Q

Previsão do tempo

19° C
  • Saturday 26° C
  • Sunday 23° C
  • Monday 23° C
19° C
  • Saturday 27° C
  • Sunday 23° C
  • Monday 23° C
19° C
  • Saturday 29° C
  • Sunday 25° C
  • Monday 25° C

Mantas Solidárias que homenageiam costureiras em exposição no Céu de Vidro

Mariana Martinho

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Treze mantas do projeto “Mantas Solidárias em Rede”, que homenageia as costureiras que confecionaram máscaras para a pandemia de Covid-19, estão em exposição até ao próximo dia 15 de outubro, no Céu de Vidro, no Parque D. Carlos I. Este “memorial itinerante”, que envolveu 16 grupos e mais de 500 voluntários, tem como objetivo percorrer todas as localidades participantes no movimento desencadeado pelo Grupo Gentileza Viral - Peniche em março deste ano.
Entidades presentes na inauguração da exposição

A exposição, que foi inaugurada na passada quarta-feira e que engloba várias mantas solidárias construídas com vários pedaços de tecidos, oferecidos por cada costureira voluntária, com quadrados de 35 cm que foram cosidos entre si e unidos às mantas de agradecimento, faz parte do projeto“ Mantas Solidárias em Rede”, que surgiu em Peniche para responder a necessidades que pudessem surgir na comunidade.

De acordo com Ana Macatrão, uma das dinamizadoras do projeto, “a ideia das mantas surgiu com o intuito de homenagear com algo significativo as costureiras, costureiros e voluntários que têm colaborado na confeção de material de proteção individual, sobretudo máscaras de proteção contra a propagação do novo coronavírus, visto que não tínhamos dinheiro para lhes pagar”.

O projeto foi proposto primeiramente ao grupo de costureiras voluntárias Gentileza Viral de Peniche, que “logo na primeira abordagem aceitaram este desafio para homenagear as costureiras por este esforço e dedicação ao longo destes três meses”. Posteriormente, a iniciativa alastrou-se à comunidade local e a outras associações voluntárias de norte a sul do país, através do mentor das máscaras solidárias, Carlos Valeriano.

“Cada quadrado de 35 por 35 cm fala de uma história e de uma voluntária”, sublinhou Ana Macatrão, adiantando que o “objetivo da exposição é passar em todos os sítios onde as voluntárias participaram, como Peniche, Caldas da Rainha, Lourinhã e Aveiro”, e terminar num sítio ainda a definir, a 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos. “Nada mais mostra os direitos humanos do que esta exposição”, afirmou a responsável.

Presente na inauguração também esteve o presidente da União de Freguesias Nossa Senhora do Pópulo, Coto e S. Gregório, Vítor Marques, que referiu que “esta mostra é o epílogo de um trabalho que começou em março e que envolveu mais de 800 costureiras voluntárias na confeção de máscaras proativas para combater este problema”.

Além do projeto das “máscaras solidárias CV”, a Junta de Freguesia também desenvolveu em paralelo um projeto de produção de máscaras, tendo no total confecionado perto de “40 mil máscaras solidárias”.

Já a vereadora da ação social, Maria da Conceição Pereira, destacou o trabalho desenvolvido por todas as instituições de solidariedade social, que deram “um excelente exemplo de organização, cuidado e atenção para evitar que situações de surtos surjam”, estando agora a “necessitar de outro tipo de equipamentos ou materiais de proteção”.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

João Almeida com Covid-19 desiste do Giro d’Italia

A 18ª etapa do Giro d’Italia, nesta quinta-feira, fica marcada pela ausência do ciclista caldense João Almeida, que acusou positivo à Covid-19, sendo assim forçado a abandonar a prova, quando ocupava o quarto lugar, a 1 minuto e 54 segundos do líder e a 49 segundos do pódio.

almeida 3

Aluna caldense “Embaixadora UC à Frente” 

A caldense Beatriz Lopes, estudante do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas na Universidade de Coimbra, recebeu o prémio “UC à Frente”, atribuído pela Reitoria da Universidade de Coimbra (UC).

premio 1

Vigília com “abraço” ao hospital das Caldas da Rainha

Uma vigília que terminou com um cordão humano em frente à urgência do hospital das Caldas da Rainha foi a forma encontrada pela população para exigir medidas do Governo para melhorar as condições em que trabalham os profissionais de saúde. O alerta foi feito na noite da passada sexta-feira.

vigilia2