Q

Previsão do tempo

19° C
  • Saturday 26° C
  • Sunday 23° C
  • Monday 23° C
19° C
  • Saturday 27° C
  • Sunday 23° C
  • Monday 23° C
19° C
  • Saturday 29° C
  • Sunday 25° C
  • Monday 25° C

AIRO contesta aumento dos custos da eletricidade

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
“O aumento dos custos da eletricidade coloca a competitividade e a sobrevivência das empresas em risco”, alerta a Associação Empresarial da Região Oeste (AIRO).
Empresas asfixiadas com o aumento dos custos energéticos

“O aumento dos custos da eletricidade coloca a competitividade e a sobrevivência das empresas em risco”, alerta a Associação Empresarial da Região Oeste (AIRO).

“Na sequência da situação pandémica o tecido empresarial português, e nomeadamente da Região Oeste, foi severamente afetado pela crise provocada. No último ano os custos com matérias-primas têm subido de forma muito significativa seja por custos de contexto, aumento de preços generalizados, impostos, entre outros”, faz notar.

A AIRO destaca “o aumento dos preços de energia em janeiro com um custo médio de 42.51€/MWH para um valor médio em setembro de 2021 de 174.68€/MWH”, com a agravante de se prevêem “aumentos até aos 300€/MWH nos próximos meses”.

Para a associação, esta situação “é catastrófica”, uma vez que o tecido empresarial da região é “fortemente dependente da energia eléctrica, seja a indústria transformadora seja o setor primário pela necessidade de camaras de frio para os produtos frutícolas e hortícolas (sendo o Oeste o maior produtor e armazenista nacional destes produtos) bem como câmaras de congelação parta o setor do peixe”. Além destes setores “também a restauração, hotelaria, comercio e serviços serão fortemente afetados”, refere.

“Várias empresas associadas da AIRO têm tido os seus contratos de eletricidade revogados, sendo obrigadas a novos valores com aumentos superiores a 50% face aos contratos anteriores”, sublinha.

De acordo com a AIRO, “este aumento de custos energéticos levará inerentemente à subida de preços de produtos essenciais, provocando um aumento significativo da inflação que não é compatível com o poder de compra atual das famílias”.

Não havendo ainda quaisquer medidas do governo no sentido de apoiar as empresas pelo aumento dos custos energéticos, a AIRO está a trabalhar em propostas de implementação de comunidades de energia na Região Oeste para minorar este agravamento de custos para as empresas.

“A curto prazo serão necessárias medidas urgentes junto do tecido empresarial para garantir a competitividade das nossas empresas, pelo que a AIRO já reportou esta preocupação junto das instituições governativas no sentido de serem criados mecanismos de resposta a esta situação, que se irá agravar nos próximos meses”, revela a associação.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Suspeito de esfaqueamento detido pela Judiciária

Um homem de 24 anos que tentou matar outro com uma faca, no ano passado em Rio Maior, foi detido no dia 24 de maio pelo Departamento de Investigação Criminal de Leiria da Polícia Judiciária em Ferrel, no concelho de Peniche.

pj

João Almeida com Covid-19 desiste do Giro d’Italia

A 18ª etapa do Giro d’Italia, nesta quinta-feira, fica marcada pela ausência do ciclista caldense João Almeida, que acusou positivo à Covid-19, sendo assim forçado a abandonar a prova, quando ocupava o quarto lugar, a 1 minuto e 54 segundos do líder e a 49 segundos do pódio.

almeida 3