Q

Previsão do tempo

8° C
  • Tuesday 13° C
  • Wednesday 13° C
  • Thursday 13° C
9° C
  • Tuesday 13° C
  • Wednesday 13° C
  • Thursday 13° C
8° C
  • Tuesday 13° C
  • Wednesday 13° C
  • Thursday 13° C

Novo Centro de Saúde em Santo Onofre é “um marco na melhoria dos cuidados primários”

Mariana Martinho

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
As cerimónias do Dia da Cidade também ficaram marcadas pela “inauguração formal da moderna e eficaz” Unidade de Saúde de Santo Onofre, que teve um investimento superior a 1,8 milhões de euros e que pretende servir 15.200 utentes da cidade. Estas modernas instalações, que já se encontram em funcionamento, integram a Unidade de Saúde Familiar Dona Leonor e a Unidade de Saúde Pública Zé Povinho.
O descerramento da placa inaugural

As novas instalações situadas em Santo Onofre, na rua Etelvino dos Santos (junto à rotunda do supermercado Minipreço), contemplam onze gabinetes de consulta, três de enfermagem, dois de tratamentos, nove de trabalho, um de saúde oral e uma sala de movimento/ fisioterapia, divididos pelos dois pisos. “Esta é uma obra de grande relevo e importância para as Caldas da Rainha, sendo um desejo de há muitos anos de criação de melhores condições para as unidades de saúde do concelho”, sublinhou o presidente da Câmara Municipal, Tinta Ferreira, após uma visita ao local.

Projetado em parceria com a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, o município assumiu o compromisso de promover a construção deste novo centro de saúde, tendo obtido fundos comunitários no âmbito da uma candidatura da Comunidade Intermunicipal do Oeste. “É uma obra que teve o custo global superior a 1,6 milhões de euros e ainda uma comparticipação comunitária de um milhão e 265 mil euros”, destacou o autarca, adiantando que o município também comparticipou com cerca de 600 mil euros para a obra.

A autarquia aprovou um projeto de execução para também candidatar a fundos comunitários a reabilitação do Centro de Saúde antigo. “A perspetiva é que seja uma obra de um milhão e quatrocentos mil euros, mas ainda não temos a certeza de que ela será aprovada”, referiu o autarca, adiantando que o município também se encontra a melhorar os postos médicos das freguesias, de modo a ter equipamentos fisicamente adequados ao nível dos cuidados primários no concelho.

Contudo, “para ficar completo é necessário que os cuidados de saúde hospitalares sejam também muito bons”, apontou o edil, que aproveitou a ocasião para apelar à construção de um hospital novo nas Caldas da Rainha, bem como à necessidade de finalizar as obras no serviço de urgências e outro tipo de intervenções em que “o município está disposto a colaborar com quatrocentos mil euros, em particular na Unidade de Obstetrícia”.

A par disso, também disse que “há muitos outros investimentos que são necessários no atual hospital, de modo a garantir que o mesmo perdure no tempo com condições de qualidade”.

“É justa a atribuição de um espaço como este”

A nova unidade de saúde, que já se encontra em funcionamento e que “ficará sempre registada como um marco na melhoria da prestação de cuidados primários no concelho das Caldas da Rainha”, conta com uma equipa de profissionais constituída por 8 médicos, 8 enfermeiros, 6 assistentes técnicos e 6 internos de formação especifica, que “pretendem prestar cuidados primários de saúde a uma população de cerca 15.200 utentes”.

“Equipa essa que é dinâmica e que tem abraçado múltiplos desafios propostos de uma forma exemplar e resiliente, por vezes em condições adversas, mas que soube sempre ultrapassar com distinção”, destacou a diretora clínica do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Oeste Norte, Marta Félix, durante a cerimónia de inauguração do espaço, adiantando que “é justa a atribuição de um espaço como este”.

Apesar disso, Marta Félix não deixou de assinalar a saída de um número significativo de médicos do ACES Oeste Norte, tendo perdido desde o início do ano 12 médicos.

Presente no ato inaugural também esteve secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Lacerda Sales, que agradeceu o “valioso contributo que a autarquia caldense tem dado e vai continuar a dar ao Serviço Nacional de Saúde”.

Também referiu que “esta nova unidade vai reforçar a rede de infraestruturas da saúde, nomeadamente na prestação dos cuidados de saúde primários, que são uma marca indelével da democratização da saúde e da aposta da proximidade aos cidadãos”, e será ainda “fundamental para a melhoria do acesso das condições existenciais da qualidade dos serviços prestados, e consequentemente contribuirá para a satisfação das populações e dos profissionais”.

Disse igualmente que “a curto prazo queremos garantir que todos os portugueses têm acesso a médico de família”, lembrando que no ano passado o Governo reforçou os cuidados de saúde primários em 427 médicos especialistas em medicina geral e familiar, o que “permitiu atribuir médico de família a mais 215 mil pessoas”. Adiantou ainda que o Serviço Nacional de Saúde prevê a integração de mais 2.400 profissionais, entre os quais constam mais de 1.300 para os cuidados primários.

Em relação ao trabalho que tem sido desenvolvido pelos profissionais de saúde durante a pandemia, o secretário de Estado sublinhou terem sido realizadas nos cuidados de saúde primários, entre janeiro e março, mais 1,5 milhões de consultas, o que representa uma subida de 19% em relação ao mesmo período de 2020. No que toca aos cuidados hospitalares registaram-se mais 22 mil consultas do que no período homólogo de 2020.

Em contrapartida realizaram-se menos 9.900 cirurgias programadas, “razão pela qual estão agora constituídos incentivos aos profissionais para a realização adicional de consultas e cirurgias para recuperar aquelas que foram adiadas por força da pandemia”, explicou o secretário de Estado.

Por fim, Lacerda Sales garantiu que “o processo de vacinação avança a um bom ritmo e estamos a trabalhar para que se possa atingir a imunidade de grupo o mais rápido”.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Vamos Mudar critica utilização da ampliação da Urgência do Hospital

O movimento cívico independente Vamos Mudar (VM), que lidera a Câmara Municipal das Caldas da Rainha, lamenta e desconhece as razões pelas quais as obras de ampliação do Serviço de Urgência do Hospital das Caldas “não estão a ser ainda amplamente aproveitadas”. O VM questiona se é por “falta de acabamentos, de equipamentos ou de recursos humanos”.

vm 2

Mercado de Santana foi palco do início de campanha do CDS com o líder

A campanha para as eleições legislativas começou para o CDS no concelho das Caldas da Rainha, mais propriamente no Mercado de Santana, em Alvorninha, no passado domingo, com a presença do líder do partido, Francisco Rodrigues dos Santos, acompanhado dos cabeças de lista por Leiria e Santarém, António Galvão Lucas e Pedro Melo, respetivamente, para além de outras figuras, como o candidato em nº4 por Leiria, Paulo Pessoa de Carvalho, que nas últimas autárquicas liderou a coligação na qual constava o CDS, que concorreu à Câmara das Caldas.

cds

Homenagem a Luís “Bicau”

A Oeste Rescue, associação de nadadores salvadores, prestou na tarde do passado sábado homenagem ao Luís Alberto, conhecido por “Bicau”, de 44 anos, que há dias foi encontrado morto nas imediações da Lagoa de Óbidos.

bicau