Q

Previsão do tempo

15° C
  • Wednesday 20° C
  • Thursday 26° C
  • Friday 28° C
15° C
  • Wednesday 20° C
  • Thursday 27° C
  • Friday 29° C
15° C
  • Wednesday 22° C
  • Thursday 29° C
  • Friday 32° C

Ciclista júnior caldense em sexto na Bélgica

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
O ciclista caldense António Morgado conquistou na passada sexta-feira o segundo melhor resultado de sempre para Portugal em provas de fundo para juniores em Campeonatos do Mundo, sendo o sexto classificado na corrida de 121,8 quilómetros, disputada em Lovaina, Flandres, Bélgica.
António Morgado em prova de fundo do Campeonato do Mundo

O ciclista caldense António Morgado conquistou na passada sexta-feira o segundo melhor resultado de sempre para Portugal em provas de fundo para juniores em Campeonatos do Mundo, sendo o sexto classificado na corrida de 121,8 quilómetros, disputada em Lovaina, Flandres, Bélgica.

Num circuito plano, apenas com quatro topos mais exigentes a quebrarem o ritmo, a alta velocidade foi a maior dificuldade enfrentada pelos corredores portugueses. A média final, superior a 44,6 km/h atesta a exigência da corrida, na qual as seleções mais rodadas internacionalmente tiveram a vantagem da experiência.

António Morgado e Gonçalo Tavares foram os ciclistas portugueses que se adaptaram melhor às adversidades, permanecendo no pelotão da frente. No entanto, acabaram sujeitos a um desgaste adicional, pois nas fases planas da prova não conseguiam manter-se bem posicionados, tendo constantemente de recuperar posições no seio do grupo.

Apesar deste trabalho de constante recolocação, António Morgado teve forças para inserir-se no sprint pelo quarto lugar, uma vez que os três primeiros pedalavam já adiantados na discussão das medalhas. O ciclista das Caldas da Rainha soube explorar a roda dos adversários na reta da meta, em ligeira subida, sprintando para o sexto lugar, o segundo melhor de sempre para o país em provas de fundo para juniores dos Mundiais, apenas suplantado pelo quinto posto de Daniel Freitas, em 2009, na Rússia.

António Morgado cruzou a meta a 24 segundos do norueguês Per Strand Hagenes, que concluiu a prova isolado, ao fim de 2h43m48s. O segundo classificado foi o francês Romain Gregorie, a 19 segundos, ficando o terceiro posto para o estoniano Madis Mihkels, que vinha em fuga mas cortou a meta com o mesmo tempo do pelotão principal, 24 segundos depois do vencedor.

“Toda a corrida foi muito difícil. Nunca me senti muito bem, mas consegui mentalizar-me que tinha de sofrer. Foi uma prova sempre de grande sofrimento. Andei sempre na parte de trás no pelotão, mas como era uma corrida de eliminação, fui eliminando alguns adversários. Cheguei a descolar mais do que uma vez, mas consegui agarrar-me ao grupo. No final coloquei-me bem e dei tudo no sprint”, descreve António Morgado.

Gonçalo Tavares também ficou a 24 segundos do campeão mundial, no 22.º lugar. A prova dos outros dois portugueses ficou marcada por quedas. Diogo Pinto ficou “cortado” na sequência de uma queda logo nos quilómetros iniciais, não conseguindo recolar ao pelotão, devido à velocidade extremamente elevada do grupo. Lucas Lopes fez as duas primeiras voltas entre os melhores, sempre bem posicionado, mas sofreu ele próprio duas quedas que o fizeram perder irremediavelmente o contacto com a frente de corrida. Devido ao atraso acumulado, os dois corredores foram obrigados a abandonar, contando-se entre os 81 desistentes.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Novo recorde de maior onda surfada na Praia do Norte

Há um novo recorde mundial de maior onda já surfada na Praia do Norte, na Nazaré, que foi alcançado pelo alemão Sebastian Steudtner, que em 29 de outubro de 2020 atingiu os 26,21 metros, segundo foi anunciado nesta terça-feira pela World Surf League (WSL), organizadora dos Red Bull Big Wave Awards.

onda

Câmara frigorífica convertida em galeria de arte

O Cadaval vai ser palco do inédito evento “Arte no Frio”, iniciativa de Jaime Rodrigues com a colaboração do Município do Cadaval, que consiste num ciclo de exposições de artesanato inusitadamente montadas no interior de uma câmara frigorífica.

frigorifica