Q

Previsão do tempo

13° C
  • Thursday 15° C
  • Friday 16° C
  • Saturday 13° C
13° C
  • Thursday 15° C
  • Friday 16° C
  • Saturday 13° C
14° C
  • Thursday 16° C
  • Friday 17° C
  • Saturday 14° C

O que pensam os alunos sobre fechar escolas?

Marlene Sousa

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
O tema do fecho das escolas esteve em discussão e divide políticos, professores e especialistas em saúde. O JORNAL DAS CALDAS quis saber a opinião dos estudantes e conversou com vários alunos das Caldas: a maioria concorda com o fecho das escolas, mas está preocupada com as notas e os exames.
Mariana Maurício

1 – Mariana Maurício, 16 anos – 11º Curso de Ciências e Tecnologias, Colégio Rainha D. Leonor

“Tendo em conta a situação pandémica atual do país, considero que o encerramento das escolas é uma medida importante para tentar controlar o coronavírus. Contudo, é importante que as pessoas respeitem o isolamento social durante esta interrupção letiva de forma a que se consiga controlar a propagação do vírus na comunidade escolar e no seio das suas famílias”

2 – Beatriz Costa, 16 anos – 11º Curso de Ciências e Tecnologias, Colégio Rainha D. Leonor

“Com o número de infetados com Covid-19 a aumentar no país, acho que seria uma boa medida as escolas fecharem pois, mesmo com as devidas medidas de segurança, a escola é um local onde diariamente estão centenas de alunos em contacto. Ao fecharem as escolas por duas ou três semanas e se respeitarem o isolamento, iremos reduzir o número de casos”

3 – Beatriz Fernandes, 22 anos – Curso Técnicas de Serviço de Restaurante e Bar, Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste

“Considero o fecho das escolas uma decisão importante pois evitamos os riscos de contágio. Obviamente que com as aulas à distância o aproveitamento de cada aluno não é o melhor, até porque nem todos os alunos têm facilidade em ter computador/internet/smartphone.

Tendo em conta a realidade da escola, onde existe uma forte componente prática, esta modalidade de ensino prejudica e muito a nossa aprendizagem visto ser impossível simular, por exemplo, o serviço ao cliente através de uma reunião via Teams.

Sendo esta altura uma fase de exames não é bom irmos para casa pois o aproveitamento não é o melhor e torna-se mais difícil para os professores fazerem a sua avaliação”

4 – Rodrigo Gomes, 17 anos – finalista do curso Técnico de Turismo, Escola Técnica Empresarial do Oeste

“Com o número de infetados que temos acho que foi uma boa medida fechar, para ver se esta crise sanitária melhora, para que brevemente possamos retomar a atividade e para podermos realizar os estágios.

A experiência do ano passado mostrou que o ensino à distância é eficaz, mas prefiro o ensino presencial”

5 – Rita Nunes, 18 anos – 12º de Línguas e Humanidades, Escola Secundária Raul Proença

“No início tinha um pouco de medo de ser infetada, mas esse medo já passou um pouco. Agora com o aumento das pessoas infetadas nas Caldas, apesar de eu preferir aulas presenciais, acho que as escolas têm mesmo que fechar.

Quanto à interrupção das aulas que vai ser compensada, acho bem porque tenho exames nacionais e quero estar bem preparada. No ano passado a matéria que demos em confinamento nas aulas à distância é o que vai sair este ano no exame de história e para mim é uma falta de respeito para com os alunos porque não é igual como estar na sala de aula com a professora. Neste período ainda não tivemos nenhuma avaliação e espero que isto não nos prejudique porque tenho sempre melhores notas no segundo período”

6– Francisco Oliveira, 18 anos – 12º de Línguas e Humanidades, Escola Secundária Raul Proença

“Optar por esperar e não fechar logo as escolas quando foi anunciado o segundo confinamento foi uma experiência positiva por parte do Governo, uma vez que nem todos têm condições para ter aulas online. Eu prefiro um regime presencial. O meu pai é professor e ele também sente que é mais fácil ensinar e aprender na sala de aula.

No entanto, acho que agora não havia outra alternativa dada a situação do país. Acho que nos vai prejudicar nas notas do segundo período”

7 – Tomás Marques, 17 anos – 12º ano, Técnico de Desporto, Escola Secundária Rafael Bordalo Pinheiro

“Sou a favor do fecho das escolas até porque já verificámos que o número de casos não diminuiu. A escola em regime presencial na sala de aula é segura porque todos usamos máscaras, desinfetamos as mãos, mas toda a movimentação que traz para a rua já não é seguro.

Acho que as aulas na Internet têm vantagens e desvantagens. A verdade é que professores online têm mais trabalho e também nos dão mais tarefas. No primeiro confinamento com o regime de aulas à distância aprendi a gerir o meu tempo, o que é positivo para quando ingressar um dia no mercado de trabalho”

8 – Henrique Coelho, 17 anos – 12º ano, Técnico de Desporto, Escola Secundária Rafael Bordalo Pinheiro

“Concordo com o fecho das escolas porque somos o país neste momento com maior número de infetados a nível mundial por um milhão de habitantes e os hospitais estão a abarrotar. Tenho amigos meus que trabalham no hospital e bombeiros que me dizem que está muito complicado. Acho que a saúde é mais importante que a escola.

Apesar de preferir as aulas presenciais, até pelo afeto e convívio com os amigos, já estou habituado às aulas online. É uma maneira de nos habituarmos ao teletrabalho, que vai ser uma forma de trabalhar no futuro”

9 – Mariana Almeida, 10 anos – 5º ano – Escola D. João II

“Apesar de eu e as minhas amigas estarmos sempre com máscara, acho bem as escolas terem fechado porque nas Caldas há muitas pessoas com Covid-19.

O primeiro confinamento foi uma experiência mais ou menos, porque era tudo novo. Não senti falta de apoio dos meus pais e professora, mas se pudesse escolher passaria sempre a regime presencial”

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Festival das Sopas ajuda jovens

O I Festival das Sopas vai realizar-se no Centro Paroquial de Salir de Matos, nas Caldas da Rainha, no dia 18 de dezembro,pelas 13h. O evento contará com sopa da pedra, sopa de peixe, sopa de legumes e canja. Também haverá petiscos, filhós, café da avó...