Q

Previsão do tempo

14° C
  • Friday 23° C
  • Saturday 19° C
  • Sunday 24° C
15° C
  • Friday 24° C
  • Saturday 19° C
  • Sunday 25° C
15° C
  • Friday 25° C
  • Saturday 21° C
  • Sunday 26° C
Crónicas noturnas

A lei do menor esforço

Jorge Ferreira

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Breve intróito à lei do menor esforço. Este título, que o meu pai me deixou, ao ser "googlado" por acaso, deu como resultado: Um "site" dizia que tal lei se poderia aplicar a Pedro Álvares Cabral, a quem não teria "apetecido" escrever de imediato a "el-rei" D.Manuel I, anunciando a, tão aguardada, Descoberta do Brasil; Outro "site", de que também não questiono a qualidade do conteúdo, relacionava tal "princípio" com altas elocubrações filosóficas e complicadíssimos algoritmos que chegavam a Einstein e à Teoria da Relatividade...modernices...
Jorge Ferreira

Lei formulada pelo meu pai, para classificar a minha atitude perante a vida. Sempre fiz quase tudo na última hora, com o menor esforço possível. “Contigo é sempre a lei do menor esforço”, dizia, sempre que tentava motivar-me para os voos que para mim projetava.

Quando recordo a sua vida, nas Caldas da Rainha, no tempo pequenino de Salazar e Caetano, vejo o poeta autodidata que foi, o solista do “Orfeon” Caldense, as muitas récitas, as operetas em que entrou…ouço a sua voz de tenor que nos enchia a casa.

Hoje li num jornal regionalista que está à venda a estação dos caminhos de ferro onde pensava situar a primeira cena do filme que tenho na cabeça há algum tempo, mas que nunca verá terminado o seu guião.

Também já tentei escrever as minhas memórias sem sucesso.

Um romance histórico inspirado por um quadro que já não tenho, uma escola chinesa do século XIX, óleo sobre tela representando o “África”, navio de transporte da Marinha Portuguesa…também não passou de meia dúzia de páginas.

Que fazer? Retomar o guião do filme da minha vida – seria sobre a vida de outro, meu amigo com uma vida bem mais cheia do que a minha – porque na estação da cena inicial os comboios deixaram de parar?

Ganhar coragem para voltar ao Arquivo Central da Armada Portuguesa e mergulhar na história do “África”, vapor da carreira do Oriente, para envolver o Conde de Óbidos, tenente da sua guarnição, numa paixão exótica, mas difícil, com a mais bela das sete mulheres do Gungunhana?

O “África” foi um navio que carregou, dos porões aos camarotes, muitos factos da nossa história, gente das nossas gestas que vamos apenas sugerir a quem nos ler.

Construído em estaleiros ingleses em 1895, este navio de transporte da nossa Marinha de Guerra trouxe o Gungunhana, e as suas sete mulheres, preso para Lisboa.

Foi ao Havre buscar o corpo do grande escritor Eça de Queiroz que falecera em Paris.

Nele vieram “dous chins”, assim se designavam na altura os dois “técnicos” chineses que importámos para instalar a primeira cultura de chá na Europa, nos Açores.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Empate com o Amora mantém o Caldas em segundo lugar

Amora FC e Caldas SC disputaram no passado sábado, no estádio da Medideira, uma partida a contar para a jornada 8 que terminou com igualdade a uma bola. Com este resultado, o Caldas soma 18 pontos e mantém-se em segundo lugar, mantendo tudo em aberto para as últimas duas jornadas na Série 2 de manutenção na Liga 3.

caldas2

Rampa Foz do Arelho

O cenário deslumbrante da Foz do Arelho, no último domingo de abril (dia 28), vai ser palco de uma das mais tradicionais provas de Regularidade Sport Plus de Rampa, que integra o calendário da Series by NDML, organizada pelo Núcleo Desportos Motorizados de Leiria.

rampa

Apresentado livro “Doce Viagem”

A Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste (EHTO), no âmbito do Festival “Latitudes – Literatura e Viajantes”, organizado pela Câmara Municipal de Óbidos, realizou no dia 12 de abril uma sessão de apresentação e lançamento do livro “Doce Viagem – Um roteiro dos doces de Natal na América Latina”, um projeto que resultou de uma parceria entre a Casa da América Latina (CAL) e a EHTO.

doce