lançada à noite no alto da aldeia para desmontar o que se falava à boca pequena”, realçou, acrescentando que são “tradições que deixaram de existir nas aldeias, mas que nos preocupamos em recriar”. Pretende ainda continuar a recriar estas performance integrando forças da cultura popular ou erudita.

Em simultâneo houve artesãs de rendas e bordados ao vivo na Rua das Montras, danças e fandangos, cantares e desgarradas, teatro de rua e encenações com a presença da figura do mestre Rafael Bordalo Pinheiro e da Saloia, e animação com os grupos de gaiteiros e concertinas.

Nesta edição participaram os grupos folclóricos do concelho (Rancho Folclórico e Etnográfico “As Ceifeiras” da Fanadia, o Rancho Folclórico e Etnográfico “Os Oleiros”, do Bairro dos Arneiros, o Rancho Folclórico “Flores da Primavera”, do Guisado, o Rancho Folclórico “Os Amigos da Associação de Barrantes”) e dois de fora (Rancho Folclórico de Geraldes e Rancho Folclórico do Arco da Memória).

Juntaram-se ainda à iniciativa o grupo de bombos da Escola Técnica Empresarial do Oeste, as concertinas da Rebolaria e de Óbidos, os gaiteiros da Freiria (Torres Vedras), Bardoada (Pinhal Novo), Sons da Música (Torres Vedras), Gait’Arte (Coimbra), Óbidos e Fanadia (Caldas da Rainha).

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Equipa de “As Três da Manhã” na Praça da Fruta

Durante três dias, a Rádio Renascença percorreu o país fazendo emissões contra a solidão dos mais velhos. Ana Galvão, Inês Lopes Gonçalves e Joana Marques ajudaram a recolher donativos para os projetos da Cáritas direcionados à terceira idade.

tres

Registo prévio e pagamento de taxa de três euros para ir à Berlenga

A partir de 1 de junho para ir à Berlenga é necessário obter permissão de acesso à área terrestre da ilha, através de registo numa plataforma eletrónica, bem como pagar uma taxa de três euros, independente do custo da viagem, havendo algumas exceções.

berlenga

João Almeida com Covid-19 desiste do Giro d’Italia

A 18ª etapa do Giro d’Italia, nesta quinta-feira, fica marcada pela ausência do ciclista caldense João Almeida, que acusou positivo à Covid-19, sendo assim forçado a abandonar a prova, quando ocupava o quarto lugar, a 1 minuto e 54 segundos do líder e a 49 segundos do pódio.

almeida 3