Q

Previsão do tempo

9° C
  • Friday 13° C
  • Saturday 12° C
  • Sunday 12° C
9° C
  • Friday 13° C
  • Saturday 12° C
  • Sunday 13° C
9° C
  • Friday 13° C
  • Saturday 11° C
  • Sunday 13° C

“Mão Solidária de Peniche” já distribuiu mais de onze mil máscaras pela população

Mariana Martinho

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
A organização sem fins lucrativos Mão Solidária de Peniche, que normalmente se dedica à confeção de vestidos e calções para doar a crianças de países carentes, sentiu necessidade de “intervir de forma a ajudar os mais fragilizados e todos os profissionais de saúde”, com a produção de máscaras de proteção, ao qual se associaram cerca de cento e vinte voluntários. Até ao momento, a associação já produziu cerca de doze mil e quinhentas máscaras, sendo que já foram distribuídas mais de onze mil pela população em geral.
A associação tem produzido máscaras, distribuídas pela população e pelos profissionais de saúde

Fundada quase há três anos, a associação Mão Solidária de Peniche tem como objetivo confecionar vestidos e calções para doar a crianças de países principalmente africanos, levando-lhes assim “um pouco mais de dignidade, proteção e esperança”. Este projeto de costura, que já entregou mais de dez mil peças de roupa, nas quais coloca todo o seu amor, trabalha em parceria com diversas organizações não-governamentais (ONG’s) humanitárias, nacionais e internacionais, de modo a que o processo de entrega seja “seguro e eficaz, com o menor número de intermediários e o menor prazo possível”. Nesse sentido e face à situação atual, a Mão Solidária propôs-se novamente ajudar os mais fragilizados, em parceria com a ONG Mães do Mundo.

“A decisão não foi tomada de ânimo leve, mas acreditamos que era urgente e necessário tentar intervir de forma a ajudarmos os fragilizados bem como os profissionais de saúde”, sublinhou a responsável pela associação, Andreia Conde. Apesar de uma fatura com um valor superior a mil euros em TNT (sigla de “tecido não tecido”) ter sido “algo assustador”, a Mão Solidária entendeu desde logo que avançar para esta missão era a “decisão mais acertada”.

Para esta campanha Covid-19, a associação fez uma breve pesquisa sobre os materiais mais indicados para o efeito, como também um pedido de informações junto do Citeve – Centro Tecnológico das Indústrias do Têxtil e do Vestuário, de forma a “criar realmente um produto que fosse capacitado para nos proteger do vírus”. Como tal, adquiriu “TNT com 50 gramas para a produção de máscaras de proteção”.

Nesta ação, a Mão Solidária conta com ajuda diária de mais de 80 costureiras, que transformaram desde logo as suas casas em “autênticos espaços de costura”, e ainda com cerca de 120 voluntários na parte de corte e preparação do material, assim como também nas recolhas/entregas do mesmo entre as costureiras.

Depois de produzidas, “todas as máscaras passam pelo processo de higienização e quarentena a fim de estarem aptas para o embalamento” e posteriormente serem distribuídas.

Até ao momento, a associação já produziu cerca de doze mil e quinhentas máscaras máscaras, sendo que mais de onze mil já foram distribuídas pela população em geral. “A intenção de chegar ao maior número possível de bairros”, frisou a responsável pela Mão Solidária de Peniche.

A organização também continua apoiar com material de proteção, nomeadamente o Hospital de Peniche, o Centro de Saúde em três setores de equipas de tratamento junto da população, os Bombeiros de Peniche, a Cooperativa para a Educação e Reabilitação de Crianças Inadaptadas, a Crinabel (Cooperativa de Solidariedade Social e Ensino Especial), os Paramédicos de Catástrofes Internacionais, a Aconchego (Centro Solidariedade e Cultura de Peniche), a equipa da cantina da Acompanha (Cooperativa de Solidariedade Social), a Cerci Peniche, a Santa Casa da Misericórdia, o Centro de Dia da Bufarda e Serra D’el Rei, a freguesia de Ferrel, e ainda enviou material para os concelhos de Viseu, Sacavém e Azeitão.

A associação também está a confecionar cógulas para distribuir pelos profissionais de saúde.

Em simultâneo, a Mão Solidária mantém os outros projetos ativos, onde são produzidos vestidos, calções, estojos escolares e kits de higiene para os países africanos, bem como os peitilhos em crochê, que posteriormente são transformados em vestidos. “África é um trabalho árduo e constante, pois falamos de uma população com imensas fragilidades, e por isso, a Mão Solidária continua a contribuir”, sublinhou Andreia Conde, adiantando que na próxima quinta-feira, está prevista a chegada à Guiné de material enviado pela associação para a confeção de máscaras.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Mural homenageia a mulher da Nazaré

Está a nascer um novo mural dedicado à mulher nazarena e ao seu papel em diferentes áreas na sociedade local ao longo de décadas.

mural

Candidato do CDS em jornada agrícola

Na passada quarta-feira o candidato do CDS pelo distrito de Leiria, António Galvão Lucas, esteve no Bombarral, onde visitou a povoação de Pó para se inteirar das dificuldades dos produtores de bacelos, com quem conversou, seguindo-se uma visita a fruteiras da região também para saber da situação atual de produção e exportação da pérola do Bombarral, a pera rocha.

galvao

Arguido por simular crime de carjacking

Um homem de 42 anos foi constituído arguido por simulação de crime, ao ter inventado ter sido vítima de carjacking nas Caldas da Rainha, revelou fonte policial ao JORNAL DAS CALDAS.

pexels malte luk 1412213