Q

Previsão do tempo

24° C
  • Friday 22° C
  • Saturday 22° C
  • Sunday 21° C
24° C
  • Friday 22° C
  • Saturday 22° C
  • Sunday 21° C
24° C
  • Friday 23° C
  • Saturday 23° C
  • Sunday 22° C

Mulheres no ciclismo

12 de Setembro, 2021
A propósito da Volta a Portugal feminina em bicicleta, que terminou no passado domingo com uma ligação entre Caldas da Rainha e Lisboa, com 94,7 quilómetros, recordamos algumas das mulheres que se destacaram no mundo do ciclismo, entre os anos 20 e 70 do século passado, como foi o caso da comerciante, Carminda Costa, caldense por adoção ou a campeã Ana Barros, que fez treinos de preparação na zona das Caldas da Rainha. Esta cronologia contou com o apoio e arquivo do Museu do Ciclismo de Caldas da Rainha
Grupo de senhoras algarvias, incluindo Júlia Gil Moreira

A propósito da Volta a Portugal feminina em bicicleta, que terminou no passado domingo com uma ligação entre Caldas da Rainha e Lisboa, com 94,7 quilómetros, recordamos algumas das mulheres que se destacaram no mundo do ciclismo, entre os anos 20 e 70 do século passado, como foi o caso da comerciante, Carminda Costa, caldense por adoção ou a campeã Ana Barros, que fez treinos de preparação na zona das Caldas da Rainha. Esta cronologia contou com o apoio e arquivo do Museu do Ciclismo de Caldas da Rainha

A história do ciclismo feminino começou praticamente desde o aparecimento da bicicleta, mas só na segunda década do século XX surgiram em Portugal as primeiras praticantes, que passaram dos tradicionais passeios à competição.

Em 1908, Albina Martins foi uma das primeiras senhoras e impulsionadora da velocipedia feminina em Portugal, durante o período monárquico. Mais tarde, as corridas femininas surgiram a partir das irmãs Cesina e Clara Bermudes, filhas do escritor e dirigente do SL Benfica, Félix Bermudes.

Na primeira Volta a Lisboa, em 1924, o triunfo coube a Cesina Bermudes, que suplantou as duas únicas adversárias, a irmã Clara e Estela de Oliveira. No ano seguinte, Cesina Bermudes venceu novamente a Volta a Lisboa, tendo dessa vez feito frente a uma jovem setubalense, Oceana Zarco, que com a camisola do Vitória de Setúbal ofereceu forte oposição e veio a dominar a modalidade nos três anos seguintes, vencendo a 3ª edição da Volta a Lisboa, a I Volta ao Porto e a I Volta a Setúbal, tendo sido pioneira do ciclismo feminino.

Em 1935, um grupo de senhoras algarvias participou no primeiro rally ciclista, entre Faro e Marim, onde participou aquela que mais contribuiu para que as mulheres passassem a andar de bicicleta, Júlia Gil Moreira.

No ano seguinte, em 1936, enquanto se disputava a 8ª Volta dos Campeões, também se corria pela segunda vez uma prova feminina de estrada, em que a vencedora foi Cândida Resende.

Mais tarde, em 1950, Caldas da Rainha recebeu um circuito no Parque D. Carlos I, a Volta aos Plátanos, onde a caldense, por adoção, Carminda Costa, foi a primeira a completar as sete voltas ao percurso, batendo uma equipa de três mulheres que vinha de Barcelos, tendo a vitória cabido à comerciante caldense. Além desta prova, a cidade das Caldas também serviu nos anos 70 de local de preparação de ciclismo de alta competição para a estrela feminina Ana Barros.

A atleta, que era natural de Viana do Castelo e que participou nas principais competições internacionais no início da década de 90, venceu 39 provas femininas entre 1989 e 1996 realizadas em Portugal e na Galiza, destacando-se seis títulos consecutivos de campeã nacional entre 1991 e 1996. Em representação de Portugal participou em quatro Campeonatos do Mundo, registando o melhor resultado em 1993 com o 21º lugar, e no Campeonato da Europa de 1995, que terminou em 11º lugar.

Comentários
.

0 Comentários

Submit a Comment

Artigos Relacionados

Atleta paralímpica Beatriz Monteiro homenageada na escola

A atleta de para badminton Beatriz Monteiro, de 15 anos, que participou nas competições de badminton dos Jogos Paralímpicos Tóquio2020, foi homenageada no seu primeiro dia de aulas, na passada segunda-feira, pelo Agrupamento de Escolas Rafael Bordalo Pinheiro, nas Caldas da Rainha, como sendo “um bom exemplo a seguir para os restantes alunos”.

homenagem1

Arco Clube das Caldas organizou prova de tiro desportivo

Aconteceu no passado domingo nas Caldas da Rainha, mais propriamente numa quinta no Casal da Crocha, a 6ª prova de Field Target da Federação Portuguesa de Tiro e que teve o Arco Clube das Caldas (ACC) como entidade organizadora.

tiro