Q

Previsão do tempo

14° C
  • Wednesday 20° C
  • Thursday 26° C
  • Friday 28° C
15° C
  • Wednesday 20° C
  • Thursday 27° C
  • Friday 29° C
15° C
  • Wednesday 22° C
  • Thursday 29° C
  • Friday 32° C
Escaparate

A senhora sem nome

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Todos os dias, à mesma hora, ouço passos firmes sobre as pedras polidas da área pedonal defronte da minha casa. Como é habitual, vou à varanda e observo. Gosto de vê-la desfilar. O seu andar traz à minha memória uma época remota, um tempo carregado de sonho e fantasia. Não sei a sua idade, nem posso, por educação, preocupar-me com isso. Sei apenas que a sua presença faz-me recordar algumas pessoas queridas, que, por coincidência, foram suas amigas.

Escaparate

Todos os dias, à mesma hora, ouço passos firmes sobre as pedras polidas da área pedonal defronte da minha casa. Como é habitual, vou à varanda e observo. Gosto de vê-la desfilar. O seu andar traz à minha memória uma época remota, um tempo carregado de sonho e fantasia. Não sei a sua idade, nem posso, por educação, preocupar-me com isso. Sei apenas que a sua presença faz-me recordar algumas pessoas queridas, que, por coincidência, foram suas amigas.

Hoje não foi diferente, a boa Senhora veio e foi, assim como o passado, que caminha inevitavelmente veloz para um futuro insondado e enigmático.
O vestido sóbrio, a mala discreta, o cabelo muito bem penteado, o olhar distante – talvez em busca de alguém que os anos transatos levaram, mas que imagina poder encontrar adiante, depois do final da vida terrena -, diria que, possuidor de inegável perspicácia e exímia prudência.
Os seus traços são de circunspeção, certamente alinhados com o que lhe vai na alma.
Lembro-me – era eu um rapazinho imberbe, e ela já uma Senhora, de olhar arguto e gestos pandos – de a ouvir conversar acerca do país de então. Encantava-se com a seriedade e a honestidade que, à sua volta, se destacavam.
Nunca lhe ouvi uma frase tola, uma palavra mal pronunciada, um meneio que significasse desejar aproveitar-se de alguma circunstância em proveito próprio. Que disparidade em relação com o que se vê nos dias que correm, onde por um “dá cá aquela palha” vende-se a alma ao diabo.
Vejo, naquela luz que emana de seu estético olhar, um foco muito claro. Talvez necessitasse de Immanuel Kant (1724-1804) para examinar a faculdade do julgamento a que a submeto, porém, assim como ele, não me baseio em sentimentos, apenas em sublimidades. E o sublime é intemporal. É honesto. É desinteressado.
Gosto do seu ar de mistério, muito mais impactante do que a revolução de um mar, em madrugada de temporal; ou o ecoar de
um trovão numa tarde acumulada de nuvens negras.
Aquela segurança no andar, o olhar fulminante, a postura que demonstra saber quem é, e o que faz sobre a Terra, podem, na realidade, esconder uma fragilidade inimaginável, uma dor lancinante, uma nostalgia incessante.
A sua marcha sólida, aquilatada, reflete de modo indiferente para o comum que ao seu lado se movimenta, porém, para quem está acostumado a lidar com emoções o que salta à vista é uma alma tensa, que habita um corpo cansado e supera, sabe-se lá como, uma mente que já não quer perceber a abundância da existência.
Nos entrefolhos de uma vã passada, segue, quem sabe, um martírio, ou uma revolta.
Enquanto uns gritam, sem nada terem a dizer; outros acabrunham-se e meditam entre as filigranas de um desditoso pensamento. São estes últimos os que melhor se ouvem.
Todos os dias, à mesma hora, ouço passos firmes sobre as pedras polidas da área pedonal defronte da minha casa, porém, somente hoje é que pude perceber que há um contraponto inteligente naquelas passadas. O contorno melódico de cada uma delas e a particularidade intervalar, cadenciada, concebida pela justaposição da “nota contra nota”, permite-me concluir que aquela misteriosa Senhora é “amante” de Johann Sebastian Bach (1685-1750).
O seu caminhar possui o fino propósito de interpretar a fé na sua religião – na sua arte, no seu refletido pensamento – na sua eterna busca: Nele, O Inexplicável!

Rui Calisto

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Novo recorde de maior onda surfada na Praia do Norte

Há um novo recorde mundial de maior onda já surfada na Praia do Norte, na Nazaré, que foi alcançado pelo alemão Sebastian Steudtner, que em 29 de outubro de 2020 atingiu os 26,21 metros, segundo foi anunciado nesta terça-feira pela World Surf League (WSL), organizadora dos Red Bull Big Wave Awards.

onda

Câmara frigorífica convertida em galeria de arte

O Cadaval vai ser palco do inédito evento “Arte no Frio”, iniciativa de Jaime Rodrigues com a colaboração do Município do Cadaval, que consiste num ciclo de exposições de artesanato inusitadamente montadas no interior de uma câmara frigorífica.

frigorifica