Q

Previsão do tempo

27° C
  • Saturday 26° C
  • Sunday 23° C
  • Monday 21° C
28° C
  • Saturday 26° C
  • Sunday 23° C
  • Monday 21° C
29° C
  • Saturday 29° C
  • Sunday 25° C
  • Monday 22° C
Escaparate

Um projeto arrojado para o Caldas S. C.

Rui Calisto

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Recentemente voltei a dedicar alguma atenção a um projeto, de autoria dos arquitetos Hugo Feliciano, Marco Godinho, Nuno Gonçalves e Vasco Antunes (contando com a colaboração do engenheiro Eduardo Freitas), que pode colocar o Caldas Sport Clube (fundado a 15 de maio de 1916) num patamar de excelência, em âmbito desportivo.
Rui Calisto

Esse emblema usufrui, desde 1934, de um recinto para a prática do futebol, conhecido nacionalmente por “Campo da Mata”, com uma lotação que pode chegar às 13.000 pessoas. Porém, as condições gerais desse local, bem como o conforto dos seus atletas, adeptos e simpatizantes, foram sempre colocadas em segundo plano, devido, naturalmente, à escassez de verbas que um clube desta dimensão possui.

Entretanto, também há poucos dias, soube que o Caldas S. C. (agora com alguma verba disponível) iniciou um somatório de ações para a requalificação do seu santuário desportivo. No entanto, pelo que consta, o projeto citado acima não foi o beneficiado. O que me entristece, devido à sua consistência e qualidade.

Elaborada, no ano de 2011, essa valiosa planta arquitetónica poderia ter sido, através de um conjunto de esforços, executada nestes nove anos. Entre estes, provavelmente, o do Financiamento Sustentável do Desporto, que permite “…explorar plenamente as possibilidades de apoio do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional a favor das infraestruturas desportivas…”.

Sem dúvida, o Caldas S. C. deve ultimar uma completa reformulação do seu espaço desportivo, se quiser, realmente, agigantar-se, pois, é inadmissível que um clube, que completou recentemente 104 anos de existência, não possua uma sede digna do seu quadro associativo e dos seus simpatizantes, uma sala apropriada para a exibição de todos os seus troféus e galardões, e um local onde a memória escrita, falada, videográfica e fotográfica seja guardada e exibida às futuras gerações. O projeto em questão possui todas as mais-valias para, finalmente, os pelicanos se orgulharem das suas instalações.

O Caldas S. C. não precisa estar na caríssima Primeira Liga, necessita, isso sim, de ser um orgulho desportivo para os caldenses, e, com um estádio como o proposto pelo projeto daqueles quatro arquitetos, pode, sem dúvida, consegui-lo.

Com a magnificência da estrutura sugerida, o novo estádio seria o local ideal para jogos-treino das seleções portuguesas, nos seus mais diversos escalões, bem como das congéneres europeias, aquando da realização dos seus estágios internacionais. Nada impediria, também, e por exemplo, que grandes clubes europeus viessem a Caldas da Rainha, aquando das suas excursões de pré-epoca, para jogos com equipas nacionais, ou mesmo para protagonizar um torneio anual (organizado pelo Caldas S.C.) com formações do grande escalão do futebol português.

O Caldas S. C. anuncia que “um novo projeto está em fase de elaboração”, o que não me parece correto, pois reflete-se em tempo e esforço despendidos.

O que foi apresentado, no ano de 2011, pelos arquitetos Hugo Feliciano, Marco Godinho, Nuno Gonçalves e Vasco Antunes, em minha modesta opinião, encerraria o assunto, pois concentra todas as mais-valias necessárias à organização desportiva de uma coletividade da dimensão do Caldas S. C.

Será que os sócios e simpatizantes já pararam para pensar que, para o crescimento do Caldas S. C., talvez seja necessário buscar um investidor internacional? Alguém disposto a tornar o clube numa marca de sucesso, que possua uma visão alargada do que o futuro nos reservará no campo desportivo. Este é o momento de se colocar em prática um excelente projeto, que já existe, e que pode ser a menina dos olhos das estruturas desportivas portuguesas do segundo escalão.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

As festas das aldeias e suas tradições

Com a chegada do verão começa a altura dos arraiais, das festas das aldeias, onde reina o tradicional bailarico e de seguida o dj a fazer o resto da magia.

Novo recorde de maior onda surfada na Praia do Norte

Há um novo recorde mundial de maior onda já surfada na Praia do Norte, na Nazaré, que foi alcançado pelo alemão Sebastian Steudtner, que em 29 de outubro de 2020 atingiu os 26,21 metros, segundo foi anunciado nesta terça-feira pela World Surf League (WSL), organizadora dos Red Bull Big Wave Awards.

onda