Q

Previsão do tempo

8° C
  • Friday 13° C
  • Saturday 12° C
  • Sunday 12° C
8° C
  • Friday 13° C
  • Saturday 12° C
  • Sunday 13° C
7° C
  • Friday 13° C
  • Saturday 11° C
  • Sunday 13° C

Azeite em destaque no segundo almoço do projeto “Sustentabilidade à Mesa”

Mariana Martinho

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
O azeite foi o protagonista do segundo almoço, que decorreu na passada quinta-feira, no Restaurante Pedagógico Ferreira da Silva, da Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste (EHTO), no âmbito do projeto “Sustentabilidade à Mesa”, onde os alunos do terceiro ano dos cursos de Técnicas de Cozinha/Pastelaria e Técnicas de Serviço de Restauração e Bebidas criaram pratos degustados pelo público sobre “um dos principais alimentos da dieta mediterrânica, o azeite”.
Neste almoço dedicado ao azeite estiveram presentes os responsáveis pela empresa Azeite Morgado

Depois do arranque com o mel, foi a vez do azeite, produto alimentar extraído da azeitona, estar em destaque, desde logo, no aperitivo. Na chegada à escola, os alunos serviram aos clientes um gin, com xarope de açúcar, sumos de limão, água castelo e azeitona triturada. Mas para os que preferiram um aperitivo sem álcool, puderam provar um sumo de limão, com azeitona triturada e xarope de açúcar preparado pelos dois alunos do terceiro ano do curso de Técnicas de Serviço de Restauração e Bebida, Ruben Ferreira e Beatriz Fernandes.

Já sentados no restaurante pedagógico foram servidos antes da entrada (cogumelos recheados com queijo, tâmara, frutos secos e azeite em pó) dois copos de azeite da empresa “Azeite Morgado”, com lagar em Serra de Aire e Candeeiros, para “saborear”. Em seguida foi servido bacalhau confitado em azeite a baixa temperatura, grão e espinafres, e vitela estufada, com arroz carolino cremoso de espargos.

Para a sobremesa, os alunos optaram por preparar um pudim de azeite, acompanhado por um gelado de azeitona e caramelo.

Segundo o chef Luis Tarenta, “este ano, a base do projeto é Sustentabilidade à Mesa em que os produtos endógenos, e principalmente os regionais / sazonais estão em destaque, por isso, não poderia deixar de estar o azeite”, sendo “um dos principais alimentos da dieta mediterrânica”.

Igualmente referiu que “um dos objetivos deste projeto é que os alunos tenham um contacto direto com os produtos e produtores”. Nesse sentido estiveram presentes vários representantes e produtores de azeite da região, nomeadamente a empresa Azeite Morgado, que forneceu o produto para este menu.

Esta empresa, que já existe há mais 200 anos, tem passado de geração em geração, estando atualmente Paulo Morgado a assumir as rédeas do negócio dos seus bisavós. “A origem do nome Morgado tem a ver com o fundador deste lagar ser filho único, por esse motivo era assim conhecido “o Morgado”, daí ficar o nome Morgado como marca de azeite, e não faria sentido ter uma outra marca”, explicou um dos responsáveis pelo espaço, Vítor Ribeiro, adiantando que o lagar veio evoluindo ao longo dos tempos, fazendo aposta em equipamentos modernos para “um melhor desempenho da produção, sem nunca perder o sabor tradicional e genuíno da Serra de Aire e Candeeiros”.

O Azeite Morgado aposta numa produção proveniente das melhores azeitonas, predominantemente vindas de oliveiras de variedade galega, e carateriza-se também pela baixa acidez, classificando-se na categoria Virgem Extra.

O “Sustentabilidade à Mesa” vai continuar na próxima quinta-feira com um menu dedicado à castanha.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Icónico edifício da Secla vai ser reabilitado

Depois de vários anos ao abandono e já em estado de degradação, o edifício icónico sede da Secla, nas Caldas da Rainha, vai finalmente ser totalmente reabilitado e valorizado.

secla

Candidato do BE luta “por uma linha do Oeste que responda aos desafios atuais”

O candidato do Bloco de Esquerda pelo distrito de Leiria às próximas eleições legislativas, Ricardo Vicente, viajou no passado dia 12 de comboio na Linha do Oeste, de Leiria para Caldas da Rainha, para assinalar a necessidade de requalificar da linha integralmente, e de garantir velocidades de deslocação competitivas com o transporte rodoviário, contrariamente aos resultados previstos pelo Governo para a requalificação no troço de Meleças até Caldas da Rainha.

bloco